Encontro Paulista de Museus será acessível a todos os públicos

Em sua 11ª edição, este será o primeiro Encontro Paulista de Museus (EPM2020) realizado de forma totalmente virtual. Para se adequar ao novo formato, que por ser on-line, possibilita maior alcance e acesso de pessoas de outras localidades, a programação foi dividida em cinco dias, de 23 a 27 de novembro, com a adoção de medidas inclusivas como legendagem, tradução na Língua de Sinais (Libras) e tradução simultânea nas atividades com participantes estrangeiros. A acessibilidade foi considerada desde o início da estruturação do evento para que mais pessoas possam se apropriar dos conteúdos a serem compartilhados com o mínimo de barreiras.

Também foi desenvolvida uma estratégia no sentido de ampliar o índice de acessibilidade nas redes sociais do SISEM-SP – no site, já existem recursos nesse sentido, como o sistema que permite a alteração do tamanho da fonte, facilitando a leitura de usuários com baixa visão e do plugin Hand Talk, ferramenta que permite a tradução de textos por meio da linguagem de Libras. Além disso, o website ampliou a acessibilidade de seus materiais ao disponibilizar parte de seu conteúdo traduzido para os idiomas inglês e espanhol.

Para a produção do EPM2020, a equipe contou com a assessoria do Museu da Inclusão para estruturar a acessibilidade do evento.

Toda a programação será transmitida no canal do SISEM-SP no Youtube. Pensando na comunidade surda, haverá intérpretes de Libras e considerando as pessoas com deficiência auditiva, os vídeos pré-gravados conterão legendas (closed captions). Como haverá a participação de convidados estrangeiros na programação, o público também contará com tradução simultânea espanhol-português.

A divulgação nas redes sociais também ganhou uma linguagem mais inclusiva com a adoção da hashtag #PraCegoVer e com a mensagem “esta imagem possui recurso de texto alternativo” nas legendas, indicando a descrição das imagens postadas. Desta forma, o conteúdo fica acessível para quem tem deficiência visual e incentiva a interação desse público com o conteúdo postado.

“No Brasil, um percentual considerável de pessoas possui algum tipo de deficiência. Aproveitando que a virtualidade do Encontro Paulista de Museus nos permitirá alcançar um público maior do que se fosse presencial, tornou-se essencial atingirmos essa parcela da população. A programação do evento está alicerçada na ideia de ampliarmos a discussão acerca do nosso papel na sociedade enquanto museus. As questões relacionadas à diversidade e à inclusão fazem parte dessa pauta, não só no tocante à discussão desses temas, como também no sentido de incorporá-las às nossas práticas”, diz Davidson Kaseker, diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC/SISEM-SP). “Durante o EPM2020, queremos proporcionar um ambiente em que os mais diferentes públicos sintam-se acolhidos e respeitados”, finaliza.

Fonte: SISEM-SP