Encontro Paulista de Museus: dez anos ininterruptos de conquistas

Criado em 2008 como parte de ampla reestruturação do SISEM-SP, evento contribui para fortalecer e qualificar as instituições museológicas paulistas

O Encontro Paulista de Museus (EPM), organizado pelo Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria da Cultura do Estado em parceria com a ACAM Portinari, completa uma década de história em 2018. Esta trajetória ininterrupta resulta da soma dos esforços de muitos agentes ligados ao setor, que vislumbraram, com a criação do evento, uma oportunidade de fortalecer e qualificar ainda mais as instituições museológicas paulistas.

A criação do EPM está intimamente ligada a um período de reestruturação pelo qual passou o SISEM-SP, que buscava, então, intensificar a participação dos museus espalhados por todo território do Estado em sua dinâmica de trabalho.

Para isso, o EPM foi elaborado para reforçar uma das linhas de trabalho do SISEM-SP: a articulação. “A criação de um evento periódico no calendário dos museus do Estado, dedicado às trocas e encontros, fazia sentido para que se fomentasse também os laços entre os profissionais e gestores de museus”, observa do responsável pela coordenação da programação do 10EPM, Luiz Mizukami. Assim, o evento alinhava-se a outras iniciativas articuladoras, como a reestruturação do Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM-SP), a criação das Representações Regionais e a elaboração do Diagnóstico dos Museus do Estado de São Paulo.

Parcerias e expansão

Outra estratégia praticada desde a primeira edição foi a construção de parcerias com instituições nacionais e internacionais. Tal caminho, além de ampliar a variação do alcance temático do evento, auxiliou na promoção do EPM além das fronteiras das instâncias governamentais e a validação do mesmo em círculos museológicos mais amplos.

Assim, colaboraram com o evento ao longo dos anos o Centro Cultural de Espanha (CCE-SP), presente nos três primeiros EPMs; o British Council Brasil, participante da 5ª à 8ª edição; e os consulados da Alemanha e França, durante o 9EPM. Eventualmente, também houve apoio da Fundação Bienal de São Paulo, MAM-SP, Museu Afro Brasil, Escola de Música de São Paulo Tom Jobim, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Sala São Paulo e Sesc-SP.

Com o passar dos anos, além da programação especial, outros eventos foram integrados aos EPMs, dando ainda mais corpo e abrangência ao evento, tais como os encontros de prefeitos e secretários municipais de Cultura; eleições de representantes regionais e COSISEM-SP; visitas técnicas a museus da capital; mesas expositivas com fornecedores do setor museológico; e a instauração dos Painéis Digitais – apresentações em formato digital exibidas em televisores espalhados pelo local do evento com projetos desenvolvidos pelos museus paulistas relacionados à temática de cada edição.

Também significativa foi a celebração dos 30 anos do SISEM-SP durante o 8EPM. Para Mizukami, a marca celebra o mais longevo ato de política pública para o setor museológico no país. “O SISEM-SP é o primeiro sistema de museus criado no Brasil, antes mesmo que o Sistema Nacional de Museus, descontinuado no governo Collor. Além de ter sido o primeiro, é também o único com atuação contínua desde sua criação”.

Cadastro Estadual de Museus

A 8ª edição do encontro marcou ainda o lançamento de um dos mais importantes feitos da história do SISEM-SP: o lançamento do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) – na ocasião, em fase experimental, restrito aos museus da Baixada Santista.

A ferramenta, posteriormente aberta à participação de todas as instituições museológicas paulistas em junho do ano passado, durante o 9EPM, estabelece padrões normativos e sistematiza as informações sobre os museus paulistas, a fim de identificar as condições estruturais dos mesmos e auxiliá-los em busca de qualificação.

O CEM-SP é tão importante que os eixos que sustentam os parâmetros do cadastro serviram como base para definir os temas apresentados no 9º, 10º — e também futuros EPMs. “O Encontro Paulista de Museu passa, assim, a se inserir numa lógica de reforço à qualificação dos museus em torno dos parâmetros do CEM-SP”, revela o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Em 2018, O EPM, além de comemorar os 10 anos de atividades, celebra o retorno do evento à sua tradicional casa, agora completamente restaurada: o Memorial da América Latina, que havia sediado todas as edições do encontro até o incêndio, em 2013.

Futuro

Todos estes anos de trabalhos, lutas e conquistas deram ao evento dimensão e grande visibilidade no cenário museológico, ampliando responsabilidades e o protagonismo em ações do setor.

“Hoje, além de ser o maior evento do setor museológico paulista, em número de inscritos, o EPM tem a mesma capacidade de público do Fórum Nacional de Museus – que acontece a cada dois anos. Para o futuro, além do fortalecimento dos laços entre profissionais e interessados em museus, seguiremos com os debates tendo o CEM-SP como base e também na estruturação de propostas para uma política cultural específica para o setor museal”, completa Kaseker.

SERVIÇO

10º Encontro Paulista de Museus
Onde: Memorial da América Latina
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda – São Paulo/SP
Quando: 18 a 20 de julho
Informações: (11) 3339-8208
www.sisemsp.org.br

Fonte: SISEM-SP