Inscreva sua instituição na Programação da Campanha Sonhar o Mundo

Profissionais do campo museal podem cadastrar ações institucionais destinadas a debater a questão da acessibilidade em museus

Atualizado em 23/11/2022, às 17h50.

Os museus são instituições realmente democráticas? Quão abertas estão suas portas, exposições e atividades para que os públicos possam fruir do patrimônio cultural? As equipes estão preparadas para atender à diversidade de visitantes? Os museus possuem processos de trabalho acessíveis a todas as pessoas que atuam na área?

Essas perguntas norteiam a edição 2022 da Campanha Sonhar o Mundo, que neste ano aborda a “Deficiência e Acessibilidade em Museus”. Prorrogadas até às 16hs do dia 25 de novembro, as instituições museais de São Paulo poderão inscrever ações relacionadas ao tema – fornecendo uma programação colaborativa dentro do projeto. Acesse aqui o formulário.

O objetivo das ações, que serão realizadas entre 04 e 10 de dezembro, é promover reflexões e discussões sobre a forma como os museus de São Paulo funcionam e disponibilizam os seus serviços no âmbito da acessibilidade. Será também uma oportunidade para compartilhar aspectos relacionados com os processos internos de trabalho, recepção dos visitantes, entre outros desafios e acertos.

De acordo com os coordenadores o evento prevê a continuidade de um ciclo de ações voltadas à inserção dos museus em debates contemporâneos, reafirmando o seu potencial agregador e propositivo para impulsionar as transformações sociais.

Sobre o Programa

A Campanha Sonhar o Mundo foi concebida como uma iniciativa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, por meio da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico e do Sistema Estadual de Museus, realizada com a articulação do Memorial da Resistência, Museu Afro Brasil, Museu da Diversidade Sexual, Museu da Imigração, Museu Índia Vanuíre, Memorial da Inclusão e da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

A campanha buscava articular e mobilizar os museus para questões relacionadas aos Direitos Humanos, partindo do pressuposto de que eles devem atuar como instrumentos de transformação social. Suas atividades ao longo do ano foram marcadas pela realização de um curso sobre Direitos Humanos e sensibilização sobre o tema nas mídias sociais.

Na semana do Dia Internacional dos Direitos Humanos, estruturava-se uma programação diversa. Tais ações visavam reconhecer a contribuição dos museus para a formação de uma mentalidade coletiva, sensibilizando para a solidariedade, o respeito à diversidade cultural, o combate ao preconceito, à discriminação e à violência. Em 2022, o SISEM-SP reestruturou a Campanha Sonhar o Mundo como o Programa de Direitos Humanos para Museus, marcado por ações de formação, programações participativas e colaborativas de museus de todo o estado.