Guararema sedia o Encontro Paulista de Museus, Memória Ferroviária e Paisagens Culturais

Evento promovido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa por meio do SISEM-SP será realizado no dia 25 de outubro

A cidade de Guararema (SP) tem um importante papel na história da preservação da memória e do patrimônio ferroviário nacional. Cenário ideal para sediar o Encontro Paulista de Museus, Memória Ferroviária e Paisagens Culturais, que acontece no dia 25 de outubro, às 9h, no Centro de Exposições Luís Carlos.

Os interessados em participar do evento têm até o dia 21 para efetuar sua inscrição pelo site do Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), no link https://cem.sisemsp.org.br/.

Realizado com o objetivo de promover a preservação e difusão da memória ferroviária paulista, o Encontro, realizado pelo SISEM-SP, instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo em parceria com a Prefeitura Municipal de Guararema, contará com programação diversificada e instrutiva, tendo a cidade como um case de sucesso em termos de preservação da memória e do patrimônio ferroviário no estado.

A cidade teve uma estação bastante movimentada pelo transporte de cargas e de pessoas entre 1876 e a década de 1970 e realizou um amplo projeto de restauração e conservação de patrimônio: restaurou sua Estação Central, a Estação de Luis Carlos, revitalizou a Vila de Luis Carlos e realizou toda a infraestrutura adequada para a implantação do Passeio Turístico e Cultural de Maria Fumaça. Desde o dia 16 de outubro de 2015, começou a oferecer passeios no “Trem de Guararema”, a emblemática Locomotiva a Vapor 353, que passou a ser a maior maria-fumaça movida a vapor em operação no país e é, carinhosamente, chamada de Velha Senhora.

O trecho de ferrovia é feito pela composição, com três carros de madeira fabricados na Inglaterra entre 1896 e 1937 e um carro Caboose panorâmico fabricado em 1973, que percorre o trecho entre a Estação Central de Guararema e a Vila Luis Carlos, num passeio com duração total de duas horas.

A locomotiva voltou aos trilhos com a proposta de preservação ferroviária, resgate histórico e cultural, além de fomento ao turismo cultural. O projeto, que envolveu a Prefeitura, tendo a parceria da ABPF – Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, a MRS Logística e a participação de órgãos públicos federais é um case de sucesso e modelo de projeto para outros municípios.

A Assessora Geral de Gabinete da Prefeitura Municipal de Guararema e Secretária Executiva da Frente Parlamentar de Preservação da Memória e do Patrimônio Ferroviário, Sandra Regina Olivieri teve participação ativa desde o início do projeto e conta um pouco sobre todo o processo que envolveu sua realização.

SISEM-SP – Como foi esse processo de implantação do projeto?

O Passeio da Maria Fumaça entre a Estação Central de Guararema e Luis Carlos era um sonho antigo da população local. Em 2009, o então Prefeito Marcio Alvino, priorizando o projeto, contratou a ABPF, maior especialista nesta área, para a realização de um Estudo de Viabilidade. Este estudo nos mostrou que o projeto era possível e quais seriam os passos que teríamos que seguir para sua realização: material rodante, infraestrutura ferroviária, reforma e adequação das estações e entornos e viabilidade operacional. Com escopo e cronograma definidos, e por se tratar de uma operação compartilhada, apresentamos o projeto à MRS Logística, concessionária responsável pela malha ferroviária do município. A MRS comprou o projeto e iniciamos o desenvolvimento das três etapas de nosso planejamento.

SISEM-SP – Como foi o início desse trabalho?

Sandra – A primeira fase consistia na Definição da Operação, Restauro do Material Rodante e Obras de Adequação na Estação Central e Entorno. Em 2010, um Chamamento Público para a Implantação do Passeio de Trem Turístico e Cultural de Guararema, elegeu a ABPF como operadora do projeto. Neste mesmo ano, foram iniciados os serviços de restauração da Locomotiva a Vapor 353 e dos três carros de passageiros que formam a composição ferroviária. Em 2011 foram iniciadas as obras na Estação Central: Casa da Máquina, Casa dos Carros, Pátio dos Ferroviários, Desvios e obras do entorno, bem como, todas as obras de melhoria e adequação da via férrea, exigidas pelas normativas da ANTT – Agência Nacional de Transporte Terrestre, obras estas realizadas pela MRS. Em Setembro de 2012,  um evento memorável e uma verdadeira volta ao passado marcaram o retorno à Guararema,  da Locomotiva a Vapor 353 – nossa Velha Senhora,  totalmente restaurada. Na mesma oportunidade, entregamos à população todas as obras da Estação Central. Estava finalizada a primeira etapa do projeto.

SISEM-SP – E quando começaram os trabalhos envolvendo Luis Carlos?

Sandra – Foi na segunda etapa do processo, que envolvia a restauração e adequação da Vila de Luis Carlos. A partir de um projeto conceituado com maestria, iniciamos em 2013, as obras de recuperação da Vila. Fizemos a restauração da Estação de Luis Carlos, a recuperação das fachadas dos casarios do bairro, da Igreja de São Lourenço e do entorno da Estação Ferroviária, a implantação do receptivo turístico, do Núcleo de Educação Ambiental (NEA), do centro de exposições, de uma estrutura de comércio típico local e de projeto de drenagem. Além disso, foi feita a implantação do sistema de esgotamento sanitário, do trevo de acesso à Vila na rodovia SP-66, reforma e ampliação da Escola Municipal e replantio em área de preservação ambiental. Em setembro de 2014, a Vila de Luis Carlos foi inaugurada. A homologação do projeto foi feita em agosto de 2014, com a vistoria final feita pela ANTT visando a emissão de autorização para o passeio. A outorga do passeio saiu em abril de 2015 e, finalmente, em outubro do mesmo ano, tivemos a realização do primeiro passeio regular de trem. Estamos falando de um projeto de grande complexidade, que exige planejamento, conceituação, viabilidade, definição e conhecimento claro das atribuições, governança e regras de todos os envolvidos, além de recursos, anuências e outorgas exigidas. Esta filosofia e forma de condução foram fundamentais para que pudéssemos contornar as questões mais críticas e as dificuldades encontradas no caminho. 

