Museus e o fim da quarentena: como garantir a segurança do público e das equipes

À medida que as quarentenas terminam gradualmente em várias regiões e países, os museus precisam revisar e atualizar seus protocolos de segurança sanitária para reabrirem adequadamente. Embora as regulamentações nacionais variem dependendo da evolução específica da pandemia da COVID-19, existem algumas medidas básicas que podem ser tomadas para proteger a saúde dos visitantes e da equipe.

O ICOM Brasil traduziu para o português as recomendações do ICOM para reabertura gradual de museus, conforme governos locais forem finalizando as quarentenas de prevenção ao coronavírus. 

PREPARAÇÃO PARA A CHEGADA DO PÚBLICO

 • Definir o número máximo de visitantes permitidos no museu e informar ao público sobre o assunto.

• Definir o número máximo de visitantes por sala de exposição e informar ao público (é recomendável definir um número máximo de pessoas por metro quadrado para permitir uma distância de segurança de 1,5 m entre cada visitante).

• Determinar o tempo médio de visita para estabelecer intervalos de tempo.

• Considerar a reabertura gradual das exposições.

• Na medida do possível, estabelecer um sistema de reserva (online, por telefone e/ou email). Se possível, criar um sistema de bilheteria on-line.

• Considere o horário de funcionamento estendido.

• Considere horários de funcionamento dedicados a determinados grupos (por exemplo, maiores de 65 anos de idade).

• Negar acesso a pessoas que apresentam sintomas da doença.

• Notificar o público sobre restrições relacionadas ao contexto no website da instituição (se houver) e antes de entrar no museu.

ACESSO PÚBLICO – ADAPTANDO O FLUXO DE VISITANTES

• Evitar ou gerenciar filas nas entradas e balcões.

• Fazer marcações no solo para as filas, de modo a garantir que a distância recomendada de 1,5 m entre os visitantes seja mantida.

• Garantir a distância entre os visitantes e os balcões de recepção, possivelmente instalando vidro para proteger funcionários e visitantes.

• Fechar os guarda-volumes que requeiram a presença de funcionários para evitar manuseio e contato desnecessários (os armários podem permanecer disponíveis se forem desinfetados regularmente entre os usos).

• Garantir a manutenção de fluxos separados de entrada e saída e orientar o percurso nas salas de forma unidirecional (se possível).

• Visitas guiadas e atividades educativas podem ser oferecidas se a distância de segurança entre os participantes for respeitada.  Definir intervalos de tempo específicos para visitas em grupo e restringir seu tamanho.

• Aberturas de áreas comerciais comuns (lanchonete, livraria, lojas) estão sujeitas a regulamentos nacionais específicos.

ACESSO PÚBLICO – FORTALECIMENTO DAS MEDIDAS DE SAÚDE

• Instalar dispositivos com desinfetante para as mãos na entrada do museu e fornecer sinalização de alerta para incentivar os visitantes a respeitar as medidas de saúde em vigor.

• Garantir que os visitantes tenham acesso aos banheiros (permitindo que lavem as mãos com sabão e água e dando preferência a material higiênico descartável).  Adaptar esse acesso às regras de distanciamento social em vigor (marcação no chão, etc.).

• Garantir que os dispositivos, tais como audioguias, fones de ouvido e outros equipamentos similares que requerem manuseio sejam sistematicamente desinfetados após cada utilização.

• Instalações para deficientes e dispositivos educativos com botões de controle devem ser limpos frequentemente com desinfetantes.

• As portas internas deverão permanecer abertas (se possível). Caso contrário, elas devem ser desinfetadas toda vez que forem usadas.

PESSOAL DE RECEPÇÃO E SEGURANÇA

• A equipe de segurança deve estar presente na recepção e nas salas do museu para garantir não apenas que haja distância suficiente entre o visitante e as obras em exibição, mas também para garantir que haja distância suficiente entre os próprios visitantes. Se necessário, para garantir a segurança das obras e visitantes, as equipes podem ser complementadas por pessoal adicional.

• Fornecer aos funcionários dispositivos de proteção adequados (proteção de caixa registradora, máscaras, desinfetantes), condição obrigatória para abertura ao público.

MEDIDAS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

• Aumente os intervalos de limpeza de acordo com os regulamentos nacionais.

• Todas as áreas do museu acessíveis ao público devem ser limpas, no mínimo, diariamente.

• Para garantir a conservação das coleções do museu, consulte também as recomendações atualizadas sobre o assunto.  https://www.icom.org.br/?p=1898 e https://icom.museum/en/covid-19/resources/conservation-of-musem-collections/

NO ESCRITÓRIO

• Considerar a adaptação sustentável dos planos de emergência.

• Estender empréstimos para minimizar movimentação, manuseio e transporte.

• Áreas acessíveis às equipes serão limpas de acordo com as diretrizes nacionais.

• Equipamentos usados por vários membros da equipe precisarão ser desinfetados regularmente. Na ausência de padrões de desinfecção, este equipamento não deve ser usado.

 • Os funcionários limparão seu local de trabalho diariamente com toalhas à base de álcool ou toalhas de papel, independentemente do serviço de limpeza em vigor.

• Qualquer funcionário cuja atividade não exija presença no local continuará trabalhando em casa e de acordo com os regulamentos nacionais.

Finalmente, recomenda-se que os museus que não estiverem em posição de atender a essas medidas estendam seus fechamentos temporários.

Acesse: ICOM_protocolo_de_reabertura.

Fonte: ICOM