Museus paulistas realizam diversas atividades no Dia da Consciência Negra


A instituições museais da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo prepararam uma programação especial para o mês da Consciência Negra (20/11), com o objetivo ampliar a discussão sobre o tema e conduzir à reflexão.

O Museu Afro Brasil celebra a data com apresentação musical, jogos e brincadeiras. Haverá, ainda, um tributo a Pixinguinha, o grande maestro, flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro, além de show com a Orquestra Performática, criada em 1981 pelo artista José Roberto Aguilar.

A entrada ao museu, localizado no Parque Ibirapuera, será gratuita durante todo o sábado (20), permitindo que o público visite a exposição de longa duração de seu rico acervo, as cinco exposições temporárias em cartaz, além de participar das atividades especiais que acontecerão na área externa.

Às 11h, o educador Wasawulua Daniel trará ao público, na marquise do Museu, histórias e brincadeiras originárias da República Democrática do Congo, ensinando danças e canções em lingala e outras línguas da região.

A partir das 11h30, será possível a participação em painel temático na I Expo Internacional da Consciência Negra. O painel contará com representantes do Museu Afro Brasil e do Museu Nacional de História e Cultura Afro-Americana de Washington e discutirá as conquistas e desafios na preservação da cultura preta como instrumento de combate ao racismo estrutural no Brasil e nos EUA.

Às 12h terá o projeto Pequeno Circo do Choro, que realiza ocupações culturais em espaços públicos de São Paulo. Seus oito integrantes farão uma roda de choro em homenagem a Pixinguinha. O grupo circulará em cortejo musical, partindo da área interna do museu e seguindo até a área externa, convidando o público a sentir a música com o corpo, a dançar e caminhar ao sentimento e embalo do choro, do maxixe, da marcha, do samba, da valsa, entre outras composições do universo de Pixinguinha.

Às 15h haverá a apresentação da Orquestra Performática, criada como, segundo o próprio José Roberto Aguilar “uma espécie de ícone transgressivo que aconteceu na contracultura daquele momento”. A banda mescla performance musical, poesia, pintura e dança.

O público também poderá conferir, gratuitamente, a exposição temporária “Terra em Transe”, uma mostra que reúne cerca de 600 obras de 60 fotógrafos de todo o país e discute temas viscerais do Brasil, trazendo à tona retratos das injustiças sociais, raciais e políticas. Também será a última oportunidade para visitar a exposição de arte e cultura indígenas “Heranças de um Brasil Profundo”, cujo encerramento está previsto para o domingo, dia 21/11.

Estão ainda em cartaz as exposições “Frida Orupabo” – em correalização com a 34ª Bienal, “Embyra” e “Design e Tecnologia no Tempo da Escravidão”.

“O 20 de novembro é uma data significativa para a consciência de todos, brancos e pretos. Nesse dia vamos homenagear Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha, com um espetáculo de choro. José Roberto Aguilar e sua Orquestra Performática levarão ao Museu Afro Brasil sua música contemporânea, nova e brasileira. Esperamos que o público venha celebrar conosco a magnitude dessa data inclusiva, no momento em que a desigualdade e o racismo ainda são uma grave doença nacional”, diz Emanoel Araújo, diretor do Museu.

A criançada poderá aproveitar a atividade programada pelo Museu da Imigração, que realiza uma oficina de pintura com os artistas plásticos africanos Lavi Kasongo (República Democrática do Congo) e Paulo Chavonga (Angola).

Pela plataforma e aplicativo #CulturaEmCasa, o II Festival Negro em Ação será exibido a partir de 20 de novembro. São 60 filmes (33 curtas-metragens, 14 videoclipes e 13 videoartes), todos realizados por artistas e diretores negros. A ação faz parte do projeto Ponte Aérea Cultural, parceria entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a do Rio Grande do Sul. O evento ocorrerá no formato híbrido. Confira mais detalhes pelo aplicativo e pela plataforma #CulturaEmCasa.

