Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) chega a 188 instituições culturais inseridas no sistema

Até o fim do ano passado, 188 instituições foram inseridas na plataforma digital do SISEM-SP.

Das 188 instituições museológicas que aderiram ao Cadastro Estadual de Museus (CEM-SP) até o fim de 2019, percebe-se que todas as regiões administrativas do Estado já estão representadas no Cadastro.

A região que mais aderiu ao CEM-SP no que concerne à criação de instituições no sistema é a Região Metropolitana de São Paulo, com 55 equipamentos culturais presentes na plataforma ADA. Campinas aparece como segunda área mais aderida, com 27 instituições, seguida pela Região Metropolitana Baixada Santista (16), São José dos Campos (15), Sorocaba (14), Ribeirão Preto (12), Marília (12), Central (8), Araçatuba (7), Bauru (6), Franca (5), Registro (3), Presidente Prudente (2), Itapeva (2), Barretos (2) e São José do Rio Preto (1).

A partir das 188 instituições criadas no sistema, 168 processos cadastrais foram abertos por meio do início ou conclusão do preenchimento do Instrumento de Qualificação Cadastral Básico. Desses, 4 foram considerados inválidos e, consequentemente, arquivados; 33 foram deferidos pelo Conselho de Orientação do SISEM-SP e 5 processos cadastrais foram indeferidos pelo Conselho; 31 foram considerados em processo de estruturação museológica; 82 processos cadastrais ainda não foram submetidos no momento, ou seja, estão em vias de preenchimento do formulário que compõe o Instrumento de Qualificação Cadastral e o restante encontra-se em diferentes etapas de análise da candidatura para o Cadastro.

Oitenta e cinco relatórios técnicos e situacionais e checklists do parecerista foram abertos até a conclusão do quarto trimestre de 2019, concluídos ou em fase de elaboração. A partir destes materiais gerados no sistema, foram produzidos um total de 74 pareceres que passaram ou passarão por deliberação nas reuniões futuras do Conselho de Orientação do SISEM-SP, o que corresponde a cerca de 39% do total de processos cadastrais criados.

Origem do CEM-SP

Criado pelo SISEM-SP, em parceria com a ACAM Portinari, o CEM-SP foi lançado em meados de 2016 para auxiliar na qualificação dos museus paulistas. Disponível no https://cem.sisemsp.org.br/, o Cadastro é preenchido on-line diretamente pela instituição interessada. Cada um dos parâmetros do CEM-SP foi pensado para ajudar o museu a fazer um diagnóstico de sua própria estrutura, identificar carências e desenvolver estratégias de qualificação.

Com adesões crescendo gradativamente, em especial com a realização do Encontro Paulista de Museus itinerante (EPMi), que percorreu seis macrorregiões do Estado ao longo de 2019com mesas redondas, conferências e oficinas com temáticas relacionadas ao Cadastro, o SISEM-SP considera que os números são positivos e consolidam ainda mais o CEM-SP e sua plataforma digital como um dos principais instrumentos de políticas públicas do Sistema.

Para saber mais detalhes sobre o Cadastro, quais documentos são necessários para se inscrever e perguntas frequentes, acesse o site do SISEM-SP: https://cem.sisemsp.org.br/.

Fonte: SISEM-SP