Por Trás da Máscara: 50 Anos de Persona

“Eu fui o mais longe que poderia ter ido”, disse o diretor sueco Ingmar Bergman (1918-2007) sobrePersona (1966). Afirmou também: “Persona salvou minha vida. Isso não é exagero”. O filme, para além da importância que tem para o diretor, há 50 anos influencia a produção audiovisual – de obras cult a comédias românticas, do cinema às séries televisivas. A origem e o impacto desse longa são o tema de Por Trás da Máscara: 50 Anos de Persona, em cartaz de 15 de outubro a 6 de novembro no Itaú Cultural, em São Paulo.

 

A mostra abrange cadernos de trabalho de Bergman, trechos do roteiro de Persona e material fotográfico e audiovisual – por exemplo, o único registro em cores do filme. É a primeira vez que o conteúdo é apresentado fora da Suécia, onde foi exibido pela fundação Bergmancenter. Por Trás da Máscara é realizada pelo Itaú Cultural em parceria com a fundação sueca e com a 40ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Como parte da programação, o filme será exibido (em cópia restaurada de DCP) no dia 20 de outubro, às 19h, seguido do debate Desvendando Persona, às 20h30, com participação do psicanalista Contardo Calligaris, da cineasta Tata Amaral, da diretora da Bergmancenter Helen Beltrame-Linné e do jornalista Sérgio Rizzo.

 

Persona tem em seus papéis principais as atrizes Liv Ullmann (senhora Vogler) e Bibi Andersson (Alma). Quando a personagem de Liv emudece sem explicação em meio a uma apresentação da peça Electra, do dramaturgo grego Sófocles, passa a receber os cuidados da enfermeira Alma. A partir do relacionamento intenso entre as duas, o filme aborda, entre outros temas, a noção de identidade.

 

Bergman realizou cerca de 60 filmes de ficção e documentários, além de ter dirigido mais de 170 peças de teatro. Seu trabalho impactou diretores como Woody Allen e David Lynch, além dos brasileiros Walter Hugo Khouri, Rubem Biáfora e Felipe Hirsch. Nas suas obras, discute sobre a morte, o chamado “silêncio de Deus” – um sentimento de falta ligado à religiosidade –, o erótico, a violência.

 

“Eu não quero fazer meramente filmes intelectuais”, disse Bergman, “eu quero que o público sinta os meus filmes”. O que podemos sentir em Persona?

 

3.Persona AB Svensk Filmindustri credito fotografo Bo-Arne Vibenius-348x244 

 

Por Trás da Máscara: 50 Anos de Persona

visitação
sábado 15 de outubro a domingo 6 de novembro de 2016

terça a sexta 9h às 20h [permanência até as 20h30]
sábado, domingo e feriado 11h às 20h
Sala Multiúso (piso 2)

 

Fonte: Itaú Cultural

Imagem: fotografo Bo-Arne Vibenius