VIII Encontro Brasileiro de Palácios, Museus-Casas e Casas Históricas e Seminário de Preservação de Patrimônio

VII encontro brasileiro
Clovis Graciano, Três Homens (detalhe), 1936 – Acervo Artístico – Cultural dos Palácios do Governo

Coleções e personagens: por que preservar?

5 a 8 de novembro de 2014

O Encontro Brasileiro de Palácios, Museus-Casas e Casas Históricas, promovido pela Curadoria do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do Governo do Estado de São Paulo, traz, em sua oitava edição, o tema Coleções e personagens: por que preservar?. Além das tradicionais visitas a museus-casas na capital e no interior do estado, o programa, que inclui o Seminário de Preservação do Patrimônio, conta com palestras em parceria com a Fundação Prefeito Faria Lima – Cepam – Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal, da Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Regional; Casa Guilherme de Almeida, Museu Felícia Leirner e Museu Casa de Portinari, da Secretaria de Estado da Cultura; Fundação Maria Luisa e Oscar Americano; e Fundação Cultural Ema Gordon Klabin.

Neste ano, o foco é a diversidade dos museus-casas e casas históricas paulistas, destacando seus desafios de preservação, com ênfase na requalificação e no processo de transformação de casas históricas em museus, em diálogo com as teorias atuais de restauro e a legislação vigente. Mesas temáticas apoiadas em quatro eixos de reflexão – Proteger, Conservar, Interpretar e Conviver–, com profissionais que atuam no meio museológico, nos órgãos de proteção e nas universidades, apresentarão um rico debate sobre os caminhos para a preservação dessas instituições. O primeiro eixo, Proteger – Patrimônio histórico, artístico, arqueológico e turístico, discute meios e formas de preservação tanto no âmbito público como no privado, destacando a atuação dos órgãos de proteção. O segundo, Conservar – Memória, tempo e coleções, reflete sobre a importância da memória no processo de musealização, associada a questões inerentes à preservação patrimonial. Interpretar – A casa, a coleção, o personagem examina como esses três elementos se articulam nos programas interpretativos. E o quarto eixo, Conviver – Museu-casa, museu vivo, propõe a reflexão sobre os museus-casas e casas históricas enquanto espaços dinâmicos, onde as relações humanas se desenvolvem e transformam realidades a partir do encontro das memórias dos antigos moradores – presentes no programa interpretativo – com o público visitante, constituindo espaços vivos de interação social.

A sessão de Experiências locais, ainda, apresenta programas interpretativos de alguns museus-casas localizados na capital e no interior do estado.

Em continuação ao tradicional registro dos encontros anteriores, serão distribuídos os Anais do VII Encontro Brasileiro de Palácios, Museus-Casas e Casas Históricas, realizado no âmbito da conferência Lugares de reflexão: museus como conectores de tempos, pessoas e grupos sociais, em parceria com o Comitê Internacional para os Museus-Casas Históricas – DEMHIST, na 23ª Conferência Geral Trienal do Conselho Internacional de Museus – ICOM Rio 2013.

Ana Cristina Carvalho
Curadora do Acervo Artístico-Cultural dos Palácios e membro do Conselho Internacional para os Museus-Casas Históricas – DEMHIST

As inscrições são gratuitas.

Informações: acervo@sp.gov.br