Simpósio Haroldo de Campos 2022 busca estabelecer diálogos entre as poéticas do passado e da contemporaneidade

Voltado para pesquisadores, escritores e leitores de poesia, neste ano o evento reflete sobre quais seriam “As poéticas (Im)possíveis” na poesia brasileira atual

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, que integra a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, realiza mais uma edição do Simpósio Haroldo de Campos — evento anual que procura estabelecer diálogos entre o patrono do museu e poetas da contemporaneidade. As atividades acontecem a partir das 19h, entre os dias 12 e 16 de setembro,  via plataforma Zoom, com exceção da programação do dia 17, a partir das 15h,  que será presencial no Anexo da Casa Guilherme de Almeida.

A temática abordada no simpósio em 2022 será “As poéticas (Im)possíveis” e a proposta é incentivar uma reflexão sobre quais seriam as poéticas que despontam no cenário atual da poesia brasileira. De acordo com Júlio Mendonça, coordenador do Centro de Referência Haroldo de Campos, da Casa das Rosas, “Haroldo era um escritor muito atento ao que estava acontecendo à sua volta”; assim, a proposta do evento é debater algumas das questões relevantes que têm despontado na poesia brasileira nos anos recentes, como, por exemplo, a poesia produzida por diferentes grupos identitários, entre eles, a dos indígenas.

Partindo dessa premissa, o Simpósio inicia no dia 12 de setembro com a mesa Poéticas não-antropocêntricas, que contará com Evando Nascimento, professor na Universidade Federal de Juiz de Fora, com formação na École des Hautes Études en Sciences Sociales e na Sorbonneque abordará O vegetal autobiográfico: humanos não humanos em literatura. A mesa também contará com a participação da poeta e pesquisadora Ana Estaregui.

No dia 14 de setembro o assunto abordado será o das Poéticas originárias, com a palestra A palavra entre mundos, ministrada por Johnn Nara Gomes, liderança jovem na Retomada Aty Jovem (RAJ) dos povos Kaiowá e Guarani, e por Luciana de Oliveira, pesquisadora-extensionista e professora associada no Departamento de Comunicação Social e no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da UFMG. Juntos apresentarão a experiência de co-criação do livro bilíngue (Guarani e Português) Ñe’ē Tee Rekove/Palavra Verdadeira Viva, organizado pelo rezador Valdomiro Flores (Ava Apyka Renda Jurua), pela rezadora Tereza Amarília Flores (Kuña Jeguaka Rory) e por Luciana de Oliveira (Kuña Jeguaka Renda), além de ser produzido em colaboração com o povo Kaiowá do território retomado de Guaiviry Yvy Pyte Ojere (Mato Grosso do Sul/Brasil).

A mesa também será composta por Julie Dorrico, que é poeta, escritora, pesquisadora de literatura indígena e pertencente ao povo Macuxi. Ela abordará o tema Literatura indígena, autoria e poética do eu-nós eapresentaráa produção literária de autoria individual indígena, destacando o reconhecimento da identidade indígena para a afirmação dos povos originários no país.

No terceiro dia de Simpósio, 15 de setembro, as Poéticas Afro – Brasileiras estarão em pauta, por meio da palestra A literatura afro-brasileira e as poéticas da escrevivência com Eduardo de Assis Duarte, integrante do Programa de Pós-graduação em Letras – Estudos Literários da FALE-UFMG e do Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Alteridade – NEIA, da mesma instituição. Em seguida, Maria Aparecida Andrade Salgueiro, professora titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), apresentará aspectos do trabalho que vem desenvolvendo nos últimos anos sobre Literatura Afro-americana, Afro-Brasileira e Estudos da Tradução, em palestra com o título Traduzindo literatura da diáspora africana para a língua portuguesa do Brasil.

No dia 16 de setembro o tema será o das Poéticas da voz em performance, coma participação de Eleilson Leite, quecoordena a área de cultura da ONG Ação Educativa, onde idealizou e coordena iniciativas como o Encontro Estéticas das Periferias, a Agenda Cultural da Periferia e o Ponto de Cultura Espaço Cultural Periferia no Centro. O palestrante falará da Poesia performática na periferia, que despontou de forma oral e corporal há mais de 20 anos nos saraus nos bairros da cidade de São Paulo, e que também tem se adaptado ao formato de livro de poemas.

