SISEM-SP revela números da fase piloto do Cadastro Estadual de Museus

Balanço foi apresentado no Dia Internacional dos Museus, durante 1º Encontro de Museus da Baixada Santista

 

O Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), órgão ligado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, divulgou o resultado da fase piloto do Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP). O balanço foi apresentado quinta-feira (18), Dia Internacional dos Museus, durante o 1º Encontro de Museus da Baixada Santista, no Museu Pelé, em Santos. A avaliação dos organizadores é que o sistema foi bem aceito pelas instituições públicas e privadas interessadas e está apto para ser aplicado em todo Estado.

Das 19 instituições museológicas da Baixada Santista, já mapeadas em 2010 pelo SISEM-SP, 15 inscreveram-se no CEM-SP. Destas, quatro foram aprovadas; três estão em análise; outras três foram indeferidas; e cinco estão em processo. A fase piloto do cadastro foi lançada em junho do ano passado e teve a Baixada Santista como base pela quantidade e diversidade de museus sediados na região.

De acordo com o diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP, Davidson Kaseker, a fase de testes do CEM-SP foi oportuna para a realização de ajustes metodológicos e estruturais necessários para a ampliação do projeto para todo Estado. “Foi grande o interesse dos museus da Baixada Santista em se cadastrarem e a procura ocorreu dentro do ritmo que esperávamos; nosso objetivo é que o mesmo aconteça ao abrirmos o sistema a todas as demais instituições paulistas”, observou o diretor.

O CEM-SP estará disponível para todo Estado a partir de 19 de junho. Para se inscrever, a instituição deve acessar o site do SISEM-SP (www.sisemsp.org.br), enviar o termo de adesão e preencher o instrumento de qualificação cadastral. A aprovação do registro estará sujeita ao atendimento de parâmetros técnicos e será realizada por ordem de inscrição. É por meio dos dados a serem levantados pelo cadastro que serão formuladas as políticas públicas para o setor.

Poderão se cadastrar os equipamentos culturais caracterizados como instituições permanentes, sem fins lucrativos, que preservem e divulguem acervos culturais materiais ou imateriais em espaços abertos ao público para finalidade de estudo, pesquisa, educação e fruição, contando com quadro de pessoal para seu funcionamento.

Fonte: SISEM-SP | Assessoria de Imprensa | SEC