Conheça a ferramenta de públicos mensais de museus cadastrados no CEM-SP

Dados gerados a partir das informações de público e visitação proporcionam que o SISEM-SP desenvolva políticas públicas que visem a ampliação e diversificação dos visitantes

As instituições que aderem ao Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), tanto as que foram deferidas como as que estão em processo de estruturação museológica, após a conclusão do processo cadastral básico devem preencher informações mensais de público visitante.

Esse é um compromisso assumido no Termo de Adesão ao CEM-SP que os participantes devem aceitar para continuar o processo cadastral básico.

As informações de público e visitação são fundamentais para que o Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, obtenha um cenário realista sobre os serviços prestados pelas instituições museológicas paulistas.

“É com estes dados que o Sistema Estadual de Museus pode desenvolver diagnósticos das principais características dos públicos de museus no Estado, desenvolvendo políticas públicas que visem a ampliação e a diversificação dos visitantes”, afirma o diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP, Davidson Kaseker.

Todos os meses, o SISEM-SP envia um e-mail automático para as instituições e lembra os usuários da necessidade de realizar o preenchimento das informações de público referentes ao mês anterior.

Michael Lopes Argento, assistente de Ações Técnicas da ACAM Portinari, explica que por meio da plataforma também é possível fazer a atualização retroativa das informações. “Isso pode ser feito até o mês de janeiro do ano em vigência, levando em consideração que o resultado final da deliberação de um processo cadastral poderá acontecer em qualquer época do ano”, comenta.

Dentre os segmentos de público solicitados pelo SISEM-SP no levantamento, além do público visitante total, estão os públicos escolares provenientes de escolas particulares, municipais, estaduais e federais.

O usuário também deverá informar quais as metodologias de controle de visitantes foram aplicadas para a realização da contagem, que poderão ser canhoto de bilhete vendido e/ou distribuído, livro de registros e/ou assinaturas, código de barras em ingresso vendido e/ou distribuído, contagem manual, distribuição de selos ou etiquetas, entre outros.

Para ajudar as instituições a atualizarem os dados de público, criamos um vídeo-tutorial. Confira:

CEM-SP

Criado pelo SISEM-SP em parceria com a ACAM Portinari, o CEM-SP foi lançado em meados de 2016 para sistematizar os dados do setor e auxiliar na qualificação dos museus paulistas e, até o final do primeiro trimestre de 2020, já contava com 200 instituições criadas na plataforma ADA, sendo que 64 já concluíram todos os processos de cadastramento.

Todas as informações sobre o CEM-SP estão disponíveis no site https://cem.sisemsp.org.br/.

Fonte: SISEM-SP