Museu do Café realizará colóquio sobre patrimônio e arquitetura em dezembro

Atividade ocorrerá de maneira virtual, pelo canal do Youtube do equipamento santista

No dia 2 de dezembro, às 10h, o Museu do Café promoverá o 4º colóquio sobre o patrimônio e a paisagem do café no Youtube, visando a divulgar as ações de pesquisa e extroversão desenvolvidas no meio acadêmico e museal, de modo transversal e interdisciplinar, para criar uma rede de construção coletiva do saber.

A iniciativa é uma parceria com o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), pelo programa de pós-graduação em Ensino e História de Ciências da Terra, e o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado.

Nesta edição do encontro serão apresentadas conexões entre os conjuntos remanescentes de patrimônios dos ciclos do açúcar e do café, a formação da paisagem cultural e o trabalho de pesquisa e educação patrimonial.

Com a temática “A ocupação do território paulista pelas culturas do café e da cana-de-açúcar: passado, presente e futuro”, a primeira mesa redonda da programação contará com a fala da engenheira agrônoma, Priscila Coltri, do engenheiro agrícola, Jurandir Zullo Jr e mediação do arquiteto urbanista, André Argollo. Todos trabalham como pesquisadores no Cepagri/UNICAMP.

Primeiramente, o foco será o passado, partindo de uma introdução sobre essa história e a sua evolução ao longo dos anos. Chegando ao presente, a conversa tratará das pesquisas atuais que identificam como essas duas culturas fazem uso do território e suas possíveis ligações com o clima e a sociedade. Ainda neste momento, a equipe irá analisar a relação dos produtos cultivados com o meio ambiente do Estado, bem como com políticas públicas, como o Zoneamento de Riscos Climáticos (ZARC).

Na sequência, terá início a conversa “Narrativas educativas: Museu do Café e Engenho dos Erasmos”. Participam da conversa o biólogo e educador no Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos, André Müller de Mello, a historiadora e gestora do setor Educativo do Museu, Daniella Silva de Oliveira. A mediação ficará sob responsabilidade da arquiteta e coordenadora técnica do MC, Marcela Rezek Calixto.

O bate-papo levantará algumas concepções de cultura afim de traçar paralelos entre suas diferentes dimensões e a cidade. Para isso, os palestrantes compartilharão experiências recentes das duas instituições, referenciando projetos educativo-culturais que estabelecem diálogos com a memória da Baixada Santista e a sua paisagem histórica, valorizando os elementos físicos e simbólicos que dão sentido aos dois museus.

Em vista dos contextos geográficos, arqueológicos, arquitetônicos, sociais e ambientais em que estão inseridos os equipamentos, o objetivo é ampliar acesso e estimular apropriação dos espaços, estimulando o sentimento de pertencimento e garantindo salvaguarda e proteção.

Fonte: Museu do Café