Reflexão sobre o tema Museu e Memória marcou 4º aniversário do Ibram

Como parte das comemorações pelos quatro anos de sua criação, data também lembrada pela ministra da Cultura, Marta Suplicy, o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) promoveu na tarde da última quarta-feira (23), a mesa-redonda Museu, memória e cidadania.

 
O debate contou com a participação do coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV), Cláudio Fonteles, da historiadora e escritora Carolina Dellamore, e da professora Monique Batista Magaldi, do curso de Museologia da Universidade de Brasília (UnB). A mediação foi de Cícero Almeida, diretor do DPMUS/Ibram.
Abrindo a mesa, Cláudio Fonteles falou sobre o trabalho de pesquisa que a Comissão Nacional da Verdade vem realizando nos documentos sob a guarda do Arquivo Nacional, além da coleta de depoimentos e das iniciativas de preservação da memória relacionada ao período da ditadura militar no Brasil.Ouça a palestra de Fonteles com apresentação de José Nascimento Jr. – presidente do Ibram.
 
Autora do livro Marcas da clandestinidade: Memórias da ditadura militar brasileira, editado pelo Ibram, a historiadora Carolina Dellamore abordou a clandestinidade durante o regime militar, citando alguns dos depoimentos que subsidiaram a produção do seu livro. Ela ressaltou que a memória é espaço de disputas políticas e destacou o desafio da musealização da memória desse período. 
 
Continue lendo 
http://www.museus.gov.br/noticias/reflexao-sobre-o-tema-museus-e-memoria-marcou-4-aniversario-do-ibram/
 
Fonte: Ibram.com