PROGRAMAÇÃO: MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Dança, música, arte, circo, debate, literatura e poesia são os principais destaques da programação preparada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa no mês da Consciência Negra

Programação

Capital

Museu Afro Brasil

Em parceria com o Google Arts and Culture, o Museu Afro Brasil dá início à campanha “A história que a história não viu”, ação que teve a participação de jovens artistas negros e negras, convidados a criar obras a partir de temas marginalizados da história brasileira, mas que tiveram importante participação de mulheres e homens negros.

18 de novembro
O museu disponibilizará em seu canal oficial do Youtube a oficina “Impressões da cor”, uma atividade que mistura técnicas de xilogravura com os temas abordados no acervo do museu. A oficina será realizada pelo artista, oficineiro e arte-educador Luís Carlos Batista.

19 de novembro
O educador do Museu Afro Brasil Gabriel Rocha fará a visita temática virtual “Trabalho, da escravidão à abolição”, que tem como objetivo apresentar e discutir questões pertinentes à exposição de longa duração do acervo do museu. Ambas as atividades poderão ser assistidas pelo canal oficial do Museu Afro Brasil no Youtube.

20 de novembro
O Museu Afro Brasil realizará a abertura presencial e online da exposição “Melvin Edwards – o escultor da resistência”, que trará a público um conjunto de grandes esculturas, pinturas e instalações produzidas pelo artista plástico que dá nome à mostra. Com mais de 30 peças elaboradas em diferentes formatos e suportes, como metal, arame e aço; a individual traz obras produzidas pelo escultor estadunidense em sua última passagem pelo país, em 2019. A exposição fica em cartaz até o dia 31 de janeiro de 2021.

O museu inaugura a homenagem “Deus salve o rei – 80 anos de Pelé”, que traz uma iconografia em homenagem aos oitenta anos do ex-jogador de futebol da seleção brasileira, possibilitando o conhecimento de um conjunto iconográfico que mostra a presença do atleta como símbolo da cultura nacional e do imaginário popular.

Com o objetivo de alcançar o maior número de público, a Semana da Consciência Negra do Museu Afro Brasil ocorrerá virtualmente pelas mídias sociais do equipamento e de parceiros. A abertura de exposição, no entanto, ocorre presencialmente, conforme normas e procedimentos de funcionamento que visam a saúde de visitantes e funcionários

Biblioteca Parque Villa-Lobos

A Nova Califórnia (online)

20 de novembro, às 18h
Neste bate-papo, a professora Tainá Félix da Silva apresenta aspectos do processo de adaptação da obra “A Nova Califórnia” (1910), de Lima Barreto, para um jogo digital. Ela fala sobre criação, escolhas de design e pesquisas durante o desenvolvimento. Também relata experiências após o lançamento que levaram a novos conhecimentos relacionados à decolonialidade, lugar de fala e pensamentos de criação e circulação de obras de maneira não hegemônicas.
Classificação indicativa: a partir de 12 anos
Inscrição

Segundas Intenções com Marcelo D’ Salete (online)
23 de novembro, às 19h 
O convidado do Segundas Intenções Online é Marcelo D´Salete, autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Entre suas obras constam “Cumbe”, que aborda o período colonial e a resistência negra contra a escravidão no Brasil, e “Angola Janga – Uma História de Palmares”, que trata dos antigos mocambos da Serra da Barriga, mais conhecido como Quilombo dos Palmares. O primeiro título faturou o Eisner Awards 2018 e o segundo ficou com o Prêmio Jabuti 2018.
Assista

Casa das Rosas  
Recital Expresso Poesia
21 de novembro, 15h
O museu convida poetas de diversas gerações para servirem doses altamente concentradas de poesia, agora em formato online. As performances ficam disponíveis nas redes sociais da Casa das Rosas. Não perca o expresso da poesia.
Os eventos serão transmitidos na página da Casa das Rosas, no Facebook e no YouTube.

