Conheça a ferramenta de orçamento anual de museus cadastrados no CEM-SP

Levantamento permite conhecer total de orçamento destinado aos museus paulistas

As instituições que aderem ao Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP), tanto as que foram deferidas como as que estão em processo de estruturação museológica, após a conclusão do processo cadastral básico devem preencher informações de orçamento anual na plataforma ADA. Esse é um dos compromissos assumidos no Termo de Adesão que as instituições devem aceitar para participar do CEM-SP.

A atualização das informações de orçamento permite ao Sistema Estadual de Museus (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, gerar diagnósticos em âmbitos estadual e regional, que permitem gerar relatórios analíticos do panorama orçamentário para o setor. “Esses dados nos permitirão identificar as condições de sustentabilidade econômica dos equipamentos e formular políticas públicas visando a ampliação dessas condições de sustentabilidade”, afirma Davidson Kaseker , diretor do Grupo Técnico de Coordenação (GTC) do SISEM-SP. De acordo com ele, ações de formação visando a diversificação de fontes de receitas e a elaboração de projetos para editais de fomento à cultura são alguns exemplos de políticas públicas que podem ser qualificadas a partir desses dados.

Anualmente, em fevereiro, o CEM-SP envia um e-mail automático, por meio da plataforma ADA, lembrando os usuários de realizar o preenchimento das informações de orçamento anual referente ao ano-base anterior. Michael Lopes Argento, assistente de Ações Técnicas da ACAM Portinari, explica que o campo permanece aberto durante todo o ano, mas ressalta que é fortemente recomendável que os dados sejam preenchidos imediatamente após o recebimento do e-mail levando em consideração sua importância no levantamento de um diagnóstico mais preciso sobre os museus paulistas.

“É importante salientar que as informações fornecidas pelos museus são sigilosas e, portanto, não são publicizadas individualmente. Os dados orçamentários recolhidos pelo CEM-SP são agregados por região e pelo conjunto total de museus sediados em todo o Estado, constituindo assim importante fonte de consulta para pesquisadores, além de contribuir para a informação da sociedade de um modo geral”, adverte Kaseker.  “Este conjunto de informações também é útil para que os gestores locais possam se apropriar destes dados para qualificar o planejamento anual das instituições”, acrescenta o diretor do SISEM-SP.

Dentre os indicadores de orçamento, no campo de Receitas estão itens como Recursos próprios (valor previsto no orçamento anual); Receitas operacionais (valores obtidos com venda de ingressos, produtos da loja da instituição etc.); Receitas de terceiros (doações); Recursos incentivados de renúncia fiscal (valores obtidos com a aprovação de editais de incentivo à cultura). No campo das Despesas, estão itens como Recursos humanos (despesas com salários, férias e encargos sociais de todos os funcionários lotados no museu durante o ano, sendo eles permanentes, temporários ou prestadores de serviços); Áreas-meio (despesas fixas como contas de luz, água e esgoto, gás, telefone, aluguel, internet, etc.) e Áreas-fim (despesas com materiais de consumo, despesas de manutenção, fretes, viagens, publicações, etc.).

Fonte: SISEM-SP