Encontro Paulista de Museus itinerante Oeste é realizado em Bauru

Evento gratuito aconteceu no Sesc e contou com atividades relacionadas à gestão, governança, infraestrutura e segurança em museus

Nos dias 28 e 29 de agosto, Bauru recebeu, pela primeira vez, o Encontro Paulista de Museus itinerante (EPMi), evento gratuito realizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, e pela ACAM Portinari Organização Social de Cultura. Conferências, painéis e oficinas relacionadas à gestão, governança, infraestrutura e segurança em museus fizeram parte da programação do Encontro, que ocorreu no Sesc.

No primeiro dia do EPMi Oeste, o supervisor de Museologia e Acervos do Museu da Cidade de São Paulo, Maurício Rafael, proferiu a conferência “A importância dos instrumentos de gestão para o desenvolvimento da cadeia operatória museológica”.

Em seguida, foram apresentados dois painéis. O primeiro, “Infraestrutura e segurança”, com mediação de Fábio Grossi dos Santos (Representante Regional do SISEM-SP) e participação de Alex Sanches Gimenez, que falou sobre o processo de acondicionamento, higienização e conservação do acervo do Museu Ferroviário de Bauru; Luiza Barbosa, que abordou a recuperação e restauro de obras do acervo da Pinacoteca de Bauru e Carlos Henrique Marcelino, que falou sobre a implantação do Museu de Arte Primitivista de Assis e a gestão do espaço ocupado pela instituição.

Fábio Grossi também mediou o painel “Gestão e governança”, que contou com os participantes Luana Gonçalves Vieira da Silva, que falou sobre o plano museológico do Museu Municipal de Descalvado e Jade Luiza de Sales da Maia, que abordou o projeto de ação educativa relacionando o acervo do Museu de Arte Primitivista e o fundo de arquivo presente no Centro de Documentação da Unesp-Assis.

Oficinas

O segundo e último dia do EPMi Oeste foi inteiramente dedicado a três oficinas gratuitas, todas das 9h30 às 17h.

“Rotinas de manutenção em museus”, com Denis de Blasis (Fundação Energia e Saneamento), apresentou a importância da manutenção preventiva e permanente das edificações onde funcionam os museus, compreendendo os diferentes tipos de ações que são realizadas e o planejamento necessário para que ocorram de forma correta e segura.

A oficina “CEM-SP: gestão de segurança de acervo”, com Bárbara Rodrigues Paulote e Michael Argento (ambos da equipe ACAM Portinari”, apresentou o Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) e seus parâmetros, tendo como ênfase os itens que dizem respeito, diretamente, à segurança dos acervos.

O consultor André Fonseca comandou a atividade “O design de experiência como estratégia de aproximação dos públicos”, criada a partir de um cenário em que a era digital vem alterando significativamente os modos de desenvolvimento de uma ação cultural e os comportamentos e hábitos dos públicos, cada vez menos espectadores e mais cocriadores. Dentro desse cenário, a questão da “experiência” torna-se fundamental para se pensar a comunicação e as relações com o público.

Cada uma das oficinas ofereceu 30 vagas gratuitas.