SISEM-SP propôs reflexão sobre misoginia em live no Dia Internacional da Mulher

No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado, realizou uma live em seu Instagram com a participação da fotógrafa e designer Michele Brum, idealizadora do Projeto BASTA, uma exposição fotográfica que se propõe a refletir sobre a representação feminina e os conceitos de misoginia e empoderamento. A conversa foi mediada por Carolina Rocha, da equipe do SISEM-SP.

No bate-papo on-line, além de falar do Projeto BASTA, a convidada propôs uma reflexão sobre os atos misóginos presentes na estrutura social. Também foram abordadas questões como feminicídio e o papel das instituições museológicas e de gestão de museus na comunicação desses temas. “Chamar a atenção dos museus para que trabalhem com seus públicos temáticas relacionadas a todo o escopo que envolve o gênero feminino é fundamental, uma vez que somos mais de 50% da população, segundo o IBGE, mas ainda vítimas da misoginia estrutural, institucional e cotidiana”, afirmou Carolina.

Para quem não assistiu, a gravação está disponível no IGTV do SISEM-SP (@sisemsp).

Sobre o Projeto Basta – O projeto, idealizado pela fotógrafa e designer Michele Brum, tem por objetivo a comunicação com todas as mulheres que se identifiquem com a causa, como também propagar, ao mesmo tempo, a reflexão e a indignação com os atos de misoginia de setores da sociedade. “O empoderamento é o contrário da misoginia. Precisamos falar sobre isso, considerando o número tão alto de feminicídios e violência contra a mulher”, defende Michele. 

Etimologicamente, a palavra “misoginia” é derivada do grego misogynia. Trata-se da união e miseó, que significa “ódio”, e gyné, que se traduz para “mulher”. No Cambridge Dictionary, misoginia assim está definida: “crença de que os homens são muito melhores que as mulheres” (CAMBRIDGE, 2018). “Pensar em uma imagem para representar a misoginia é pensar em todo o ódio construído desde sempre contra as mulheres. Sabe-se que machismo e feminicídio são conceitos que estão atrelados ao fenômeno da misoginia, no entanto entende-se que este conceito carece de maior atenção. O projeto tem a proposta de uma exposição fotográfica pensando na representatividade feminina com os conceitos de misoginia e empoderamento”, conclui a fotógrafa.

Fonte: SISEM-SP