Museu da Imigração
A Hospedaria de Imigrantes e os tijolos do racismo estrutural no Brasil (online)
18 e 25 de novembro e 02, 09 e 10 de dezembro, às 18h
O curso tem a finalidade de iniciar uma abordagem autocrítica envolvendo questões relacionadas ao período da “Grande Imigração” e ao cenário da construção da Hospedaria de Imigrantes do Brás. O cronograma contará a participação de convidados especializados, debatendo desde o problema da raça até o mito da democracia racial. Haverá emissão de certificado para aqueles que preencherem um formulário disponibilizado durante as aulas.
Informações

Museu da Resistência
Dentro da minha pele: debatendo racismo e resistência
21 de novembro, às 15h
Debate sobre racismo e resistência, sob o olhar do último filme documentário que acaba de ser lançado pela produtora Olhar Imaginário e que leva o título de “Dentro da minha pele”. O documentário conta a história de nove pessoas comuns, com diferentes tons de pele negra, e que apresentam aspectos de seu cotidiano na cidade de São Paulo, compartilhando suas experiências e suas perspectivas sobre a questão racial, suas dores, seus passos e aprendizados.  Para este debate, teremos o prazer de ter conosco os diretores do filme , Toni Venturi e Waldirene Gomes , que serão acompanhados pela Professora Flavia M. Rios.  As falas dos três palestrantes serão acompanhadas por trechos do filme, selecionados pela produtora,  para alimentar o debate entre eles e com os participantes do evento.
Assista

Museu do Futebol
Racismo e Esporte

17 e 24 de novembro, das 10h às 12h
O curso traz um panorama sobre o racismo no Brasil: como ele se constitui enquanto estrutura que fundou nossa sociedade, desde o período colonial, do ponto de vista jurídico, comportamental, cultural e simbólico. A última aula trará foco nos esportes: como manifestações de nossa sociedade, a prática esportiva não está imune ao racismo, ainda que tenhamos nos acostumado a ver negros bem sucedidos nesse campo. Pelé, pelo simbolismo que representa mundialmente, é um dos casos bons para pensar o quanto o futebol no Brasil – que durante décadas acomodou o discurso da “democracia racial” – é um espelho da estrutura racista que impera no país.
– As inscrições já foram encerradas, porém ainda é possível acompanhar o evento sem o certificado.
Assista

OFICINAS

OFICINA CULTURAL ALFREDO VOLPI

O LEGADO DAS MESTRAS E MESTRES – PRETA LESTE 5 ANOS

19 de novembro, às 15h
A Preta Leste surge, em 2016, com o intuito de pautar as questões étnico-raciais e a valorização dos saberes culturais de origem afrobrasileira. A curadoria do evento sempre esteve atenta à importância de ter em sua programação artistas, mestres e mestras que nos antecederam, já que são essas pessoas as principais mantenedoras da memória do território e da tradição. E nesse ano em que a Preta Leste completa 5 anos, convidamos para estar conosco a mestra Soraia Aparecida, da Cia de Cultura Popular Lelê de Oyá, que, em 2020, completa 10 anos, e o mestre Pedro Peu, do Batakerê, grupo que já tem 17 anos de existência.
Assista: https://www.youtube.com/channel/UCx4ySlsHp1HfVZcwbvulpAQ

RITUAIS SAGRADOS X CORPOREIDADES NEGRAS
26 de novembro, às 15h 
Pensar o corpo como terreiro, reflexão cunhada por Luiz Antonio Simas, é pensar as corporeidades negras em diáspora como assentamento de saberes, de onde se manifestam múltiplas sabedorias de África transportadas pelo Atlântico. Esse movimento só foi possível através do corpo, suporte de memória, que nos rituais reinventa mundos e desafia a dinâmica da vida.
Assista: https://www.instagram.com/nucleocorporeidades/

OFICINA CULTURAL MAESTRO JUAN SERRANO
WORKSHOP VIRTUAL DE DANÇA AFRO: NÚCLEO DE CULTURA AFRO-BRASILEIRA
20 de novembro, às 17h
No dia da Consciência Negra, que é lembrado no Brasil em 20 de novembro, iremos retratar a beleza da diversidade étnica cultural através da expressão corporal. Com música ao vivo e o ritmo marcado pelos instrumentos de percussão, as coreografias contarão com movimentos policêntricos característicos da dança, permitindo aos participantes vivenciarem esta expressão que recebeu influências de diversas manifestações do universo cultural afro-brasileiro.
Inscrições para a oficina pelo número: Whatsapp (11) 3971-3640

A INFLUÊNCIA AFRICANA NA CULINÁRIA BRASILEIRA: NÚCLEO DE CULTURA AFRO-BRASILEIRA
21 de novembro, às 10h15
Informações: Whatsapp (11) 3971-3640.

