Governo de SP anuncia parceria para a criação do Polo Europeu do Museu da Língua Portuguesa em Coimbra

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, a Fundação Roberto Marinho e a Câmara Municipal de Coimbra assinaram, no sábado (dia 7), no Museu da Língua Portuguesa, o protocolo de intenções para a criação do Polo Europeu do Museu da Língua Portuguesa.

A assinatura aconteceu durante as comemorações pelo Dia Mundial da Língua Portuguesa, celebrado em 5 de maio. O objetivo da parceria é promover a difusão e a celebração deste idioma, língua nativa de 280 milhões de pessoas, o quinto mais falado no mundo. A cerimônia foi transmitida ao vivo simultaneamente no Brasil e em Portugal.

“O Museu da Língua Portuguesa não é apenas de São Paulo ou do Brasil, é de todo o mundo lusófono”, afirmou o secretário de Cultura e Economia Criativa, Sérgio Sá Leitão, que assinou o protocolo de intenções, com o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, José Manuel Monteiro de Carvalho e Silva (virtualmente) e o secretário geral da Fundação Roberto Marinho, João Alegria.

“Este acordo é o primeiro passo para a real e definitiva internacionalização da instituição, do seu conteúdo e da sua programação. Penso que, assim, iremos contribuir para uma valorização ainda maior do principal patrimônio cultural da lusofonia, a língua portuguesa.”

Sede de uma das mais antigas universidades da Europa, Coimbra é uma das mais importantes cidades de Portugal, no contexto cultural e histórico. Uma das ideias é que o Polo Europeu do Museu da Língua Portuguesa compartilhe propostas de novos conteúdos com a instituição do Governo de São Paulo Brasil.

A parceria firmada entre Governo de São Paulo, Câmara Municipal de Coimbra e Fundação Roberto Marinho, visa, ainda, promover a troca de experiências no desenvolvimento do museu em diversos segmentos, como arquitetura, museografia, curadoria, tecnologia, acessibilidade, educativo e comunicação.

“Estimar a diversidade da língua portuguesa, celebrá-la como elemento fundamental e fundador da cultura e aproximá-la dos falantes do idioma em todo o mundo representa um passo fundamental na afirmação de Coimbra como cidade do conhecimento e da cultura”, disse o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, José Manuel Silva.

“Com essa parceria, teremos a oportunidade de ampliar ainda mais as vivências em língua portuguesa em um espaço como o museu, onde todos os que falam português se encontram e se reconhecem na sua diversidade”, afirmou João Alegria, secretário geral da Fundação Roberto Marinho.

Reconstrução renovou conteúdo do Museu

O Museu da Língua Portuguesa foi devolvido reconstruído à população em 2021, após o incêndio que o atingiu em dezembro de 2015. Um dos primeiros museus totalmente dedicados a um idioma, instalado na cidade com o maior número de falantes de português no mundo, na histórica Estação da Luz, o Museu celebra a língua como elemento fundador da nossa cultura.

Por meio de experiências interativas, conteúdo audiovisual e ambientes imersivos, o visitante é conduzido a um mergulho na história e na diversidade do idioma falado por mais de 260 milhões de pessoas em todo o mundo.

O novo Museu manteve atrações consagradas, que marcaram o público em seus 10 anos de funcionamento (2006-2015), e apresentou novidades, como as novas instalações “Línguas do Mundo”, que destaca 23 das mais de 7 mil línguas faladas hoje no mundo; “Falares”, que traz os diferentes sotaques e expressões do idioma no Brasil; e “Nós da Língua Portuguesa”, que apresenta a língua portuguesa no mundo, com os laços, embaraços e a diversidade cultural da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Continuam no acervo as principais experiências, como a instalação “Palavras Cruzadas”, que mostra as línguas que influenciaram o português no Brasil e a “Praça da Língua”, espécie de ‘planetário do idioma’, que homenageia a língua portuguesa escrita, falada e cantada, em um espetáculo imersivo de som e luz.

A reconstrução do Museu da Língua Portuguesa é uma realização do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, e do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, concebida e realizada em parceria com a Fundação Roberto Marinho. A EDP é patrocinadora máster e os patrocinadores são Grupo Globo, Itaú Unibanco e Sabesp – todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O apoio é da Fundação Calouste Gulbenkian.

Fonte: Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo