Museu Índia Vanuíre recebe exposição sobre indígenas brasileiros retratados no século XIX por Hercule Florence

Mostra entra em cartaz em 1º de março (terça-feira), às 16h, em Tupã; a visitação é gratuita

Hercule Florennce

A partir de 1º de março, o Museu Índia Vanuíre – instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo administrada em parceria com a ACAM Portinari-, em Tupã, recebe a mostra temporária “O Olhar de Hercule Florence sobre os Índios Brasileiros”. A seleção de desenhos, aquarelas e manuscritos deste artista e inventor franco-monegasco, somados a fotografias e obras de outros viajantes, peças etnográficas dos grupos indígenas retratados e informações sobre a sua situação atual será inaugurada às 16h.

Hercule Florence (1804-1879) desembarcou em janeiro de 1824 no Rio de Janeiro e percorreu o interior do país na Expedição Langsdorff , que durou quatro anos. O artista registrou em textos e imagens as paisagens, pessoas e cenas cotidianas dos locais por onde passava: um valioso material iconográfico, especialmente sobre as populações indígenas que habitavam o território brasileiro naquela época, desde São Paulo, passando pelo Mato Grosso, até o Pará.

A mostra apresenta um panorama histórico e social dos povos Apiaká, Bororo, Coroado (Kaingang), Guaikuru (atualmente Kadiwéu), Guaná, Guató, Kayapó (hoje Panará), Munduruku, Ofaié Xavante e Oti Xavante. A exposição reúne diferentes peças, entre desenhos, aquarelas, manuscritos, objetos, fotografias e livros, que documentam as dinâmicas destes grupos. O resgate histórico dos 190 anos que separam os registros oitocentistas de Hercule Florence e a situação atual procura contribuir para uma perspectiva futura sobre a situação indígena no Brasil.

O projeto é do Instituto Hercule Florence (IHF), que, através do ProAC, assume a realização em conjunto com o Governo do Estado e a Secretaria da Cultura. A curadoria, pesquisa e textos são de Glória Kok, Marília Xavier Cury e Francis Melvin Lee. A iniciativa ainda conta com as parcerias do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), do Instituto Socioambiental (ISA) e do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia da Universidade de São Paulo (LISA-USP), além de outras instituições e coleções particulares.

Instituto Hercule Florence

O Instituto Hercule Florence (IHF), fundado em 2006 e certificado como OSCIP desde 2009, tem como objetivo reunir, organizar, conservar e, principalmente, divulgar documentos textuais e iconográficos sobre o século XIX brasileiro, com foco nos viajantes e suas narrativas, e na vida e obra de Hercule Florence (1804-1879). Possui acervo próprio, composto pelos arquivos e bibliotecas dos bibliófilos Dr. Érico João Siriuba Stickel (1920-2004) e Dra. Rosemarie Erika Horch (1929-2008), e pela Coleção Arnaldo Machado Florence (1911-1987), a qual contém manuscritos autógrafos de autoria de Hercule Florence (redigidos entre os anos 1829 e 1879) e uma rica documentação sobre o seu reconhecimento como pioneiro da fotografia mundial. O plano de trabalho do IHF, entretanto, não se restringe ao acervo próprio. Parcerias firmadas com outras importantes instituições de pesquisa atendem a um dos objetivos primordiais do IHF, que é o de promover, através dos acervos artísticos, científicos, históricos e bibliográficos do século XIX brasileiro, o amplo acesso à cultura e à história do Brasil.

Hercule Florence (1804-1879)

Nascido em Nice, em 1804, de pai francês e mãe monegasca, Hercule Florence aportou no Brasil em 1824. Participou da Expedição Langsdorff (1825-1829), ao fim da qual se radicou na vila de São Carlos (atual Campinas, SP), onde viveu até seu falecimento em 1879. Além de ter produzido vasta obra iconográfica sobre o interior paulista e brasileiro (usada como referência para a construção do mito do bandeirante), é reconhecido internacionalmente como um dos inventores do processo fotográfico.

Clique e Saiba mais!  

Serviço:
Exposição Itinerante “O Olhar de Hercule Florence sobre os Índios Brasileiros”

Período: de 1/3 a 8/5/2016
Local: Museu H.P. Índia Vanuíre (Rua Coroados, nº 521, Centro)
Horário: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h
Informações: (14) 3491-2333
Entrada: gratuita