FÁBRICAS DE CULTURA – Zona norte e Diadema 

HISTÓRIA CANTADA: OLÊLÊ – UMA ANTIGA CANTIGA DA ÁFRICA 
19 de novembro, às 15h
Por meio de brincadeiras musicais e histórias cantadas do universo infantil, que valorizam a cultura afro-brasileira e africana, participe dessa contação de histórias em que o foco principal é o “brincar”!

Assista

GASPAR Z’AFRICA BRASIL APRESENTA
19 de novembro, às 19h
O vídeo apresentado por Gaspar, autor do livro e integrante do grupo Z’África Brasil, descreve ainda os detalhes da obra, como sua construção textual em versos e as ilustrações com desenhos para colorir, feitas pelo grafiteiro Mirage. Além disso, o projeto é retratado também em versão audiobook, tornando-se multimídia. Assista

OFICINA COMICIDADE NEGRA
20 de novembro, às 15h
Aprenda sobre a dramaturgia, a musicalidade, a história e a construção corporal do palhaço, sob um olhar de quebra de estereótipos da população negra, estimulando a crítica pelo riso (comicidade).
Assista

AFRICANIDADE: ÁFRICA ATRAVÉS DOS PANOS
20 de novembro, 17h
Falando de pertencimento do corpo negro no cenário da moda, ancestralidade, identidade, discurso, memórias coletivas, cultura, a moda da diáspora étnica, da matriz africana, fazendo da moda a mola propulsora como ferramenta do processo CORPO MANIFESTO.
Assista

POCKET SHOW SENZALA HI-TECH
20 de novembro, 18h
Confira o pocket show do grupo musical paulistano Senzala Hi-tech. Seu repertório sonoro une o hip-hop e as influências musicais do funk/soul, samba, reggae, dub e sons da África às Américas. A identidade visual do grupo é inspirada em referências do Afrofuturismo, movimento estético-artístico que valoriza a ancestralidade africana na formação das culturas afro diaspóricas e suas conexões com o futuro através da arte.
Assista

#FICACITA – RAÍZES PRETAS: ANCESTRALIDADE, TERRITÓRIO E ARTE
21 de novembro, às 19h
No mês da consciência negra, artistas que constroem o CITA – Canto de Integração de Todas as Artes, se unem em vídeo performance propondo uma reflexão sobre essa consciência a partir do olhar para a ancestralidade e o fazer artístico do território. Esse trabalho vem para refletir sobre como as raízes profundas que temos, literais ou não, seguem fortificando nossas trajetórias.
Assista

CINE RAIZ FORTE
23, 30 de novembro e 7 de dezembro, às 18h
O Cine Raiz Forte contempla a exibição dos três episódios da websérie Raiz Forte acompanhados da fala da diretora Charlene Bicalho. O projeto propõe sensibilizar o público a respeito da temática étnico-racial, contribuindo com o combate ao racismo cotidiano, e promover reflexões sobre o respeito às diferenças, visando a construção de processos de educação anti-racista.
Assista


FILOSOFIA DO SAMBA COM INSTITUTO DIVERSIDADE

27 de novembro, às 18h
Não é de hoje que se discute a valorização e/ou desvalorização de outros tipos de saberes, inclusive na academia. A Oralidade, a Corporeidade, entre outras, são formas de saberes ancestrais do povo preto, seja africano ou diaspórico. Presentes na Ginga, na habilidade de resistir e de viver, esses saberes são passados de geração em geração por meio de nossas manifestações artísticas e culturais como a Capoeira, Samba, Congada, Candomblé, RAP, entre outros. Assista

FESTIVAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA RAP
28 de novembro, às 20h
Por meio de um show de RAP, Winnit propõe um espaço para o diálogo sobre racismo, amor, superação, e ascensão do povo preto, muito improviso, e música de qualidade. O start desse projeto é no mês de novembro, mês da consciência negra. Façam barulho e com vocês… “30 segundos para Winnit”.
Assista: https://www.youtube.com/c/fabricasdeculturavideos/

MEMÓRIA E HISTÓRIA: UMA CONVERSA SOBRE TULA PILAR – COM EQUIPE BIBLIOTECA
18 de novembro, às 15h
Nesta atividade vamos celebrar a trajetória de Tula Pilar. Autora mineira, chegou à São Paulo motivada por trabalho e em sua trajetória imprime o “ser Carolina” deste país. Autora de livros “Palavras Inacadêmicas”, produzido de forma independente em 2004, e “Sensualidade de fino trato”, publicado pelo selo do Sarau do Binho em 2017. Esperamos vocês!
Assista

CASA VERDE, TERRITÓRIO NEGRO – COM EQUIPE BIBLIOTECA
20 de novembro, às 11h
A atividade tem como objetivo apresentar o livro “Casa Verde, uma pequena África paulistana” de Tadeu Kaçula, que narra as manifestações culturais do bairro da Casa Verde e a forte influência das manifestações de matriz africana para a construção deste território, evidenciando a importância de reafirmar territórios negros na cidade de São Paulo.
Assista

QUIZ DA MEMÓRIA – COM EQUIPE BIBLIOTECA
20 de novembro, 15h
Inspirada na atividade realizada na biblioteca do Capão “O que acontece antes do 20 de novembro?” que tornou negro o jogo da memória, trago um convite a conhecer célebres personalidades negras brasileiras em um jogo para exercitar nossas memórias sobre protagonismo negro.
Assista 

REPRESENTATIVIDADE NEGRA NA PALHAÇARIA – COM EQUIPE BIBLIOTECA
23 de novembro, às 11h
Nesta atividade, vamos conhecer mais a fundo palhaças e palhaços negros e suas representatividades. A proposta é compartilhar informações sobre projetos e pesquisas negras dentro da comicidade brasileira. Um encontro virtual descontraído e com conhecimentos importantes para a pesquisa artística dentro da Palhaçaria.
Assista

É PRECISO FALAR DE LÉLIA GONZALEZ – COM EQUIPE BIBLIOTECA
23 de novembro, às 15h
No mês da Consciência Negra queremos manter viva a história da mulher preta, militante, filósofa, historiadora, professora, antropóloga, política e intelectual Lélia Gonzalez. Nesta vídeo atividade vamos falar sobre sua biografia e grande contribuição para a história afro-ameríndia.
Assista

MARIA HELENA VARGAS DA SILVEIRA: A HELENA DO SUL – COM EQUIPE BIBLIOTECA
24 de novembro, às 15h
A partir da leitura de trechos extraídos de algumas obras de Helena do Sul, apresentaremos uma breve biografia desta escritora gaúcha nascida em Pelotas, assim abordaremos sua trajetória profissional dentro e fora da literatura e sua importância enquanto professora, escritora e militante negra.
Assista

O VERBO É AFROBETIZAR – COM EQUIPE BIBLIOTECA
25 de novembro, às 15h
Nesse bate-papo iremos conhecer alguns artistas plásticos negros brasileiros e sua importância como expressão política e social. Temos artistas fantásticos e falar sobre esses artistas expande nossa consciência a respeito da equidade no meio das artes plásticas, além de contribuir para a democratização da arte contemporânea negra fora das galerias.
Assista

MÁSCARAS AFRICANAS – COM EQUIPE BIBLIOTECA
27 de novembro, às 15h
Com a oficina de confecção de máscaras africanas, iremos lembrar o mês da consciência preta. Essa oficina tem como objetivo trabalharmos o senso criativo utilizando como referência a cultura africana, com variados modelos para enfeitar o ambiente com essa arte milenar.
Assista

