Parte dos projetos do Instituto é apoiada pelo mecanismo de incentivo fiscal da Lei Rouanet

Fotos: Divulgação Instituto Inhotim.
Galerias foram desenvolvidas especificamente para receber obras como as de Hélio Oiticica
 
Visitado recentemente pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC), em sua 204ª reunião, em Minas Gerais, o Instituto Inhotim é considerado um lugar em contínua transformação, onde a arte convive em relação única com a natureza.
 
O espaço é situado em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, e ocupa uma área de 110 hectares de jardins botânicos, com uma extensa coleção de espécies tropicais raras e um acervo artístico de relevância internacional.
 
Seu acervo vem sendo formado desde meados de 1980. Pintura, escultura, desenho, fotografia, vídeo e instalações de renomados artistas brasileiros e internacionais são exibidos em galerias espalhadas pelo Jardim Botânico.
 
Os espaços expositivos são divididos em 18 galerias dedicadas a obras permanentes, outras quatro para obras temporárias e diversas obras de arte espalhadas. Bienalmente uma nova mostra temporária é apresentada, com o intuito de divulgar as novas aquisições e criar reinterpretações da coleção, e novos projetos individuais de artistas são inaugurados, fazendo de Inhotim um lugar em constante evolução.
 
Continue lendo
 
Fonte: Caroline Borralho, Sefic/MinC