SISEM-SP REALIZA MAIS VISITAS TÉCNICAS E CEM-SP AVANÇA EM RETOMADA DE ATIVIDADES PRESENCIAIS

O Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP) retomou a realização das visitas técnicas do Cadastro Estadual de Museus-SP no segundo semestre de 2021. Com o avanço constante da imunização da população paulista e a retomada das atividades presenciais, a fila de processos cadastrais básicos que aguardavam a aferição para serem finalizados voltou a andar.

A visita técnica de aferição é sabidamente um dos momentos mais importantes do CEM-SP. É quando as instituições recebem presencialmente a equipe do SISEM-SP para a verificação das informações do Instrumento de Qualificação Cadastral Básico (IQC Básico) e um assessoramento técnico personalizado feito especificamente para sua realidade.

No último quadrimestre do ano (de setembro a dezembro), o SISEM-SP e a ACAM Portinari, Organização Social de Cultura que apoia o desenvolvimento e manutenção do Cadastro, realizaram 12 visitas técnicas de aferição. As atividades percorreram os municípios paulistas de São Paulo, Atibaia, Caçapava, Guaratinguetá, Jacareí, Praia Grande, Santos, São Manuel e São Pedro.

Somadas às quatro visitas técnicas realizadas em agosto, o CEM-SP conseguiu dar andamento a 16 processos cadastrais básicos.

Em 2022, o SISEM-SP procurará ampliar o fluxo de visitas técnicas no intuito de zerar a fila de visitas técnicas represadas em virtude da pandemia de covid-19.

Confira abaixo a galeria de imagens com alguns registros das visitas técnicas realizadas pelo SISEM-SP no período:

O que são as visitas técnicas do CEM-SP?

São ações realizadas pelo Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC/SISEM-SP), em parceria com a Organização Social de Cultura ACAM Portinari. As visitas técnicas permitem que as equipes verifiquem presencialmente as informações coletadas no IQC Básico e tirem eventuais dúvidas.

Como resultado direto da visita técnica de aferição, as instituições que aderem ao CEM-SP recebem dois documentos considerados estratégicos para a qualificação dos museus paulistas: o relatório técnico (relacionado diretamente aos parâmetros cadastrais do CEM-SP) e o relatório situacional (relacionado à análise situacional de cenário institucional).

Durante a visita técnica de aferição também é feita a atividade de análise situacional, que servirá de base para o relatório situacional. Enquanto durar a pandemia do novo coronavírus, a instituição poderá optar por realizá-la remotamente por meio do preenchimento de um formulário digital.

Outra importante função da visita técnica é auxiliar o Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM), responsável por deliberar o cadastramento dos museus paulistas, por meio da coleta e sistematização de informações complementares que constituem os relatórios técnico e situacional. Esses dados balizam também a elaboração do Checklist do Relator, um documento complementar que sintetiza os parâmetros atendidos ou não pela instituição cadastrante.

O que devo fazer para minha instituição receber uma visita técnica do SISEM-SP?

Antes de qualquer coisa, é necessário que a instituição preencha e submeta um IQC Básico. Após a submissão, a direção do GTC SISEM-SP selecionará um parecerista (um membro do próprio Grupo Técnico de Coordenação) e um assistente (que integra a equipe da Organização Social de Cultura ACAM Portinari).

Em seguida, o assistente técnico contatará o profissional responsável pelas informações do museu no CEM-SP para o agendamento da visita técnica. Por isso, é muito importante atentar sempre aos dados de contato da instituição e do usuário responsável, sobretudo e-mail e telefone; será feita por eles a formalização da visita técnica e todos os demais contatos necessários durante o processo cadastral.