Rede de Museus-Casas Literários: programação segunda quinzena de junho

A Rede de Museus-Casas Literários informa as atividades para a segunda quinzena de junho. Entre os destaques, está o III Encontro de Museus-Casas Literários e as atividades ligadas ao Bloomsday, do clássico “Ulisses”, do escritor irlandês James Joyce. Confira:

Ações integradas REDE DE MUSEUS-CASAS LITERÁRIOS

III ENCONTRO DE MUSEUS-CASAS LITERÁRIOS
Dias 29 e 30 de junho

O papel dos museus-casas nas cidades contemporâneas como agentes de acessibilidade será o destaque da programação deste ano do Encontro promovido pela Rede de Museus-Casas Literários, que contará com participantes do Estado de São Paulo e de outras regiões do país.

Confira a programação completa de cada Museu-Casa no site www.museusliterarios.org.br

30 ANOS DE BLOOMSDAY
Sexta e Sábado, 15 e 16 de junho

O Bloomsday 2018 marca os 30 anos de sua realização em São Paulo, iniciado sob a coordenação de Haroldo de Campos, em 1988. Dedicado à obra do escritor irlandês James Joyce, o evento anual acontece internacionalmente em 16 de junho, o “dia de Bloom”, personagem central de Ulysses – o mais célebre romance do autor –, cuja ação transcorre toda nesse dia em Dublin, em 1904.

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Desvendando o Ulysses, de James Joyce
Por Maria Teresa Quirino
Sexta-feira 15, das 19h às 21h

A palestra apresentará um panorama do romance de James Joyce, bem como da história da recepção do livro e da compreensão crítica de suas características.

A Indeterminação de sentidos no Ulysses de James Joyce
Por Amara Moira
Sábado, 16 de junho, das 15h às 16h15

A utilização de efeitos sonoros na obra de James Joyce, particularmente das onomatopeias, são o tema da tese de doutorado e da palestra de Amara Moira.

Ulisses, um estudo
Mediação: Marcelo Tápia
Sábado, 16 de junho, às 16h30

O monumental volume Ulisses, um estudo, de autoria de Abdon Franklin de Meiroz Grilo – recém-publicado em Santa Maria (RS) – será o tema de conversa com o autor e com o professor Aguinaldo Médici Severino, estudioso da obra de Joyce.

CASA DAS ROSAS 

O Cidadão em Ulysses
Sábado, 16 de junho, das 19h às 21h30

O evento festivo terá como tema, este ano, o capítulo 12 de Ulysses (relativo ao episódio do Ciclope, da Odisseia de Homero), em que surge um dos mais marcantes personagens do romance, o nacionalista Cidadão. Leituras do fragmento em diversos idiomas e traduções farão parte do evento, que contará com música e dança tradicional da Irlanda.  O velório de Finnegan, baseado no romance Finnegans wake, de Joyce, também será lembrado por meio de um “diálogo” entre a obra e o conto “Quincas Berro D‘Água”, do brasileiro Jorge Amado.

GUILHERME MANSUR: TRADIÇÃO E INVENÇÃO
Curadoria: Flávio Vignoli e Mário Alex

A nova mostra de curta duração do Museu traz parte importante da produção do poeta, editor e tipógrafo mineiro Guilherme Mansur, criador da Tipografia do Fundo de Ouro Preto, responsável por edições originais de trabalhos de relevantes autores brasileiros – entre outros, Alice Ruiz, Paulo Leminski, Carlos Ávila, Manoel de Barros, Décio Pignatari e, sobretudo, Haroldo de Campos, com quem realizou diversos projetos editoriais. A obra de Mansur associa o uso de recursos técnicos tradicionais a um forte sentido de invenção, contando com livros, poemas avulsos e plaquetes.

ESTRUTURA EXPLODIDA:
vidobra de Haroldo de Campos

A exposição de longa duração da Casa das Rosas apresenta de maneira concentrada e dinâmica a obra do poeta Haroldo de Campos, cujo acervo bibliográfico o museu preserva.