SISEM-SP – Por que o projeto é considerado um case de sucesso? Quais aspectos você destaca nesse sentido?

Sandra – O Trem de Guararema, como ficou conhecido o programa, é um projeto complexo que venceu muitas etapas até sua finalização. Foi conceituado de forma macro.  Pensamos e planejamos todas as necessidades e variáveis envolvidas. Tivemos a oportunidade de trilhar um caminho, no qual nos deparamos com todos os entes e vertentes do segmento ferroviário, o que foi enriquecedor para o processo, que envolveu operação compartilhada entre a Concessionária e a Associação de Preservação, única operação com este formado no Brasil. Foram necessários muitos projetos estruturantes para chegarmos ao resultado final e, hoje, sermos conhecidos no Brasil como um case e um exemplo de sucesso. Todas as etapas foram cumpridas com muito afinco e muita persistência. O segmento ferroviário é muito interessante a partir do momento em que desperta bons sentimentos nas pessoas. Todos têm uma história ligada a trens, é memória afetiva. Isso faz com que muitos municípios no Brasil idealizem o Trem Turístico e trabalhem arduamente para tirar seus projetos do papel. Nossa experiência tem sido importante para muitos municípios. Acredito que esta experiência contribui para encurtar o caminho da viabilidade.

SISEM-SP – Em um projeto tão complexo, as parcerias e mobilização de entidades públicas e privadas são fundamentais. E para isso, é preciso que todos tenham consciência da importância desse tipo de projeto.

Sandra – Exatamente, a concretização deste projeto somente foi possível graças às parcerias. O projeto foi construído tendo como base uma parceria sólida  entre a Prefeitura de Guararema que era responsável pela conceituação do projeto e o agente público condutor de todo o processo; a ABPF, responsável pelo estudo de viabilidade e por toda operação que envolve: comercialização, material rodante e manutenção e a MRS Logística que, como concessionária da via, promoveu a anuência do projeto,  foi parceira durante todas as etapas e, agora, no apoio à operação. A solidez desta parceria está pautada em um único objetivo, a preservação ferroviária. Respeito mútuo entre os parceiros considerando a missão, a cultura, os valores e a governança de cada um, asseguraram o êxito do projeto. A forma como o projeto foi viabilizado e realizado contribuiu para que outros parceiros, em diversas áreas, também se envolvessem neste projeto e seguissem conosco. Nosso município entende a parceria público privada como caminho seguro. Cada parceiro, dentro de seu escopo, cumprindo sua atribuição e focado em um único objetivo.

SISEM-SP – O Trem de Guararema trouxe inúmeros benefícios para a cidade, fale um pouco sobre eles.

Sandra – Foram seis anos desde a viabilidade até a concessão da outorga do passeio.  A população acompanhou este processo de perto e sente muito orgulho de tudo que foi feito para a recuperação desse patrimônio. Nosso povo valoriza a preservação de sua história, pois Guararema é uma cidade que teve seu desenvolvimento pautado na Estrada de Ferro e cresceu embalada na cadência de uma Maria Fumaça. A “Velha Senhora” circulou muito por nossos trilhos e o passeio de Maria Fumaça perpetua e assegura nossa história. Tornamos viável uma viagem ao passado e todo o encantamento que isso proporciona.  É um exemplo de ações de valorização e preservação de patrimônio histórico, notório em cada detalhe do trajeto e dos equipamentos. Uma das propostas que tínhamos quando o projeto foi concebido era a valorização de nossa história.  Atualmente, às sextas-feiras, os passeios são feitos pelas crianças, idosos e grupos de nosso município, são os chamados passeios sociais.  Quando alguém na melhor idade está a bordo de uma Maria Fumaça, revisita seu passado e percebe que nada foi esquecido e eles ainda pertencem a este lugar. Quando as crianças fazem o passeio aprendem, no mínimo, duas lições:  a bela história de Guararema, cidade na qual nasceram e vivem, e a importância de manter essa história viva para as todas as gerações.  Isso é aprender pertencimento. A segunda lição é o valor de ações de preservação da cultura e da conservação dos espaços e bens públicos. Duas lições essenciais na formação de cidadãos de bem.

Percurso de trem

Como parte da programação de recepção do evento, está previsto o percurso de sete quilômetros de trem da Estação Central de Guararema para a Estação Luis Carlos, mediante adesão dos participantes no ato da inscrição. O participante poderá optar também por comparecer diretamente ao Local do Encontro, no Espaço de Exposições “Engenheiro Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros”, localizado em Luis Carlos, com recepção organizada a partir das 9h, lembrando que o Encontro terá início às 10h.

SERVIÇO

Encontro Paulista de Museus, Memória Ferroviária e Paisagens Culturais

Inscrições: até 21 de outubro pelo site do SISEM-SP, no link https://cem.sisemsp.org.br/

Data: 25 de outubro de 2019

Horário: das 9h às 18h

Local: Espaço de Exposições “Engenheiro Luís Carlos da Fonseca Monteiro de Barros” (Estr. Municipal Argemiro de Souza Melo, s/nº, Luis Carlos, Guararema)

Mais informações sobre o evento e programação: www.sisemsp.org.br

Fonte: SISEM-SP