EPMi Campinas atraiu representantes de 27 municípios

Programação teve conferência sobre os desafios da gestão de um museu de médio porte, bem como apresentação de painéis e oficinas

O Encontro Paulista de Museus itinerante (EPMi Campinas), realizado no Sesc, nos dias 23 e 24 de abril, pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a ACAM Portinari, Organização Social de Cultura, contou com a participação de representantes de 27 municípios de São Paulo.

O objetivo do encontro é debater assuntos relacionados a infraestrutura, segurança, gestão e governança de museus, além de estimular a troca de experiências entre os profissionais que atuam na área.

A agenda do primeiro dia, dedicada a conferência e mesas de discussão, foi aberta pelo gerente do Sesc, Hideki Yoshimoto, que destacou o trabalho da instituição e a importância de parcerias com eventos como o EPMi Campinas. Participaram da abertura a diretora executiva da ACAM Portinari, Angelica Policeno Fabbri, o diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP, Davidson Kaseker e a coordenadora de Museus de Campinas, Maryangela Biason, representando o Secretário Municipal da Cultura, Claudiney Rodrigues Carrasco.

Representantes de municípios da macrorregião envolvida na organização do evento (Pedreira, Limeira, Itu, São José do Rio Pardo, Itapeva, Santana de Parnaíba, Capivari, Rio Claro, Jarinu, São Bernardo do Campo, Americana, Itapira, Paulínia, Socorro, Itatiba, Hortolândia, Serra Negra, Piracicaba, Indaiatuba, Salto, Atibaia e Barueri), assim como de outras regiões do Estado, como Itanhaém, Sorocaba, Peruíbe e Praia Grande, prestigiaram o evento.

“Os desafios da gestão em um museu federal de médio porte: O Museu do Ouro em Sabará/MG” foi o título da conferência de abertura, reverberando o tema “gestão e governança” tratado no evento. Paulo Nascimento, diretor do Museu do Ouro desde 2018, falou sobre o diagnóstico inicial e os ajustes necessários no início da nova gestão, bem como seu cotidiano à frente da instituição e sua relação com os funcionários e os demais atores locais, além dos projetos para o futuro.

Os painéis “Infraestrutura e segurança” e “Gestão e governança”, foram ricos em relatos e exemplos de ações desenvolvidas na macrorregião. O primeiro contou com apresentações de Lilian Vogel, do Museu Municipal João Batista Conti; Ana Carolina Ávila, da ACAM Portinari, que falou de ações desenvolvidas em museus de Limeira e Amparo; Mirza Pellicciota, historiadora e o arquiteto Fábio di Mauro, que trataram de ações relativas à conservação do patrimônio histórico edificado, e teve a mediação de Renata Gava, representante regional Piracicaba do SISEM-SP. Já o segundo painel contou com João Paulo Berto, do Museu Eclesiástico da Diocese de Limeira, que falou sobre o projeto de inventário participativo; os museólogos Nilo Almeida e Karina Muniz Vianna, o primeiro falando de uma proposta de gestão compartilhada de acervos de instituições museológicas de Santo André, e a segunda sobre a metodologia de elaboração para uma proposta de plano de gestão para museu; e mediação de Mayra Guzman, também representante regional do SISEM-SP.

“A partir das experiências apresentadas durante todo o dia, os participantes do encontro puderam perceber que os problemas enfrentados nas instituições, sejam de esferas municipais, estaduais ou federais são muito similares, inclusive, no que se refere à questão de equipes reduzidas, uma das maiores dificuldades encontradas na área”, diz Davidson Kaseker.

A programação contou ainda com a fala do coordenador da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Antônio Thomaz Lessa Garcia Júnior, que ressaltou o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Secretaria no campo museal.

O segundo dia do EPMi Campinas foi inteiramente dedicado a três oficinas: “CEM-SP: gestão de segurança de acervo”, com Ana Carolina Xavier Ávila e Michael Argento (ambos da equipe ACAM Portinari); “Desenvolvimento de projetos culturais”, com o consultor André Fonseca; e “Rotinas de manutenção em museus”, com Denis de Blasiis, da Fundação Energia e Saneamento.

De acordo com Kaseker, as oficinas foram especialmente pensadas para atender às necessidades dos profissionais de museus da região. “Os participantes foram apresentados a situações práticas do cotidiano dos museus, podendo assim refletir sobre suas rotinas profissionais e qualificar suas atuações”, finaliza Kaseker.

Fonte: SISEM-SP