Encontro Paulista de Museus itinerante atraiu 560 profissionais nas seis edições realizadas no Estado

Programação gratuita contemplou atividades relacionadas à gestão, governança, infraestrutura e segurança em museus

Em 2019, o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a ACAM Portinari, Organização Social de Cultura, realizaram, pela primeira vez, uma série de Encontros Paulistas de Museus itinerante (EPMi) em seis macrorregiões do Estado.

Realizados em unidades do Sesc, os encontros tiveram a participação de 560 pessoas. As três oficinas gratuitas disponibilizadas nos EPMis contaram com a presença de 287 profissionais da área museológica.

A ideia de criar a versão itinerante do Encontro Paulista de Museus (EPM) surgiu após a análise dos dados sobre as inscrições realizadas nos EPMs no período de 2011 a 2017 – o evento sempre foi realizado na Capital.  Os organizadores observaram que, do total de inscritos, 65% provinha da Região Metropolitana de São Paulo. Assim, para atingir um público de profissionais de museus de forma mais abrangente, em termos geográficos, o EPMi foi criado.

Para contemplar todo o território paulista, foram concebidas seis macrorregiões: Nordeste, Noroeste, Campinas, Vale do Paraíba e Litoral, Sudoeste e Oeste. Ao longo do ano, cada uma das macrorregiões recebeu um EPMi.

O primeiro foi realizado em Ribeirão Preto (EPMi Nordeste), seguido por Campinas (EPMi Campinas), Birigui (EPMi Noroeste), Bauru (EPMi Oeste), Sorocaba (EPMi Sudoeste) e São José dos Campos (EPMi Vale do Paraíba e Litoral).

Assim como nas últimas duas edições do EPM, temas que servem de base dos parâmetros do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) nortearam as atividades dos EPMis, com questões relacionadas a infraestrutura, segurança, gestão e governança.

Além da itinerância, outro diferencial dos EPMis foi o maior envolvimento e autonomia concedidos aos representantes regionais do SISEM-SP. A definição de palestrantes, por exemplo, passou pelas indicações das representações regionais, que também se encarregaram de entrar em contato com profissionais da área de cultura, patrimônio cultural e museus, convidando-os a participar do evento.

A partir de agora, ficou definido que o EPMi será realizado nas macrorregiões em anos ímpares e nos anos pares, acontecerá o EPM, em São Paulo (Capital), ampliando o ciclo de discussões ao redor de um tema.

“Ficamos muito satisfeitos com o resultado do evento, que em seu primeiro ano de realização, teve um comparecimento expressivo do público e uma participação intensa das representações regionais nos preparativos do evento. Pelo retorno obtido tivemos a confirmação de que, realmente, esta era uma demanda do setor e a itinerância facilitou a participação de mais pessoas”, afirma Davidson Kaseker, diretor do Grupo Técnico do SISEM-SP.

Fonte: SISEM-SP