10EPM: Entrevista com o procurador da República, Sérgio Suiama

Polêmica em torno do fechamento da exposição “Queer Museum” foi debatida pelo representante do Ministério Público Federal

Participante da mesa “Desafios éticos contemporâneos para museus”, parte da programação do primeiro dia de atividades do 10º Encontro Paulista de Museus (10EPM), o procurador da República, Sérgio Suiama, foi um dos autores da Nota Técnica referente à liberdade artística em face do direito de crianças e adolescentes – publicada por ocasião da polêmica referente ao “Queer Museum”.

Na entrevista a seguir, ele aponta, em resumo, quais são os desafios éticos enfrentados hoje pelos museus e quais ainda estão por vir.

Ocorrido de 18 a 20 de julho, no Memorial da América Latina, o 10EPM foi uma realização do Sistema Estadual de Museu (SISEM-SP) e ACAM Portinari.

SISEM-SP: Quais são os desafios éticos contemporâneos para museus?

Sérgio Suiama: Creio que são muitos. Em minha intervenção, busquei analisar o fechamento precoce da exposição “Queer Museum: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira”, um caso em que o Ministério Público Federal atuou buscando defender a liberdade de expressão artística sacrificada pela atuação de grupos contrários à exibição.

SISEM-SP: Quais debates éticos ainda precisam ser feitos nos museus? Que papel os museus podem exercer socialmente para essa discussão?

Sérgio Suiama: Os artistas e museus que trabalham com temáticas potencialmente incômodas estão expostos a formas difusas de violência social, agravadas, nos tempos atuais, pela crescente incapacidade de diálogo e de reflexão crítica. Neste cenário, há um risco grande de censura e autocensura a produções culturais. Há um clima de medo e insegurança, que somente pode ser vencido com informação adequada e coragem para enfrentar a atual onda reacionária, fundada na exploração política de pautas morais e na difusão do pânico social.