Workshop internacional espaços de Memória e Cultura: territórios de conflito

Injustiças, emergências, crises, desastres, reparações são preocupações contemporâneas. Neste sentido, as instituições de memória têm recebido um chamado para ir além da representação do conflito para centrar-se em ações sociais concretas.

Considerando os debates contemporâneos, o workshop propõe que organizações culturais e de memória reflitam sobre o desafio de atuar em processos de transformação social, que envolvam diretamente as comunidades além da articulação com  governos locais e outras parcerias.

Há atualmente uma grande tendência dos museus em participar ativamente das questões políticas e culturais presentes nas sociedades. Reconhecendo sua capacidade em arquivar objetos, memórias e, principalmente, de criar narrativas significativas para seus públicos, muitos museus optam por problematizar grandes questões sociais e culturais. Concomitantemente, profissionais e teóricos têm proposto uma série de conceitos-chave para aprofundar reflexões neste campo, são alguns: “exposições polêmicas”¹, “memórias & trauma”, “lugares difíceis”², “empatia”, “contested histories”³.

Para além da representação mais comum de passados traumáticos (e muitas vezes presente), o workshop aprofundará as formas como as instituições, organizações e grupos sociais lidam com tais temas e discutirá estratégias potenciais para que as instituições possam assumir o papel de mediadoras de conflitos. Como as organizações atuam ou podem atuar na promoção ou manutenção de agenciamentos coletivos?

Quais são as práticas mais recentes de museus e instituições culturais para atuar coletiva e publicamente com denuncias de injustiças sociais? Qual o escôpo desta atuação em uma sociedade diversa e globalizada? Como as comunidades estão se apropriando de ações de memória, ou mesmo de musealização para afirmação e difusão de suas próprias narrativas e contextos sociais?

O workshop apresentará experiências relacionados a temas polêmicos tais como gênero e sexualidades dissidentes, afirmação étnica e racial, refugiados, memórias e ditadura, crianças e adolescentes marginalizados; memórias de massacres, desigualdade social e movimentos políticos. Ao longo do workshop também serão examinadas diversas metodologias e abordagens, incluindo o uso das mídias sociais e as recentes intersecções entre práticas sociais e memória. Além disso, serão exploradas uma série de questões tais como: Quais são os novos parceiros de organizações de memória e cultura hoje em dia?

Quais são os meios ou ferramentas existentes disponibilizadas à população ou aos profissionais da área que desejam defender papéis mais fortes das políticas culturais? Como é possível contribuir no apoio a uma causa pública? E, finalmente, quais são os indicadores de impactos especialmente relacionados aos direitos humanos?

Neste sentido, oito instituições de cultura e memória, que possuem como características a atuação direta com os temas propostos neste workshop, foram convidadas a participar das discussões ao longo da semana. São elas: a Casa do Povo, o Centro de Culturas Negras do Jabaquara, o Espaço Memória Carandiru, o Instituto Fazendo História, o Memorial da Resistência, o Museu Afro, o Museu da Diversidade e o Grupo Ururay – além do Museu da Pessoa e Trabalho Sociocultural com Refugiados no Sesc.

O trabalho de cada uma delas servirá de base para o desenvolvimento de reflexões pelos participantes do workshop, a partir das competências realizadas ao longo da jornada e do trabalho de campo.

As inscrições poderão ser feitas até 18 de maio. Os selecionado serão divulgados no dia 31 de maio e as inscrições deverão ser feitas entre 01 e 06 de junho.

O workshop acontece entre 03 a 08 de julho.
Pré-requisito

Profissionais da área de museus, patrimônio, direitos humanos, cultura e educação; estudantes e pesquisadores de graduação e pós–graduação; ativistas e interessados no tema.

Haverá tradução simultanea de inglês e espanhol para português durante o Workshop.
Condições especiais de atendimento, como tradução em libras, devem ser informadas por email ou telefone, com até 48 horas de antecedência do início da atividade.
centrodepesquisaeformacao@sescsp.org.br / 11 3254-5600

Data: 03 a 08 de julho de 2017
Horários: 10h às 18h30
Local: Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar
Bela Vista – São Paulo.

Valores: R$ 36,00 – credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes
R$ 60,00 – pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante
R$ 120,00 – inteira

Inscrições e informações, clique aqui

 

Fonte: Centro de Pesquisa e Formação do SESC