O Conjunto Nacional na Avenida Paulista é a cara do Brasil

 

Que o Brasil tem uma grande riqueza arquitetônica todos já sabem. E que há muitos edifícios que são a cara do nosso país, também. Por essa razão, a tarefa de selecionar um edifício que seja a cara do Brasil é demorada, minuciosa e difícil.
 
 
Para representar a mistura de cores, povos e sabores do nosso Brasil, eis aqui o Conjunto Nacional de São Paulo. Numa cidade que deve tudo à chegada de migrantes e imigrantes, a obra também tem uma origem em um não-paulistano. Localizado na
Avenida Paulista, número 2.073, foi projetado pelo arquiteto paranaense David Libeskind e inaugurado em 1958. É considerado o primeiro shopping da América Latina. O idealizador dessa grande estrutura foi José Tjurs, que no início dos anos 50, planejava a construção de um grande edifício que oferecesse vários tipos de serviços e lazer na Avenida Paulista para que a Avenida pudesse também ser considerada a Quinta Avenida de São Paulo.
 
O Conjunto Nacional é um complexo que abriga em seu prédio horizontal diferentes estabelecimentos: lojas, restaurantes (como o Grill Hall, o Súbito, o Viena e o Tenda Paulista), academia, casa de câmbio, lanchonetes (como A Casa do Pão de Queijo), cinema, espaço para exposições e apresentações (como a Caixa Cultural), e inclusive a maior livraria da América Latina, a Cultura, com 4,3 mil metros quadrados de área distribuídos por 3 pisos. Já em seu prédio vertical, abriga os apartamentos de seu complexo residencial.
 
A edificação foi tombada pelo Condephaat, Conselho Estadual de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico em 2005. O Conjunto Nacional possui um relógio-termômetro que foi construído em 1962, instalado no alto do Edifício Horsa, que pode ser visto de vários pontos da cidade.
 
A segurança em suas instalações é garantida pelo monitoramento 24 horas e por uma equipe de bombeiros e policiais. Câmeras também encontram-se instaladas em pontos estratégicos.
 
E então? O Conjunto Nacional, localizado no coração de São Paulo, tem ou não tem a cara do Brasil?
 
Fonte: Yahoo!/ Por Flávia Resende