Na mesma mesa acontecerá a palestra Por entre e contra – o inconcluído: Waly Salomão & Lenora de Barros, a escrita in acto com Gustavo Silveira Ribeiro, que é professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais e pesquisador do CNPq e da Fapemig. O palestrante abordará o trabalho dos poetasWaly Salomão e Lenora de Barros, os quais expandiram e aprofundaram a tradição da Poesia Concreta em direção à performance nos anos 1970, por meio da elaboração de projetos que incorporam ao corpo do poema a ação mesma de escrever, bem como o diálogo com obras de artistas como Hélio Oiticica.

No último dia de programação do evento, sábado17 de setembro, as atividades serão  presenciais. Às 15h, haverá o lançamento do livro Anthologie Internationale de Poesie Contemporaine. Bresil – Poesie intraitable. Organizado e traduzido para o francês por Inês Oseki-Dépré, o livro é uma antologia que reúne alguns dos autores mais importantes da modernidade poética brasileira, como Augusto de Campos, Eduardo Sterzi, Marília Garcia, Regis Bonvicino, Nelson Ascher, Diana Junkes, Carlito Azevedo, Arnaldo Antunes, Horácio Costa, Marcos Siscar, entre outros. Haverá uma palestra da organizadora e tradutora, seguida de uma interlocução da mesma com a poeta e pesquisadora Diana Junkes. O público poderá conferir essa atividade no Anexo do museu Casa Guilherme de Almeida.

Em seguida, às 17h, acontece a última mesa do Simpósio, com o tema Proéticas. As palestras serão de Patrícia Lino, poeta, ensaísta e professora universitária com o tema Infraleituras da poesia expandida brasileira, e de Viviana Bosi, professora do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada na Universidade de São Paulo, que abordará as Formas do tempo em poetas brasileiros contemporâneos, falando sobre como a temporalidade dos poemas contemporâneos dialoga com questões de nossa época.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura integra a Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis.

SERVIÇO

SIMPÓSIO HAROLDO DE CAMPOS 2022

Sábado, 17 de setembro – Presencial

15h

Lançamento do livro: Anthologie Internationale de Poesie Contemporaine. Bresil – Poesie intraitable. (Org.) Inês Oseki-Dépré. Les presses du réel, 2022.

Encontro presencial no Anexo da Casa Guilherme de Almeida, com transmissão via Zoom.

Endereço: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Perdizes/ SP

Inscrição aqui – prazo: 16/09

Vagas: 40

Para se inscrever nas atividades virtuais, clique aqui.

12, 14, 15 e 16/09/2022, às 19h

Plataforma: Zoom

250 vagas para cada atividade online

Segunda-feira, 12 de setembro – Mesa: Poéticas não-antropocêntricas

O vegetal autobiográfico: humanos não humanos em literatura

Com Evando Nascimento e Ana Estaregui

Quarta-feira, 14 de setembro – Mesa: Poéticas originárias

A palavra entre mundos

Com Johnn Nara Gomes e Luciana de Oliveira

Literatura indígena, autoria e poética do eu-nós

Com Julie Dorrico

Quinta-feira, 15 de setembro – Mesa: Poéticas afro-brasileiras

A literatura afro-brasileira e as poéticas da escrevivência

Com Eduardo de Assis Duarte

Traduzindo literatura da diáspora africana para a língua portuguesa do Brasil

Com Maria Aparecida Andrade Salgueiro

Sexta-feira, 16 de setembro – Mesa: Poéticas da voz em performance

Poesia performática na periferia

Com Eleilson Leite

Por entre e contra – o inconcluído: Waly Salomão & Lenora de Barros, a escrita in acto

Com Gustavo Silveira Ribeiro

Sábado, 17 de setembro, às 17h – Mesa de encerramento: Proéticas

Infraleituras da poesia expandida brasileira

Com Patrícia Lino

Formas do tempo em poetas brasileiros contemporâneos

Com Viviana Bosi

A Casa das Rosas está passando por restauro. O telefone atual para contato é do Anexo da Casa Guilherme de Almeida: 11 3673-1883 | 3803-8525; ou pelo e-mail disponível no site.

Jardim do museu aberto de segunda a domingo, das 7h às 22h

Avenida Paulista, 37 – Bela Vista, São Paulo – SP

Programação gratuita

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas — Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A POIESIS

A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Poiesis – Coordenação de Comunicação

Carla Regina | (11) 4096-9827

Assessoria de Imprensa

Kallany Ruiz | (11) 4096-9864
Jariza Rugiano | (11) 4096-9810
Mariana Lima | (11) 4096-9852
Lara Bussab | (11)4096 – 9861 Para os contatos de e-mail, acesse a área de Imprensa da Poiesis