SISEM-SP intensificou visitas técnicas do CEM-SP no primeiro bimestre de 2021

O Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, iniciou 2021 com a intensificação das visitas técnicas aos museus inscritos no Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP). Nos meses de janeiro e fevereiro, seis instituições foram visitadas por integrantes do Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus (GTC SISEM-SP) pela primeira vez: Museu da Pessoa (São Paulo),Centro de Cultura e Memória Expedicionários Mogianos (Mogi das Cruzes), Museu da Inclusão (São Paulo), Museu Histórico Professora Guiomar Pinheiro Franco (Mogi das Cruzes), Pinacoteca de Mogi das Cruzes e Instituto Histórico e Geográfico de Santos.

Outras oito instituições receberam a visita de renovação, já que completaram mais de dois anos de inclusão no cadastro:Fundação Cultural Ema Gordon Klabin (São Paulo), Museu de Arte Sacra de Santos (Santos), Museu Pelé (Santos), Memorial das Conquistas Milton Teixeira (Santos),Museu da Cidade de Salto “Ettore Liberalesso”,Museu de Arte Sacra de São Paulo,Museu de Pesca (Santos)eMuseu Histórico da Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande (Guarujá).

Para otimizar os trabalhos, foram realizadosdois mutirões para a Baixada Santista, que aconteceram nos dias 12 de janeiro e 02 de fevereiro. A partir do mês de março, as visitas estão temporariamente suspensas devido às restrições impostas pelo Governo no combate à pandemia da Covid 19.

CEM-SP – Criado pelo SISEM-SP, em parceria com a ACAM Portinari, o CEM-SP foi oficialmente constituído em junho de 2016 pela resolução SC/59 2016, embora as discussões para a sua elaboração tenham começado dois anos antes com reuniões de Grupos de Trabalho a fim de estabelecer as diretrizes desta nova política pública.

O CEM-SP foi lançado com o objetivo de estabelecer padrões normativos para o setor museológico e sistematizar as informações sobre os museus em território paulista, identificando suas condições estruturais e atuando de forma dialógica para sua qualificação. Por meio do Cadastro, o SISEM-SP também atua em cooperação técnica com o Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), de forma que todas as instituições cadastradas têm suas informações automaticamente compartilhadas e inseridas no Registro Nacional de Museus (RNM).

O preenchimento do cadastro é feito pelo link https://cem.sisemsp.org.br. Cada uma das etapas e seus diferentes parâmetros foram pensados para auxiliar o museu a fazer um diagnóstico completo de sua própria estrutura, identificar carências e desenvolver estratégias de qualificação. Profissionais do SISEM-SP e ACAM Portinari acompanham de perto cada um dos avanços. O COSISEM atua como instância deliberativa no processo de cadastramento do CEM-SP.

Balanço do CEM-SP – Atualmente, das 258 instituições que criaram perfis na plataforma ADA, 121 enviaram ou estão em fase de preenchimento do Instrumento de Qualificação Cadastral (IQC) Básico e 131 relatórios foram produzidos ou estão em fase de produção. Também foram contabilizados 26 IQCs Níveis preenchidos ou em preenchimento e oito instituições concluíram o processo passando pela deliberação do COSISEM.

“O gradativo aumento de adesões é um resultado bastante positivo que contribui para a consolidação do Cadastro Estadual de Museus de São Paulo e sua plataforma digital como um dos principais instrumentos de políticas públicas do Sistema. Ao aderir ao CEM-SP, os museus recebem orientações técnicas que permitem a elaboração de um planejamento estratégico voltado para o fortalecimento institucional”, diz Davidson Kaseker, diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC/SISEM-SP).

Adesão – Para aderir ao CEM-SP, é necessário acessar o Sistema de Gerenciamento de Dados (https://cem.sisemsp.org.br), criar um login e cadastrar a instituição. Em seguida, preencher o Instrumento de Qualificação Cadastral Básico (IQC Básico), que corresponde ao formulário inicial do CEM-SP.

Depois do preenchimento, o GTC SISEM-SP entrará em contato e agendará uma visita técnica de aferição. Após a visita técnica, há a análise de todas as informações coletadas e a apresentação do processo cadastral ao COSISEM.

Podem aderir ao CEM-SP, sem nenhum ônus, as instituições culturais que se dedicam em caráter permanente e sem fins lucrativos à preservação e divulgação de acervos culturais materiais ou imateriais em espaços abertos ao público para finalidade de estudo, pesquisa, educação e fruição, contando com quadro de pessoal para seu financiamento.

Para saber mais sobre o CEM-SP, acesse https://cem.sisemsp.org.br ou o link com vídeos tutoriais sobre o funcionamento da Plataforma do Cadastro Estadual de Museus.