“Ofélia”, de Shakespeare, é retratada em exposição no MACS

Artista Lúcia Castanho exibe fotografias que recriam toda a angústia vivida pela amada de Hamlet; performances inusitadas marcam a interação da mostra com o público. “No plangente riacho, suas roupas se abriram e, como uma sereia, boiou por instantes. E, aí, entoou refrões de antigas cantorias, como alguém insensível à própria agonia”.

A frase, retirada da obra Hamlet, de Shakespeare, traduz a alma atormentada e o fim trágico de Ofélia, uma das principais personagens shakespearianas, que será tema da próxima grande exposição realizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (MACS), a partir do dia 28/09, no Chalé Francês, sede provisória do Museu, localizada na Avenida Afonso Vergueiro, 280, Centro.

A figura melancólica de Ofélia foi reconstruída através do olhar da artista plástica sorocabana Lucia Castanho, que emergiu nos devaneios e tristezas da heroína, para retratar a multiplicidade dos significados do texto produzido pelo escritor inglês. É a primeira vez que uma artista da cidade realiza uma mostra individual desse porte no MACS. Em Hamlet, Ofélia é sempre retratada através da fala de outros, ou da visão deturpada do personagem principal. Até sua morte foi relatada e idealizada pela rainha Gertrudes”, explica a artista.

Para a construção da mostra, que terá curadoria do museólogo Fábio Magalhães, Lucia refez muitos dos símbolos, como a papoula vermelha, que representa o sono e a morte, além da guirlanda de violetas, que simboliza a castidade e a morte prematura. Ambas aparecem em uma das principais retratações de Ofélia, feita por John Everett Millais. De acordo com Magalhães, a artista transformou o ritual de afogamento de Ofélia em um momento sensível e delicado. “Mesmo com tudo isso, ela não perdeu o sentido trágico e cruel da morte da personagem”, avalia.

A exposição, que tem entrada gratuita, ficará aberta ao público até o dia 27 de outubro, podendo ser visitada às terças-feiras, das 10h às 21h, às quartas, quintas e sextas-feiras, das 10h às 17h e, aos finais de semana e feriados, das 10h às 15h.

Interação com o público

Como nunca antes realizado, para integrar o público à mostra, o MACS e a artista Lucia Castanho promovem performances inusitadas ao longo da exposição. Uma delas, será uma ação de boy art inédita no cenário cultural brasileiro, irá permitir que 50 inscritos na página do Museu no Facebook sejam sorteados para ganhar uma tatuagem definitiva de uma obra da artista no corpo. A ação, que será realizada no dia 08/10, das 10h às 21h horas, é uma parceria com o
estúdio de tatuagens Irmãos de Tinta .Todos os sorteados receberão um certificado de autenticidade da obra. Para participar, os interessados devem se inscrever pela fan page do MACS.

Outra ação especial será a performance “Ofélia é Morta”, no dia 22/10, das17h às 21h horas, quando um grupo de atrizes realizarão uma performance da cena da morte da personagem ao público. Antes, no dia 15/10, Lucia presenteia os visitantes com um bate-papo sobre suas obras.

A exposição conta com o patrocínio das empresas Sorocaba Refrescos – Coca-Cola, Dana e Gas Natural Fenosa, com o incentivo do Programa de Apoio a Cultura da Secretaria de Estado e o apoio das Secretarias Municipais da Cultura e Lazer e da Educação de Sorocaba e do IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil).

Serviço:

Exposição: “Ofélia”

Quando: de 28 de setembro a 27 de outubro

Horário: terças-feiras, das 10h às 21h; Quartas, quintas e sextas-feiras,
das 10h às 17h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h.

Local: Chalé Francês (Av. Afonso Vergueiro, 280, Centro), em frente à antiga
Estação Ferroviária de Sorocaba e Casa do Turista.

Entrada gratuita

Informações: (15) 3233-1692

*Visitas monitoradas gratuitas para escolas devem ser agendadas pelo
telefone, acima, ou pelo email: macs@macs.org.br.