Quilombaque faz campanha de financiamento coletivo para permanecer em sua sede

Imóvel alugado pela instituição foi colocado à venda e motivou a busca por arrecadação de fundos

A Comunidade Cultural Quilombaque está com a campanha de financiamento coletivo #FicaQuilombaque, para garantir a permanência de sua sede no espaço construído há 15 anos, no bairro Perus, em São Paulo. No local são realizados diversos trabalhos de promoção à cultura junto à comunidade.

O imóvel onde fica sua sede é alugado e foi colocado à venda por R$ 300 mil e o prazo dado para a comunidade cultural ficar no local está bem apertado. “Estamos ameaçados de perder o nosso espaço físico para a especulação imobiliária, fomos intimados a entregar o espaço caso não ocorra a compra do terreno, porém o valor e o prazo estimado para a aquisição são incoerentes com o orçamento da comunidade”, diz o comunicado sobre a campanha de financiamento. Leia o comunicado na íntegra e contribua com qualquer valor por meio do link http://vaka.me/1341779. Caso prefira, as doações também poderão ser feitas por transferência bancária: Banco do Brasil, Agência: 6871-3, Conta corrente: 22.186-4, Titular: Associação Comunidade Cultural Quilombaque, CNPJ: 22.232.865/0001-16.

“Estamos ameaçados de perder o nosso espaço físico para a especulação imobiliária, fomos intimados a entregar o espaço caso não ocorra a compra do terreno, porém o valor e o prazo estimado para a aquisição são incoerentes com o orçamento da comunidade. Sabemos a dificuldade de se manter um espaço cultural ativo na periferia: Ao longo desses quinze anos de resistência no bairro, várias conquistas foram alcançadas, porém sabemos que ainda há muitos desafios a se consolidar e um deles é a permanência no nosso espaço físico (anteriormente um lugar de abandono e altamente degradado) construído coletivamente com grande valor afetivo e transformado em um ponto de referência cultural para o bairro e à cidade de São Paulo.

Nós da Comunidade Cultural Quilombaque, movimento político étnico cultural regido pelos tambores, estamos completando 15 anos de muita luta e resistência no bairro de Perus, zona noroeste da cidade de São Paulo. Fizemos nascer um quilombo na periferia, nesta que sempre esteve condenada a fome e a miséria, desemprego em alta, julgada como o lugar do descaso, do abandono e da violência, e o que é mais grave, os adolescentes e jovens são castrados de uma das mais nobres funções relacionados à natureza humana – a de imaginar, de sonhar.

Temos como objetivo desenvolver ações para consolidar e manter o espaço como um polo de desenvolvimento cultural e educacional, e assim implantar projetos e ações socioculturais, educacionais, econômicas e ambientais, na perspectiva de empreender um processo de reparação ao acesso a bens culturais, promover a convivência com a diversidade cultural local, além de incentivar a criação de novos espaços capazes de abrigar intervenções culturais.

Nossa luta pelo desenvolvimento sustentável do bairro vem se apresentando como um pilar importante, tanto na sustentabilidade de atividades artísticas e culturais como na ressignificação do conhecimento, na qual estimula e permite com que a sociedade, em especial a juventude, protagonize e se aproprie de ferramentas de mobilização e reintegração social.  A partir deste processo florescem artistas, coletivos, ações e iniciativas, jovens constroem lideranças amadurecidas sempre fomentando o nascimento e fortalecimento de outras. Precisamos da sua ajuda para seguir com esse projeto e salvar nosso quilombo vivo.”

Fonte: Quilombaque