Perícia comprova que afresco em museu de SP é mesmo de Portinari

  portinari

Pintura foi descoberta na casa do pintor em maio deste ano. Jornal Nacional antecipa o laudo da perícia que vai ser divulgado na terça (29).

No mês de maio, o Jornal Nacional mostrou com exclusividade a imagem de uma pintura, um afresco que foi descoberto na casa do pintor Cândido Portinari, no interior de São Paulo. A autoria daquela obra era desconhecida. O Jornal Nacional antecipa o laudo da perícia que vai ser divulgado na terça-feira (29).

O pontinho azul em uma das paredes da casa em que Cândido Portinari viveu, em Brodowski, no interior de São Paulo, foi uma surpresa para os restauradores. Com muito cuidado, eles desvendaram os traços de um afresco que ficou escondido por mais de sete décadas.

O trabalho de restauração do Museu Portinari durou quase dois anos e exigiu muita pesquisa. Uma sala serviu como um laboratório para os técnicos. Lá eles conheceram em detalhes como era a estrutura da casa do artista e descobriram, por exemplo, nas paredes, 15 camadas de tintas.

Foi assim, retirando camada por camada de tinta, que surgiu “Madona com o menino Jesus”. Mas faltava saber quem pintou a imagem da mulher com um bebê nos braços. Depois de muito estudo, os peritos finalmente esclareceram o mistério.

“Concluímos, a partir dessa avaliação, que era uma obra, de fato, de Portinari e de um colaborador. Esse colaborador nós não sabemos quem é. Mas o menino Jesus é certamente da mão dele”, afirma Edson Motta Junior, Comissão de Autenticação de obras de Portinari.

A casa de Cândido Portinari sempre esteve de portas abertas para os amigos pintores. Lá, alguns deixaram as suas pinceladas. Três dos 20 afrescos do museu são de artistas convidados por Portinari. A capela da Nona, que ele construiu no quintal para a avó Pelegrina rezar, tem pinturas de santos com o rosto de parentes do artista.

As fotos inéditas, de uma reportagem da revista americana “Time Life”, mostram Portinari com a avó durante a construção da capela. Outra fotografia da década de 40 revela uma parte da casa onde antes era uma varanda. No canto direito, atrás da esposa de Portinari, está o afresco que só reapareceu há poucos meses.

“A obra vai ser catalogada como autoria dele mas nós ainda vamos prosseguir, tentando descobrir qual seria esse artista, esse amigo que também pintou junto com ele”, afirma a diretora do museu Angélica Fabbri.

Clique no link abaixo e assista a matéria na íntegra! 

Fonte: Jornal Nacional