Interior e litoral

Em Campos do Jordão, o Museu Felícia Leirner leva ao público infantil a contação da história ‘Meu Crespo é de Rainha’, livro de Bell Hooks, e a oficina ‘Boneca Abayomi’ que vai ensinar a produção da boneca e a história dessa tradição.

No Museu Casa de Portinari, em Brodowski, a professora Camila Gonçalves Lima Rosa realiza uma roda de conversa na qual reforça a importância da educação, com a história de Maria do Carmo Valério Nicolau, mulher negra que ingressou na escola como ouvinte e conseguiu se formar.

O Museu Índia Vanuíre, em Tupã, apresenta a exposição ‘Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência’ que vai contar a trajetória do movimento negro na cidade por meio de fotos e textos.

Aproximar o público da cultura africana e incentivar a reflexão sobre violência contra mulheres negras e, principalmente, periféricas, é o objetivo do bate-papo que será realizado no Museu do Café, em Santos. O museu fará uma live sobre a produção de podcasts, que também integrará a programação. Para atender ao público durante a temporada de cruzeiros, o Museu preparou um expediente ampliado, que vai até 4 de dezembro.

A programação completa está abaixo e também disponível no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – www.cultura.sp.gov.br

Programação completa

Plataforma #CulturaEmCasa
Acesse www.culturaemcasa.com.br ou baixe o aplicativo pelo Google Play ou Apple Store

Capital

Museu Afro Brasil
O Museu na Marquise
20/11
11h-12h30: Apresentação musical com jogos e brincadeiras: Música do Congo (com o educador Wasawulua Daniel)
13h Apresentação do grupo Pequeno Circo do Choro – Tributo a Pixinguinha
15h Orquestra Performática
Mais informações pelo site www.museuafrobrasil.org.br

Museu da Imigração

Oficina de pintura

20/11 às 11h

Os artistas plásticos Lavi Kasongo (República Democrática do Congo) e Paulo Chavonga (Angola) ministrarão uma oficina de pintura, na qual compartilharão as suas técnicas e vivências. As crianças deverão estar acompanhadas de um responsável para participarem da atividade, que acontecerá no jardim. Os materiais para acompanhar a ação serão fornecidos pela instituição. As vagas são limitadas e as inscrições estão abertas.
Mais informações pelo site

Museu da Língua Portuguesa 
Sarau 
Dia: 20/11 às 12h 
O poeta e agitador cultural Sergio Vaz, incentivador da literatura periférica na zona sul de São Paulo, recebe o Sarau no Kintal, um coletivo que organiza ações culturais nos bairros da Brasilândia e Freguesia do Ó e o grupo VOPO (Vozes Poéticas), do Pq Vila Maria, o encontro promete expressões culturais através de poesia e literatura. 
 
Museu do Futebol 
Distribuição do livro: livro “Djalma Santos: do porão ao Palácio de Buckingham” 
Dia 20 e 21/11 
O Museu do Futebol irá distribuir 500 unidades do livro “Djalma Santos: do porão ao Palácio de Buckingham”, uma biografia que conta a história do craque negro que se tornou bicampeão do mundo e foi eleito pela FIFA como o melhor lateral-direito de todos os tempos. A obra apresenta detalhes de sua carreira desde o futebol de várzea até as atuações nos grandes clubes e as quatro Copas do Mundo disputadas por ele. 
 
Dia 20 das 10h às 17h 
Editatona Goleiros e Goleiras 
Mais uma edição do Editatona – maratona de edição da Wikipédia, desta vez sobre goleiros e goleiras. A temática do evento está relacionada à exposição temporária “Tempo de Reação – 100 Anos do goleiro Barbosa”, que fica em cartaz até janeiro de 2022 e homenageia o centenário do goleiro Moacyr Barbosa (1921-2000).  
Atividade presencial, respeitando e seguindo todas às orientações de combate à pandemia do coronavírus. O museu irá oferecer lanche e certificado de participação. 
Interessados devem enviar nome e RG para o e-mail: crfb@museudofutebol.org.br

Interior

 Museu Felícia Leirner

Contação de História: Meu Crespo é de Rainha

20/11, às 15h

Contação de história baseada no livro de Bell Hooks, “Meu Crespo é de Rainha”. O público será convidado a participar da leitura e bonecas serão utilizadas para  auxiliar na contação. Em seguida, os participantes realizarão um desenho sobre o que entenderam da narração.

