Diálogo entre arte e fotografia é objeto de exposição em São Paulo

São Paulo – Um diálogo entre arte e fotografia. Essa é a proposta da exposição Fronteiras Incertas, que pode ser conferida até o 27 de julho de 2014, no Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP). Foram selecionadas 120 obras do acervo do museu, datadas a partir da década de 1970, que expressam um período histórico efervescente entre artistas e fotógrafos com as possibilidades de ampliação da fotografia para além do seu aspecto bidimensional. Começava-se a explorar outros suportes, como objetos, livros e instalações.

“O título da exposição aponta para o início dessa hibridação que ocorre historicamente a partir dos anos 1970, mas que hoje é bastante presente na arte contemporânea, basta ver as exposições que a gente encontra no circuito”, explica Helouise Costa, curadora da mostra. Ela desenvolveu um trabalho de pesquisa que analisou a entrada da fotografia como arte nos museus. “Fiz um estudo sobre as primeiras fotografias que entraram no acervo do MAC e que mostram um caráter experimental muito acentuado naquele momento”, disse.

A exposição foi organizada a partir das fotos do anos 1970, mas também mostra aquisições recentes do museu, até 2010, além de obras que pertencem à coleção do extinto Banco Santos, e que, atualmente, estão sob a guarda do MAC. Em comum, elas trazem o resultado de um diálogo entre “técnicas e saberes, como pintura, escultura, fotografia, vídeo, cinema, teatro, literatura, jornalismo, moda, design, ciência e computação, para citar apenas algumas entre múltiplas possibilidades”, explica a curadora.

Embora a curadoria não destaque uma obra ou artista específico, tendo em vista que não é esse o objetivo da mostra, um conjunto de 38 fotos polonesas, que foram expostas pela primeira vez no MAC em 1974, devem chamar a atenção do público. “Desde a entrada [da obra Fotografia Experimental Polonesa] no acervo, ela nunca mais foi exposta por problemas de conservação”, explica Helouise Costa. Segundo ela, naquele tempo não havia preocupação com questões de conservação e muitas delas ficaram comprometidas devido ao suporte ou por causa da utilização de colas inapropriadas.

“Fizemos um projeto de restauração e agora elas estão colocados para visitação pública pela primeira vez depois dos anos 1970. Elas trazem uma perspectiva nova para a gente pensar o que era exposto naquele momento em São Paulo e as possíveis relações e referências que esse trabalho pode nos permitir observar na produção contemporânea”, disse a curadora. Também serão contemplados trabalhos de artistas como Waldemar Cordeiro, Claudia Andujar, Misha Gordin, Mario Cravo Neto e David Hockney, entre outros.

A exposição Fronteiras Incertas: Arte e Fotografia no acervo do MAC-USP pode ser visitada, gratuitamente, às terças-feiras, das 10h às 21h, e de quarta-feira a domingo, das 10h às 18h. O MAC fica na Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301.

Fonte: EBC