Museu Itajahy Martins, em Botucatu, recebe mostra “Toque”

O Museu de Arte Contemporânea  Itajahy Martins, em Botucatu, recebe a mostra TOQUE,  apresentando instalação composta por 170 autorretratos em relevo. Os retratos constituem módulos do conjunto colaborativo e  são realizados por pessoas com e sem formação artística, videntes e pessoas sem visão, pacientes psiquiátricos, entre outros. O trabalho inclusivo, concebido a partir de uma perspectiva relacional da arte,  propõe-se a dissolver limites e acolher a diversidade.

O público é convidado a tocar  em toda a extensão do conjunto, superando o distanciamento entre observador e obra artística, norma que prevalece em museus e galerias. A soma de visão e tato imprime um caráter lúdico e multissensorial à fruição da obra, atraindo diferentes segmentos de público – entre eles crianças, adolescentes e pessoas com necessidades especiais.

TOQUE levanta uma discussão sobre a relação individuo/coletividade no mundo contemporâneo. O artista visual Hélio Schonmann, idealizador e produtor do projeto, sintetiza  essa abordagem no texto de apresentação: ”Na diversidade  impressa em matéria que se toca  e que se vê, cada autorretrato da instalação afirma-se como  identidade  individual  por contraste e  como identidade coletiva por semelhança. Nessa tensão, abrem-se  campos de indagação sobre o que somos. O humano se deixa entrever,  em sua grandeza e em sua precariedade”.

A OBRA

Os módulos que compõe a instalação são autorretratos medindo 30 x 30 cm, realizados numa técnica derivada do papel machê, que permite elaborar volumes e texturas a partir de materiais simples, como sucata de papel e papelão, somados à cola branca. A instalação constitui uma “obra em processo” em permanente ampliação. A cada mês, novos módulos vão sendo produzidos e incorporados ao conjunto.

HISTÓRICO

O projeto teve início em janeiro de 2016. Hélio vem  coordenando desde então – com auxílio de artistas-articuladores locais – a rede de oficinas para produção dos autorretratos. A simplicidade da técnica adotada viabilizou a ampliação dessa rede, que abrange atualmente nove municípios paulistas e inclui instituições tais como APAE Tatuí, a União dos Deficientes de Jundiaí e Região (UDJR), entre outras. A instalação já foi exposta em 2016, no Museu de Saúde Pública Emílio Ribas, em São Paulo (participando da mostra Mais Que Humanos. Arte no Juquery) e em 2017, no Museu da  Cidade de Salto.

IDEALIZAÇÃO E PRODUÇÃO – PROJETO  TOQUE

Hélio Schonmann

Artista visual e professor. Frequentou, nos anos 70 e 80, o Atelier de Livre Criação em Artes Plásticas do Museu Lasar Segall, em São Paulo, onde assumiu posteriormente o cargo de orientador (1979/83). No final dos anos 90, incorporou a instalação e a gravura em seu fazer artístico, tendo recebido orientação de Evandro Carlos Jardim. Realizou mostras individuais e vem participando de mostras coletivas e trabalhos colaborativos de arte urbana no Brasil, Argentina, Alemanha, Itália, China, Cuba, México, EUA, Índia e França. Sua obra está presente no acervo de instituições públicas e privadas, como Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Contemporânea de Botucatu, Museu Olho Latino (Atibaia), entre outros. A partir de 2009 iniciou um trabalho de coordenação de projetos de arte pública colaborativa e curadoria dos ciclos de mostras coletivas VI(VER), duplamente premiados pelo ProAC SP, Reside e trabalha  atualmente na cidade de Louveira, SP.

Serviço

Mostra “TOQUE”
Onde: Museu de Arte Contemporânea Itajahy Martins
Endereço: Avenida Dom Lúcio, 755
Informações: (14) 3882-1489

Fonte: Museu de Arte Contemporânea  Itajahy Martins