Sábado Resistente faz homenagem a Sergio Motta, destacando o apoio contra a ditadura e as ações democráticas

5.homenagemasergiomotta
 
Evento terá depoimentos e mesa redonda com participação dos militantes Duarte Pereira, e Aldo Arantes e dos jornalistas Raimundo Pereira e Elifas Andreato, no dia 26 de novembro (sábado), às 14h00
 
 
No dia 26 de novembro, data em que Sergio Motta completaria 76 anos, o Memorial da Resistência, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizará mais uma edição do Sábado Resistente, projeto realizado em parceria com o Núcleo de Preservação da Memória Política. O evento acontece às 14h00 e terá depoimentos dos militantes Duarte Pereira e Aldo Arantes e mesa redonda com participação dos jornalistas Raimundo Pereira e Elifas Andreato.
Sergio Motta iniciou sua atuação política no movimento estudantil dos anos 1960, foi militante da Ação Popular e atuou na estruturação clandestina da resistência. Depois tornou-se empresário da área de engenharia e, sem nunca se afastar da participação política, ocupou  diversos cargos públicos até abril de 1998, quando estava a frente do Ministério das Comunicações e faleceu precocemente.
O evento destacará a ação de Sergio Motta na estruturação clandestina da resistência e no apoio solidário a diversos militantes do período. Na resistência atuou com discrição e sua importância é pouco conhecida na viabilização e administração do Jornal Movimento e da produtora cultural Difusão. Tratam-se de duas iniciativas importantes do período: o Movimento contou com circulação nacional em 335 edições e a Difusão realizou peças teatrais que marcaram a época como Equus e Mortos sem Sepultura. Também terá destaque o apoio solidário de Sergio Motta a diversos ex-presos políticos, oferecendo trabalho formal e abrigando-os na empresa Hidrobrasileira S/A, viabilizando a saída desses militantes da prisão.
 
PROGRAMAÇÃO
14h00 – Boas vindas – Kátia Felipini Neves (Memorial da Resistência de São Paulo) e Wilma Motta (representante da família)
14h10 – Coordenação – Maurice Politi (Núcleo de Preservação da Memória Política)
14h20 – Depoimentos – Aldo Arantes e Duarte Pereira
15h – Mesa Redonda – Raimundo Pereira, Elifas Andreato e Duarte Pereira
16h30 – Debate
 
DEPOIMENTOS
Aldo Arantes (1938) iniciou sua militância política no movimento estudantil, foi presidente da UNE e integrante importante da Juventude Universitária Católica e da Ação Popular (AP). Em 1972, ingressou no Partido Comunista do Brasil (PCdoB), participando do comitê central. Com ampla experiência pública, exerceu diversos mandatos legislativos e atuou como secretário estadual no governo do estado de Goiás.
Duarte Pereira (1939), aluno da Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, foi presidente do Centro Acadêmico Ruy Barbosa e um dos vice-presidentes da UNE. Com militância de grande destaque, foi um dos dirigentes da Ação Popular (AP). É um intelectual marxista, autor de diversas publicações, atuando como jornalista e escritor.
 
MESA REDONDA
Raimundo Pereira (1940) importante nome da imprensa nacional, esteve à frente de dois dos principais veículos de resistência – Opinião e Movimento. Atuou nas revistas Veja, Realidade, Isto É e no jornal Folha da Tarde. Dirigiu a revista Retrato do Brasil e atualmente dirige o portal Oficina da Informação.
Elifas Andreato (1946) artista gráfico e jornalista. Atuou em diversos periódicos da imprensa alternativa como Opinião, Argumento e Movimento. Atuou, também, como programador visual em diversas peças teatrais do período e criador de capas de discos para importantes nomes da MPB. Atualmente é diretor editorial do Almanaque Brasil.
 
SERVIÇO
 
Memorial da Resistência de São Paulo
Endereço: Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar
Aberto de quarta a segunda (fechado às terças)
Entrada Gratuita

 

Fonte: Assessoria de imprensa | SEC
Imagem: divulgação | Memorial da Resistência