Espaço Memória Carandiru exibe documentos e trabalhos artísticos que narram a história do trágico presídio

Localizada no Parque da Juventude, a instituição busca ser um centro de referência sobre o antigo complexo penitenciário

Presente na 12ª edição do Encontro Paulista de Museus, a sessão “Experiências Museológicas” é uma das ações que traz instituições e grupos de pesquisa a contarem suas experiências museológicas inspiradoras e com potencial de promover discussões dentro da comunidade museal.

O Espaço Memória Carandiru foi criado com o objetivo de preservar a memória dos moradores do antigo Complexo Penitenciário Carandiru a partir de informações históricas, sociais e culturais organizadas em exposições permanentes e temporárias.


Vamos saber mais?
Localizado dentro do Parque da Juventude, lugar onde se encontrava o Complexo Penitenciário Carandiru, o Espaço Memória Carandiru divide espaço com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo e com as Escolas Técnicas Estaduais (ETECs) Parque da Juventude e das Artes. Em suas atividades, o espaço busca ser um centro de referência em questões referentes ao antigo complexo penitenciário valendo-se de sua história e da preservação das relações daqueles que um dia habitaram aquele local.

A inauguração do espaço aconteceu em 2018 com a exposição “Sobre Vivências – Os Últimos Anos do Carandiru” da fotógrafa Maureen Bisilliat, um conjunto de registros que posteriormente foi doado o acervo da instituição cultural. A mostra expôs objetos e fotografias que servem como documentos sobre os últimos anos do presídio do Carandiru, além de exibir um documentário com relatos de diretores, funcionários, detentos e familiares sobre os esforços para a conquista de uma vivência digna dos presidiários.

O acervo e as exposições temporárias podem ser visitados pelo público por meio de agendamento no site.

Laboratório do curso Técnico de Museologia

O espaço abriga ainda o laboratório de práticas museológicas do curso técnico de Museologia da ETEC. No laboratório, os alunos estudam: as histórias do bairro Carandiru e do complexo penitenciário; a criação do Parque Juventude; e a trajetória do Espaço Memória Carandiru.

As tarefas desenvolvidas pelos alunos envolvem atividades práticas de documentação, como a realização de inventário, catalogação, conservação a partir do acervo do Espaço Memória Carandiru.

Mais informações você encontra no site: etecpj.com.br/memoria/