VIDAS NEGRAS: UMA EXPERIÊNCIA DIGITAL NO MUSEU DA PESSOA

Exposição virtual dividida em quatro episódios aborda as vidas de personagens negros presentes no acervo da instituição

“Por que sonegam a nossa história quando nos colocam num lugar de vitimismo, de não ter feito, de não ter conseguido, de ser fraco? Somos exatamente o oposto: somos vitoriosos, somos heróis”. Este é depoimento da atriz Cyda Baú (bisneta de escravizados e nascida em um quilombo) e abre o primeiro episódio da exposição digital “Vidas Negras”, na plataforma do Museu da Pessoa. Para acessar, clique aqui.

A exposição é dividida em quatro episódios: cada um composto por vídeos, fotografias, textos e narrativas em áudio produzidos a partir do acervo do Museu da Pessoa sobre a rotina de famílias negras no Brasil do século XX e XXI. Segundo o curador Diógenes Moura, “Vidas Negras trata de histórias, de memórias, de nomes e sobrenomes, de palavras que poderão definir uma existência, de fotografias que guardam essa mesma existência entre distância, aconchego, passado, presente, futuro.”

O episódio 1, intitulado “Todo Sangue é Vermelho” – frase também do depoimento da atriz Cyda Baú –, não deixa de ser um convite que propõe ao visitante um outro tempo entre o olhar do espectador e o que está visível na tela, diante dos olhos apressados do mundo contemporâneo.

Já o episódio 2, “O Que Seu Retrato Quer De Mim? ”, é a imersão para dentro do outro, por meio da seleção de retratos individuais, da fotografia 3×4 da carteira de trabalho a um retrato publicitário.

O episódio 3, “O Amor”, é dedicado a fotografias e histórias de afeto de pessoas negras, em grande parte em cerimônias de casamento.

O quarto e último episódio, “Os Nomes”, é protagonizado pelo vídeo com a canção-poema de Zinho Trindade. Além dos nomes, a ideia foi reunir todas as vozes dos personagens que contam suas histórias nessa jornada. Vale a pena conferir não só a exposição como a extensa programação desse projeto na plataforma do Museu da Pessoa que vai até janeiro de 2021 – e tudo sem sair de casa.

O Museu da Pessoa é um museu virtual e colaborativo fundado em São Paulo em 1991, com o objetivo de registrar, preservar e transformar histórias de vida de toda e qualquer pessoa em fonte de conhecimento, compreensão e conexão. O Museu da Pessoa conta com um acervo de mais de 20 mil depoimentos em áudio, vídeo e texto e cerca de 60 mil fotos e documentos digitalizados de brasileiros e brasileiras de todas as regiões, idades, classes e atividades. 

Fonte: Revista Trip