Oficina de curadoria digital e acervos memeais

O CRIA – Centro de Referência, Pesquisa e Biblioteca do Museu das Favelas oferece oficinas de curadoria digital e acervos memeais, ministradas por pesquisadores e especialistas colaboradores do museu virtual #MUSEUdeMEMES. Serão realizadas duas oficinas, com duração de 1h30 cada, com a participação de dois professores especialistas na área.

O objetivo é explorar as potencialidades, limites e desafios na composição de acervos nato-digitais. Discussões envolvendo a materialidade desses acervos, modos de preservação, documentação e exibição de coleções, bem como aspectos relacionados à ética de acervos, e métodos de pesquisa e coleta de conteúdos digitais.

As oficinas serão ministradas por Dandara Magalhães, bacharel em Estudos de Mídia (UFF), mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFF e pesquisa memes e política, associada ao #MUSEUdeMEMES e ao coLAB-UFF; Luiza de Mello Stefano, jornalista e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, especialista em Comunicação e Marketing Digital, sendo atualmente doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFF e desenvolve sua tese sobre a apropriação da linguagem de memes pela televisão aberta brasileira, sendo pesquisadora associada ao #MUSEUdeMEMES, ao coLAB-UFF e ao TeleVisões-UFF.

O projeto é coordenado por Viktor Chagas, professor associado do Departamento de Estudos Culturais e Mídia e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFF (PPGCOM-UFF), membro associado do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital (INCT.DD), líder do grupo de pesquisa coLAB-UFF e coordenador do projeto de extensão #MUSEUdeMEMES.

Esta oficina é voltada para profissionais da área de museus, principalmente para profissionais que trabalham com acervo e curadoria.

SERVIÇO

Oficina de curadoria digital e acervos memeais
13 e 14 de dezembro, das 11h às 12:30
Atividade Online (Plataforma Google Meet)
Período de inscrições: 05 a 11 de dezembro de 2022
inscrições antecipadas por meio de Formulário, clique aqui
vagas: 30 pessoas
Classificação: livre

Programação:

13/12, terça-feira, às 11h via Google Meet: Museus, memória e tecnologia digital
A aula apresentará os principais tipos de museu virtual e a definição de museu participativo. Serão abordadas questões concernentes à curadoria da mídia digital, autocuradoria, aspectos teóricos referentes à digitalização e preservação de acervos digitais, e interação entre visitante e museu.

14/12, quarta-feira, às 11h, via Google Meet: Curadoria de Acervos Nato-Digitais
Com base na experiência do projeto #MUSEUdeMEMES, pretende-se apresentar alguns dos principais limites e desafios que se fazem presentes em acervos nato-digitais. A aula pretende introduzir algumas das questões básicas sobre extração e armazenamento de dados de plataformas de mídias sociais. Limitações dos métodos de raspagem de dados, questões éticas, direitos autorais, direitos de imagem e privacidade etc. Memes autorais e memes como marcas registradas.

Dúvidas: cr@museudasfavelas.org.br

Tel. (11) 4240-3355

Parceria: #MUSEUdeMEMES (que é um projeto do Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Culturas Políticas e Economia da Colaboração (coLAB) que pertence a UFF)

Sobre o #MUSEUdeMEMES

O #MUSEUdeMEMES é um projeto da Universidade Federal Fluminense, criado em 2011, liderado pelo professor doutor Viktor Chagas, que conjuga pesquisa, extensão e inovação tecnológica. Orientada a partir de uma experiência online, como um webmuseu, a iniciativa realiza também atividades como a organização de eventos, exposições, consultoria e análise e projetos temáticos. O projeto #MUSEUdeMEMES está associado ao Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Culturas Políticas e Economia da Colaboração (coLAB), um grupo de pesquisa que desenvolve investigações orientadas a compreender as interfaces entre tecnologias da comunicação e culturas políticas, com especial ênfase nos fenômenos relacionados aos repertórios de ativismo digital, às estratégias retóricas e discursivas de atores do campo formal da política e às campanhas onlines, às dinâmicas de sociabilidade e letramento político, à economia política da informação e à circulação de desinformação e discurso de ódio.