Para celebrar o aniversário de SP, Museu Afro Brasil revela histórias e memórias da maior cidade da América Latina

Skyline SPaulo  Cristina Ataide-450x336
Cristina Ataíde, Skyline São Paulo, 2012, Desenho a Lápis glashocrom sobre papel / Foto: Divulgação

A exposição “São Paulo 461 – Histórias e Memórias de uma Metrópole” conduz uma arqueologia, por meio de fotografias, iconografias, esculturas, livros, pinturas, fantasias, vestidos, poemas, mapas, instalações e depoimentos. A mostra fica em cartaz até o dia 20 de março de 2015.

São Paulo passou de uma simples aldeia a uma das capitais do mundo. O mosaico da exposição é formado por telas dos pintores Massao Okinaka, Daniel Melim, Jacques Leclerc, Odetto Guersoni, Charles Pepford, Nilton Mesquita e Carolina Caliento, esculturas de Victor Becheret e imagens captadas pelos legendários German Lorca, Gaspar Gasparian, e outros fotógrafos anônimos. As fotografias revelam momentos históricos da cidade, a exemplo dos desfiles de carnaval na Avenida Paulista na década de 1930; flagrantes de ícones da cultura paulistana, como o escritor modernista Mário de Andrade.

A mostra apresenta também peças de vestuário produzidas por Maria Adelaide da Silva, obras com emblemas dos times de futebol da cidade, porcelanas do século XIX, mapas, iconografias e selos comemorativos, dentre outros objetivos. A mostra é composta também de documentos sobre as transformações promovidas em São Paulo, no decorrer dos anos. Outro aspecto abordado na exposição é a história do samba na cidadeTraz para os dias de hoje um pouco do samba da cidade, com os shows dos músicos Cesinha Pivetta, Osvaldinho da Cuíca e Toinho Melodia.

Para Emanoel Araujo a exposição junta o passado, presente e o futuro. Um passado que se fez primeiramente como uma vila e depois com seu esplendor dos belos prédios, de seus belos edifícios públicos e privados.

Fonte: Catraca Livre