CONSCIÊNCIA NEGRA É TEMA DE ATIVIDADES GRATUITAS NO MUSEU DO CAFÉ DE SANTOS

As ações acontecerão nos dias 17 e 20 de novembro e visam a promover vivências culturais relacionadas ao assunto

Com o intuito de destacar o tema e proporcionar experiências voltadas ao Dia da Consciência Negra, o Museu do Café promoverá atrações gratuitas em 17 e 20 de novembro, que visam a ressaltar aspectos como a música e o artesanato ligado às tradições e costumes africanos.

Começando no domingo (17), a programação será inaugurada com a roda de conversa “A história da música popular brasileira”, que abordará a contribuição dos escravos para o Brasil e Portugal nesse contexto, realçando a relação entre os estilos Lundu, Umbigada, Fado e Samba. A atividade está marcada para as 15h e os interessados devem realizar a inscrição por meio do e-mail educativo@museudocafe.org.br (vagas limitadas).

Já na própria data da comemoração, dia 20, é a vez da oficina “Arte-Ylê: Carimbos Adinkra”. Também às 15h, os participantes conhecerão técnicas introdutórias à confecção de carimbos artesanais contendo grafismos estilizados, que remetem a ideográficos dos povos acã, grupo linguístico da África Ocidental. As figuras – mais de 90 – se baseiam em animais, plantas, corpos celestiais, o corpo humano, objetos feitos pelo ser humano ou formas abstratas. Para essa ação, o público deve reservar uma vaga entrando em contanto pelo inscricao@museudocafe.org.br.

SERVIÇO

Roda de conversa “A história da música popular brasileira”

17/11 | DOM | 15H

Inscrições prévias: educativo@museudocafe.org.br

Oficina “Arte-Ylê: Carimbos Adinkra”

20/11 | QUA | 15H

Inscrições prévias: inscricao@museudocafe.org.br

Museu do Café

Rua XV de Novembro, 95 – Centro Histórico – Santos/SP

Telefone: (13) 3213-1750

Funcionamento: de terça a sábado, (fechado às segundas) das 9h às 17h e, aos domingos, das 10h às 17h

R$ 10,00 e meia entrada para funcionários da rede pública do Estado de São Paulo e terceira idade

Grátis aos sábados

Acessibilidade no local

museudocafe.org.br

Fonte: Museu do Café