Museu dos Naufrágios permanecerá na cidade de Ilhabela

111111111IMG 2619

No dia 10/06 o diretor e proprietário do Museu dos Naufrágios de Ilhabela, Jeannis Michail Platon notificou o encerramento das atividades do setor turístico ao prefeito Antônio Colucci e ao secretário de Turismo e Fomento, Harry Finger durante uma reunião realizada na tarde de segunda feira. Devido o fato de não possuir um caráter público ou verbas estaduais nem federais para auxiliar em sua manutenção, foi decidido que o Museu fecharia suas portas e deixaria a cidade de Ilhabela.

“A ameaça de fechamento deste museu é lamentável, pois ele é único desta natureza. Existe a intenção da Prefeitura em adquiri-lo, mas atualmente é inviável financeiramente”, explicou o prefeito Antônio Colucci.

O Museu existe há três anos e em seu primeiro ano permaneceu no Espaço Ancoradouro, no Perequê, numa parceria com a sua proprietária, a empresária Heloísa Lacerda. O arquipélago de Ilhabela concentra um dos maiores números de naufrágios do Brasil e Jeannis Platon que mergulha há 40 anos reuniu um rico patrimônio formado pelo acervo que conta a história do fundo do mar não só ao redor da ilha, mas também na região.

“Seria uma pena Ilhabela perder um patrimônio deste quilate, pois nunca mais haverá outra oportunidade de juntar todo este material num só lugar. Foram muitos anos dedicado a este objetivo”, comentou Platon.

6961 220872308059736 865109424 n

A Petição do Museu Náutico de Ilhabela criada por Edson Persch saiu no Jornal Diário do Litoral Norte de 18/06/2013, página 03, coluna Painel.

Diante da notícia de que o espaço permaneceria ativo até o dia 30 do mês de junho, o autor Edson Persch criou uma petição on line em prol de sua permanência na cidade, com a colaboração dos amigos e internautas, a ação gerou uma onda de debates nas redes sociais arrecadando nos primeiros dias cerca de 800 assinaturas de apoiadores de dentro e fora do Brasil.

“É notável no mapa de Ilhabela a quantidade de navios que naufragaram na região, o museu traz a tona todas estas histórias submersas, resgatando de forma única este rico episódio de nossa história. Compreendemos as dificuldades e a luta do diretor e da prefeitura para manter o espaço funcionando na cidade, mas não poderíamos deixar passar em branco, seria como pegar as memórias de Ilhabela e espalhá-las ao vento” disse o autor Edson Persch

Diante dos comentários e das quase mil assinaturas dos apoiadores que abraçaram a causa e a petição, uma nova reunião com o diretor do museu foi marcada pelo prefeito onde, foi decretado por ele que o espaço permanecerá ativo na cidade de Ilhabela. Antônio Colucci cedeu um espaço no antigo prédio do Espaço Ancoradouro localizado no Bairro do Perequê, na Rua Luís Ameixeiro, nº 47, fixando assim, a estabilidade turística deste setor, aberto a todos os moradores e visitantes de Ilhabela.

Matéria por Edson S Persch