Consciência Negra: Boneca Abayomi

21/11, às 11h
A oficina “Boneca Abayomi” promove o resgate da identidade africana na cultura brasileira. Serão utilizados tecidos, cintos e turbantes na feitura de bonecas, a fim de promover uma viagem no tempo. As Abayomi fazem parte da identidade afro-brasileira e se tornaram símbolo de resistência, tradição e poder femininos.

Local: Mídias Sociais (YouTube: /museufelicialeirner / Instagram: @museufelicialeirner | Facebook: /museufelicialeirner | Twitter: /mfelicialeirner)

informações: https://www.museufelicialeirner.org.br/

Museu Índia Vanuíre

Exposição Temporária: Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência
Data: de 16 a 30/11
Para celebrar o Dia da Consciência Negra, foi inaugurada a exposição temporária “Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência”. Fotografias, textos, depoimentos e objetos que exaltam a trajetória e a resistência do Movimento Negro em Tupã, no interior de São Paulo.

Local: Museu H. P. Índia Vanuíre (Rua Coroados, 521 – Tupã/SP)

Indicação de leitura
20 e 27/11
Todos os sábados de novembro, o Museu Índia Vanuíre irá indicar um livro que aborda as temáticas do museu. A leitura pode ser feita através de livrarias on line e e-books gratuitos.

Consciência Negra: Caça Palavras
21 e 28/11
As redes sociais do Museu índia Vanuíre promovem um Caça Palavras que aborda conteúdos sobre a importância do Dia da Consciência Negra e mostra personalidades negras brasileiras.

informações: https://museuindiavanuire.org.br/

Museu Casa de Portinari
Roda de Conversa Dia da Consciência Negra
20/11, às 10h
A professora Camila Gonçalves Lima Rosa media uma roda de conversa onde relata a trajetória da Dra. Maria do Carmo Valério Nicolau, uma mulher negra nascida em Brodowski em 1932 que, de ouvinte na sala de aula, tornou -se professora, advogada, jornalista, escritora e precursora na produção de maquiagem para pele negra. Ela criou a marca Muene, conhecida internacionalmente.

O Negro na obra de Portinari
20/11, às 10h
Em celebração ao dia da Consciência Negra, as mídias sociais do Museu da Casa de Portinari apresentam algumas obras de Candido Portinari, artista que retratava corpos negros como símbolo de brasilidade.

Local: Mídias Sociais (YouTube: /casadeportinari | (Instagram: @museucadeportinari | Facebook: /museucasadeportinari | Twitter: /casadeportinari)

informações: https://www.museucasadeportinari.org.br/

Litoral

Museu do Café
 Educativo: Distribuição de kits para produção da boneca Abayomi
20/11, das 11h às 16h
O Museu irá propor a produção das bonecas Aabayomi. O objetivo é  promover o resgate da identidade africana na cultura brasileira. As Abayomi fazem parte da identidade afro-brasileira e se tornaram símbolo de resistência, tradição e poder feminino.

Oficina: “As Mariposas”
21/11, às 16h
A oficina propõe uma roda de conversa para debater questões presentes no cotidiano de mulheres negras, tais como: violência e a redução de danos e o resgate da autoestima. Durante a conversa cada participante poderá produzir sua própria boneca ancestral. A atividade busca resgatar a representatividade das mulheres negras.

informações: https://www.museudocafe.org.br/

Fonte: Secretaria de Cultura e Economia Criativa