Cadastro Estadual de Museus de São Paulo tem 212 instituições culturais inseridas no sistema

Plataforma ADA, ambiente on-line que possibilitou às instituições museais paulistas fazerem suas inscrições, foi lançada há três anos

Em 20 de junho de 2017, o Sistema Estadual de Museus de São Paulo (SISEM-SP), instância da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado lançou a plataforma ADA, ambiente on-line que possibilitou às instituições museais paulistas a inscrição no Cadastro Estadual de Museus de São Paulo (CEM-SP). Desde então, 212 instituições estão inseridas no sistema.

A plataforma digital concentra todas as informações referentes aos processos cadastrais das dos museus. A partir dela, é possível aos usuários criar perfis profissionais para a inscrição de ações com a parceria ou realização do SISEM-SP. Também é possível criar instituições que permitirão a submissão de Instrumentos de Qualificação Cadastral, bem como a consulta a relatórios técnicos, relatórios situacionais, pareceres com base nas visitas técnicas de aferição e o resultado das deliberações realizadas pelo Conselho de Orientação do SISEM-SP (COSISEM).

As informações fornecidas ou geradas pela plataforma permitem ao SISEM-SP arquitetar estrategicamente suas políticas públicas por meio de avaliações quantitativas e qualitativas contínuas realizadas a partir de relatórios gerenciais específicos.  Ao aderir ao CEM-SP, a instituição também tem acesso diferenciado a fontes de financiamento público por meio de editais.

CEM-SP

Criado pelo SISEM-SP, em parceria com a ACAM Portinari, o CEM-SP foi oficialmente constituído em junho de 2016 pela resolução SC/59 2016, embora as discussões para a sua elaboração tenham começado um ano antes com reuniões de Grupos de Trabalhos a fim de estabelecer as diretrizes desta nova política pública.

O CEM-SP foi lançado com o objetivo de estabelecer padrões normativos para o setor museológico e sistematizar as informações sobre os museus em território paulista, identificando suas condições estruturais e atuando de forma dialógica para sua qualificação. Por meio do Cadastro, o SISEM-SP também atua em cooperação técnica com o Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), de forma que todas as instituições cadastradas têm suas informações automaticamente compartilhadas e inseridas no Registro Nacional de Museus (RNM).

O preenchimento do cadastro é feito pelo link https://cem.sisemsp.org.br. Cada uma das etapas e seus diferentes parâmetros foram pensados para auxiliar o museu a fazer um diagnóstico completo de sua própria estrutura, identificar carências e desenvolver estratégias de qualificação. Profissionais do SISEM-SP e ACAM Portinari acompanham de perto cada um dos avanços. O COSISEM atua como instância deliberativa no processo de cadastramento do CEM-SP e é composto por sete membros: coordenador da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (UPPM); diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC SISEM-SP); diretor do Grupo de Preservação do Patrimônio Museológico da UPPM (GPPM/UPPM); um representante do corpo docente do Curso Técnico em Museologia do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS); um representante  do Ensino Superior na área de museologia e dois representantes de instituições museológicas eleitos durante a realização do Encontro Paulista de Museus.

Pioneirismo

Em junho de 2016, foi iniciado um projeto-piloto do CEM-SP na Baixada Santista que teve a duração de um ano. O Museu do Café, em Santos, foi um dos pioneiros na adesão do Cadastro e tornou-se recentemente o primeiro museu paulista a atingir o Nível 2 do CEM-SP. A partir de junho de 2017, o cadastramento foi aberto a todas as instituições do Estado.

Dividida entre os eixos Gestão e Governança, Salvaguarda de Acervo e Comunicação e Serviços ao Público, e agrupadas entre Cadastro Básico e Níveis, a metodologia do CEM-SP estabelece 85 parâmetros técnicos de análise que estão referenciados na legislação do Estatuto dos Museus, entre outras. Para atingir o Nível 2, o Museu do Café precisou atender às exigências técnicas de 24 parâmetros, sendo oito deles em Salvaguarda de Acervo, sete em Gestão e Governança e nove em Comunicação e Serviços ao Público.

Balanço do CEM-SP

Atualmente, das 212 instituições que criaram perfis na plataforma ADA, 207 enviaram ou estão e fase de preenchimento do Instrumento de Qualificação Cadastral (IQC) Básico. Noventa e nove relatórios foram produzidos ou estão em fase de produção e 79 processos cadastrais básicos foram deliberados pelo COSISEM. Também foram contabilizados 22 IQCs Níveis preenchidos ou em preenchimento e quatro instituições concluíram o processo passando pela deliberação do COSISEM.

“O gradativo aumento de adesões é um resultado bastante positivo e resulta na consolidação do Cadastro Estadual de Museus de São Paulo e sua plataforma digital como um dos principais instrumentos de políticas públicas do Sistema. Ao aderir ao CEM-SP, os museus permitem que o SISEM-SP faça a organização e a gestão das informações sobre as instituições museológicas, o que otimiza buscas e pesquisas sobre o setor e valida informações de forma rápida e eficiente”, diz Davidson Kaseker, diretor do Grupo Técnico de Coordenação do SISEM-SP (GTC/SISEM-SP).

Adesão

Para aderir ao CEM-SP, é necessário acessar o Sistema de Gerenciamento de Dados (https://cem.sisemsp.org.br), criar um login e cadastrar a instituição. Em seguida, preencher o Instrumento de Qualificação Cadastral Básico (IQC Básico), que corresponde ao formulário inicial do CEM-SP.

Depois do preenchimento, o GTC SISEM-SP entrará em contato e agendará uma visita técnica de aferição. Após a visita técnica, há a análise de todas as informações coletadas e a apresentação do processo cadastral ao COSISEM.

Podem aderir ao CEM-SP as instituições culturais que se dedicam em caráter permanente e sem fins lucrativos à preservação e divulgação de acervos culturais materiais ou imateriais em espaços abertos ao público para finalidade de estudo, pesquisa, educação e fruição, contando com quadro de pessoal para seu financiamento.

Para saber mais sobre o CEM-SP, acesse https://cem.sisemsp.org.br ou o link com vídeos tutoriais sobre o funcionamento da Plataforma do Cadastro Estadual de Museus.

Fonte: SISEM-SP