FÓRUM DIREITOS AUTORAIS
Por João Ibaixe Jr.
Terça-feira, 26 de junho, das 19h às 21h

O Fórum sobre Direitos Autorais – realizado pelo Centro de Apoio ao Escritor em parceria com a OAB-SP – procura discutir e esclarecer, com base na legislação vigente, dúvidas sobre os mais variados aspectos relacionados a direitos de autor, plágio, uso de imagens e propriedade intelectual.

FOME DE FORMA
Organização: Antonio Vicente Seraphim Pietroforte e Rodrigo Bravo
Convidados: Ellen Maria e Lilian Aquino
Sábado, 23 de junho, das 19h às 21h

Inspirado no livro homônimo de Haroldo de Campos, o recital “Fome de Forma” tem por objetivo reunir as várias vozes da poesia brasileira contemporânea. A cada edição do evento, poetas convidados de gerações e movimentos diferentes falam sobre sua prática artística e recitam poemas que integram sua obra.

POÉTICAS 21: a poesia e os poetas em debate
Mediação: Edson Cruz
Convidados: Antonio Carlos Secchin e Emmanuel Santiago
Sábado, 30 de junho, às 19h

Dois poetas convidados, um veterano e outro nem tanto, dialogam sobre seus projetos poéticos, sua visão de mundo, suas leituras de formação, obras e autores favoritos. Tudo recheado com a leitura de poemas próprios, com mediação do poeta e editor Edson Cruz.

CANTA A POESIA: CORAL DA CASA DAS ROSAS
Direção musical: Adilson Rodrigues
Quartas-feira, 27 de junho, das 19h30 às 21h

CINEMA AO AR LIVRE

Exibições gratuitas de filmes ao ar livre. O número de assentos é limitado, mas você pode trazer a sua própria cadeira. Não é necessário retirar ingressos.

I MOSTRA “CINEMA EM REDE”
Quintas-feiras, 21 e 28 de junho e 5, 12, 19 e 26 de julho, das 19h às 21h

Em parceria com os consulados dos países Alemanha, França, Holanda e Israel, a Casa das Rosas e a Casa Guilherme de Almeida prepararam uma mostra de filmes cujo tema central é o trânsito migratório no mundo e como a interação dos povos provoca variações nas culturas locais e migrantes. Confira a programação completa em nosso site.

ESPAÇO DO BRINCAR
Domingo, 24 de junho, das 15h às 16h30
Vagas: 15 |Dirigido a crianças a partir de 6 anos (acompanhadas por seus responsáveis)

Nessa divertida vivência pelos espaços do museu, as crianças e seus familiares brincarão com um jogo da memória que focaliza a história da Avenida Paulista e da Casa das Rosas.

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Introdução ao filme Noir
Sábado, 23 de junho, das 10h às 18h (com intervalo para almoço)

Costumam ser vistos como cinema Noir apenas filmes que abordam temas como a violência da criminalidade urbana, traições, trapaças e a vileza de detetives corruptos. Este curso intensivo pretende mostrar que a essência do filme Noir transcende tais clichês e revelam um gênero bastante sofisticado no âmbito dos estudos de cinema. Será exibido, na íntegra, o filme Império do crime (1955), de Joseph H. Lewis.

Ciclo Especial TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA
Coordenação: Donny Correia e Simone Homem de Mello

Esta série de palestras, programada para se estender ao longo de todo o ano, abordará adaptações de obras literárias para outros meios, sobretudo o cinema. Diversos palestrantes convidados tratarão da especificidade da leitura de obras de ficção por roteiristas, cineastas, diretores de teatro, artistas visuais e outros.

Os participantes que assistirem a pelo menos 75% das palestras poderão obter um certificado referente ao ciclo no final do ano.

GUIMARÃES ROSA: O processo de transcodificação no discurso literário
Por Augusto Cesar Vassilopoulos
Sábado, 30 de junho, das 16h às 18h

A palestra abordará aspectos da obra de Guimarães Rosa, que observou atentamente o “espaço-vivo” do sertão mineiro e decidiu transcrevê-lo para os seus contos e romances. O autor revolucionou as formas possíveis de transcodificação literária por meio de um método em que as particularidades das paisagens, dos costumes, das vivências, das crendices e do vocabulário regional mineiro se materializassem em seu discurso.

