Chapa: Oeste

Proposta: Considerando o grande patrimônio histórico-cultural, no território de Perus e região, houve ainda a necessidade de criar um mecanismo em que fosse possível dar forma, articular e organizar de maneira dinâmica e sustentável as lutas locais, para que essa memória fosse acessível à comunidade e a população em geral, preservando, desenvolvendo e contrapondo os danos proporcionados pelas especulações imobiliárias e urbanas. Com isso desdobrou-se o conceito do TICP criando um museu territorial utilizando dos conceitos de Mário Chagas, museólogo, especialista em museus sociais e comunitários, nomeado de Museu Territorial de Interesse da Cultura e da Paisagem Tekoa Jopo’í, nome no idioma guarani que significa Tekoa – território e Jopo’í lógica econômica dos povos guaranis: “Quanto mais você doa mais prestígio você tem”. O museu propõe diálogos, conecta movimentos sociais, resgata a memória da região, e divulga as lutas que acontecem no território através de mecanismos vivos de ações coletivas e incentiva a sustentabilidade local. Foram mapeados lugares de interesse da história, do afeto, do ambiente e das lutas sociais abarcados no território Perus e região. Criou-se então os caminhos e narrativas em forma de trilhas que possibilitam diferentes percursos e olhares educativos e culturais por meio de seus atrativos e dinâmicas.
Mapear, cartografar, reconhecer, dar a conhecer, consolidar o território, projetar o mesmo como um grande museu territorial, estimular e intensificar a circulação e uso destes acervos, capacitar gestores e agentes, técnicos, criar, fomentar, apoiar e fortalecer os mesmos como polos e circuitos dinamizadores, como orientadores/norteadores de desenvolvimento é o que compõem o modo de sobrevivência e a construção
de um território educador.

Candidatos:

Titular
Cleiton Ferreira de Souza

Gestor Cultural – Centro de Pesquisa e Formação SESC (2019-2020) Bacharel em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica (PUC), em curso (Inicio 2006) Experiências Profissionais 2005-2020 - Comunidade Cultural Quilombaque - Fundador e Coordenador de Projetos, Coordenador do Ponto de Cultura Quilombaque (2010-2012), Coordenador Casa Taiguara de Cultura (2009), Coordenador Centro de Defesa Direitos Humanos Carlos Alberto Pazzini (2016-2018), Coordenador da “Queixada - Agência de Desenvolvimento Eco Cultural Turistico Museu Tekoa Jopo’i (2018), entre outros. 2012-2018. Elaboração e aprovação no Plano Diretor da Cidade de São Paulo do TICP - Território de Interesse da Cultura e da Paisagem como um instrumento de planejamento urbano (2014).
Suplente
Camila Cardoso Ribeiro

Graduação em Serviço Social pelo Centro Universitário Claretiano. 2009 à 2010 - Coordenadora do Programa "Prevenção a DST/HAIDS para Jovens e Adolescentes" da secretaria Municipal de Saúde de Rio Claro; Assessoria Espacial de Políticas Públicas para Juventude da Cidade de Rio Claro; 2014 - Presidente do Fórum Nacional de Gestores de Políticas Públicas para Juventude; 2015 - Comissão de Organização da 3o Conferencia Estadual e Nacional de Juventude; 2018 - Setor Social do Gabinete do Secretário Estadual de Habitação; 20018 à 20019 - Coordenação da "Queixadas: Agencia de Desenvolvimento Eco Cultural e Turístico" na Comunidade Cultural Quilombaque – Perus.