Museu do Futebol inaugura Centro de Referência do Futebol Brasileiro

Primeiro Centro de Referência público sobre futebol no país será aberto no dia 4, às 10h. Projeto contempla biblioteca, midiateca e um banco de dados virtual com vídeos, fotos e histórias do acervo do Museu, do futebol de várzea e de personagens do esporte nacional.

Por Monica Saraiva 1

O Centro dará acesso a uma seleção composta por 1.700 livros, mais de 150 referências sobre a prática do futebol na cidade de São Paulo e informações sobre 260 pessoas entrevistadas e 493 instituições, como clubes de futebol profissional e amador, torcidas organizadas, estádios. Todo esse universo que compõe o futebol brasileiro estará disponível ao público gratuitamente, a partir do dia 04 de outubro, às 10h. O Museu do Futebol – instituição da Secretaria de Estado da Cultura, localizada no Estádio do Pacaembu – inaugurará, nesta data, o Centro de Referência do Futebol Brasileiro (CRFB). O projeto – voltado a pesquisadores, jornalistas, e todos interessados em futebol, sua memória e história – é mais um serviço oferecido pelo Museu do Futebol.

Em três anos de pesquisa, uma equipe multidisciplinar percorreu a cidade de São Paulo e registrou referências por meio de fotografias, filmes, áudios, desenhos e textos. Conteúdos que estavam dispersos e distantes do conhecimento público, agora, estão organizados em um Banco de Dados e uma biblioteca e midiateca gratuita, instaladas dentro das dependências do Museu do Futebol.

“O Centro de Referência do Futebol Brasileiro do Museu do Futebol é um projeto que concretiza ideais importantes da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, como a qualidade da informação e acessibilidade a todos os públicos. É um projeto que nos deixa muito orgulhoso, por oferecer a toda população um ótimo serviço”, afirma Marcelo Mattos Araujo, Secretário de Cultura do Estado de São Paulo.

“O Museu do Futebol está entre os equipamentos mais visitados da Secretaria de Estado da Cultura do Estado de São Paulo. Isso graças ao seu acervo que conta não só a história do futebol brasileiro, mas também fatos históricos do Brasil e do mundo. Agora, nossa instituição disponibiliza também mais este serviço para o público”, declara Luiz Laurent Bloch, diretor executivo do IDBrasil, organização social de cultura que faz a gestão do Museu do Futebol.

Daniela Alfonsi, coordenadora do núcleo de documentação, pesquisa e exposições da instituição, completa: “Por meio da abertura do CRFB, o Museu do Futebol cumpre seu projeto de conectar uma extensa rede de pesquisadores, colecionadores e acervos sobre futebol. É uma ação inovadora, que integra, no Banco de Dados, o acervo do Museu e acervos de terceiros. Este banco poderá ser consultado via internet”.

Ao navegar por esse Banco de Dados, o internauta terá a disposição duas interfaces: uma em duas dimensões e outra em 3D. Nesta última, a sensação é a de entrar em um túnel do tempo com histórias de times (amador e profissional), campeonatos e personalidades. Os boleiros de plantão poderão ter mais informações, por exemplo, sobre times da várzea, como o Negritude Futebol Clube, famoso por organizar a Copa Negritude e reunir o maior número de times amadores da zona leste de São Paulo; o Esporte Clube Tenondé Porã, formado pelos índios Guaranis residentes em São Paulo; a Associação Atlética Açucena, extinto clube mais antigo da categoria; e ainda a Torcida Organizada Estopim da Fiel.

Ao longo da pesquisa, também foram apuradas histórias ligadas ao esporte, como a de Dorval Rodrigues, um professor que fez parte de um dos mais famosos ataques do futebol brasileiro com Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, jogadores bi-campeões mundiais pelo Santos Futebol Clube na década de 60. Há 20 anos, o craque Dorval dá aulas para crianças e adolescentes, sua principal fonte de renda.

Quem visitar o CRFB presencialmente poderá conferir também os vídeos do projeto de História Oral “Futebol, Memória e Patrimônio”, uma parceria do Museu com o Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, da Fundação Getulio Vargas CPDOC/FGV, com financiamento da FAPESP e apoio da Associação dos Campeões Mundiais de Futebol do Brasil. São mais de 120 horas de entrevistas gravadas com 55 jogadores da Seleção Brasileira que atuaram nas Copas de 1954 a 1982, como Carlos Alberto Torres, Emerson Leão, Aluísio da Luz (Índio), Amarildo da Silveira, Dino Sani, Djalma Santos, Joel Camargo, Ademir da Guia e muitos outros.

A entrada ao CRFB é gratuita. Para acessá-lo, o visitante terá de retirar um crachá na Bilheteria do Museu do Futebol e se dirigir ao elevador localizado ao lado do Bar do Museu. O visitante que estiver na exposição também poderá visitar o CRFB. O CRFB funcionará de terça a sábado, das 10h às 17h. O Banco de Dados poderá ser visitado pela página: www.museudofutebol.org.br/crfb 

A implantação do CRFB contou com o apoio financeiro da FINEP – Agência Brasileira de Inovação, órgão do Ministério da Ciência e da Tecnologia, em parceria com o Núcleo de Antropologia Urbana da USP (NAU/USP) e a POIESIS – Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura, organização social de cultura.

Fonte: Museu do Futebol/foto – Mônica Saraiva