Ciclo A OBRA DE JAMES JOYCE
Por Maria Teresa Quirino
Sextas-feiras, das 19h às 21h

No mês de celebração do Bloomsday, a professora Maria Teresa Quirino fará uma série de três palestras que pretende oferecer um panorama sobre as principais obras de James Joyce.

8 de junho: Dublinenses
15 de junho: Retrato do artista quando jovem
22 de junho: Desvendando o Ulysses, de James Joyce
29 de junho: Finnegans wake

meu LIVRINHO DE CARIMBOS
Domingo, 24 de junho, das 15h às 16h30
Núcleo de Ação Educativa
Vagas: 12
Público: crianças a partir de seis anos, acompanhadas de familiares.

Crianças, acompanhadas de seus familiares, conhecerão alguns princípios da imagem impressa por meio da criação de carimbos e confeccionarão seus próprios livrinhos com as ilustrações.

PACAEMBU ONTEM E HOJE: “Ir morar naquele fim de mundo*”
Núcleo de Ação Educativa
Quinta-feira, 21 de junho, das 19h às 20h
Vagas: 6

A visita abordará as transformações urbanas no entorno do museu a partir da leitura da crônica “A Casa da Colina”, de Guilherme de Almeida.

*Trecho extraído da crônica “A casa da colina”.

CASA MÁRIO DE ANDRADE

QUADRILHA PARA VER E DANÇAR
Por Balé Popular Cordão da Terra
Sábado, 23 de junho, das 15h às 18h

A Quadrilha é uma das danças mais populares do Brasil, presente nos tradicionais festejos juninos. O grupo Balé Popular Cordão da Terra, de São Paulo, envolverá o público em sua apresentação de quadrilha no galpão da Casa Mário de Andrade, que contará, também, com a encenação de um casamento caipira, barracas típicas e brincadeiras tradicionais.

MÁRIO FOTÓGRAFO
Até 4 de agosto, de terça a domingo, das 10h às 18h

Baseada nos estudos e na produção fotográfica de Mário de Andrade, a exposição montada no porão da Casa apresenta ao público um lado pouco conhecido do escritor: fotos suas de paisagens (inclusive das regiões norte e nordeste do país) e de personagens da cidade de São Paulo, além de experimentos realizados por ele, como os autorretratos em sombra.

ARTISTAS ITALIANOS NA COLEÇÃO MÁRIO DE ANDRADE
Até 4 de agosto, de terça a domingo, das 10h às 18h

A Casa Mário de Andrade revive os tempos em que era residência do escritor, quando exibia, em seus ambientes, obras de Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Victor Brecheret, entre tantos outros. Em parceria com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, o Museu apresenta, em seu andar superior, uma mostra com réplicas de criações de artistas de origem italiana integrantes na Coleção Mário de Andrade, hoje abrigada no Instituto de Estudos Brasileiros – IEB, da USP. A abertura da exposição contará com uma mesa-redonda sobre seu tema e um concerto musical que destacará composições de artistas italianos.

16 de junho: Vanguardas e a recuperação do arcaico. Poetas-xamãs. Há ou houve uma segunda vanguarda? (Beats, surrealistas portugueses etc.).

VANGUARDAS EUROPEIAS E MODERNISMO BRASILEIRO
Por Lilian Escorel
Quarta-feira, 20 de junho, das 19h às 21h

A partir da apresentação da biblioteca particular de Mário de Andrade, que reúne algumas das principais publicações das vanguardas europeias, a palestra abordará as anotações feitas pelo escritor à margem dos exemplares da revista francesa L’Esprit Nouveau, criada em 1920 pelo poeta dadaísta Paul Dermée. Ali estão esboços da criação poética e teórica do autor de Pauliceia desvairada sobre nosso modernismo às vésperas da Semana de Arte Moderna, em 1922.

CONCERTOS DESVAIRADOS
Por Murilo Emerenciano e convidados
Sábado, 26 de maio e 30 de junho, das 16h às 18h

A Casa revive os concertos promovidos por Mário de Andrade no salão em que o poeta costumava receber seus ilustres convidados modernistas, na “pauliceia desvairada”.  Em maio, o repertório será dedicado aos compositores italianos de música renascentista, barroca e clássica e, em junho, à música romântica e contemporânea.

Fonte: Poiesis