NÃO É SÓ SOBRE CABELO: REFERÊNCIAS LITERÁRIAS QUE TRANSFORMAM – COM EQUIPE BIBLIOTECA
27 de novembro, às 11h
Demorou, mas uma mudança sobre a visão e aceitação da beleza dos cabelos naturais, crespos, cacheados e blacks chegou para ficar. Nesta atividade, vamos conversar sobre as obras de Kiusam de Oliveira: “O mundo no black power de Tayó e O black power de Akin”. Ótimas referências da literatura infantil sobre ancestralidade, aceitação e autoestima, pois nunca é ou será só sobre cabelo.
Assista 

Litoral 

Museu do Café

Dia da Consciência Negra | Contação de história (online)

20 de novembro, às 10h30 

Voltada ao público infantil e familiar, o conto “o que aprendemos com os griots?” usará fantoches, sons, imagens e outros elementos cênicos para ampliar o imaginário sobre o continente africano, por meio da ludicidade.

Assista

Interior 

Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Consciência Negra: Bate-papo com o Professor Christian

20 de novembro, às 15h
Para lembrar o Dia da Consciência Negra, Museu e Auditório convidaram o Professor Christian Fernando dos Santos Moura para um bate-papo sobre a importância dos povos e da cultura africana na construção da identidade brasileira
Informações

Museu Casa de Portinari

Especial – Dia da Consciência Negra

20 de novembro, às 12h 

Live com a artista Con Silva sobre cultura e negritude brasileira. Ela é instrutora de artes e jurada de Carnaval, já ministrou palestras em instituições públicas e privadas abordando diversos temas da cultura afro brasileira. Além disso, também é ativista do Movimento Negro.

Link

OFICINAS
TRILHA HISTÓRICA DO MÊS DA CONSCIÊNCIA NEGRA: OS FATOS QUE MARCARAM O MOVIMENTO NEGRO
25 de novembro, 18h
Ação proposta pelo Projeto Afro, que apresentará os principais fatos históricos das últimas décadas, que culminaram no Mês da Consciência Negra no Brasil e na criação da data de 20 de Novembro, Dia da Consciência Negra, feriado em algumas cidades brasileiras. Leonardo Fabri, sociólogo e cientista político, e Deri Andrade, do Projeto Afro, debatem as datas, reativando a importância de lembrá-las para entendermos as atuais discussões sobre a luta antirracista, apresentando um panorama histórico e relevante dos fatos, relacionando com obras de alguns artistas mapeadas pelo Projeto.
Inscrições até: até 16 de novembro | https://forms.gle/Dp2yusa3NagzxAvu6

LITERATURA E FANTASIA NEGRA: HISTÓRIAS DE AFETO E AFROFUTURISMO
4 de dezembro, às 18h
A proposta do Projeto Afro, com foco em livrarias e bibliotecas, sugere um debate sobre afrofuturismo na literatura, ao ponto que apresenta importantes ações no campo literário, como a criação da Livraria Africanidades, de Ketty Valêncio. Além da empreendedora, o encontro terá a participação de Ale Santos, escritor e colunista, com livros que tratam de história, ficção e fantasia afroamericana e afrofuturista. Como a literatura pode ser uma importante catalisadora de ações efetivas no combate ao racismo? Em um momento em que o setor literário passa por uma difícil e real possibilidade de taxação de livros, o encontro torna-se ainda mais importante para repensar os rumos da área neste atual cenário.
Inscrições:https://forms.gle/Uyo7bxgLs5xQdfnX9

ENCONTROS AFRO-DIASPÓRICOS: A PERFORMANCE COMO DISPOSITIVO DA ORALIDADE 
7 de dezembro, às 18h
A artista e curadora Ana Beatriz Almeida apresentará sua pesquisa nas tradições corporais negras das comunidades do Baba Egun e da Irmandade da Boa Morte. Proposta pelo Projeto Afro, o encontro propõe um diálogo entre passado (oralidade) e futuro, fundamentada na promoção e fomento da tradição oral, a partir de uma perspectiva decolonial de transmissão de conhecimentos no campo da performance.
Inscrições: https://forms.gle/AhHzVBX2r64SH4eaA

Fonte: Secretaria de Cultura e Economia Criativa