Museu dedicado ao 11 de setembro retoma as obras em NY

Obra ficou parada depois de ser afetada pela tempestade Sandy.
Memorial construído no marco zero vai ser inaugurado em 2014.

30.08.2013 n10

Caminhão de bombeiros parcialmente destruído durante os atentados de 11 de setembro de 2001 (Foto: Bebeto Matthews/AP)

Depois de uma parada de um ano de construção do ‘National September 11 Memorial & Museum’, por causa de uma disputa financeira e depois de uma inundação causada pela tempestade Sandy, o trabalho no museu dedicado às vítimas do atentado de 2001 foi retomado.

Cerca de 130 pessoas trabalham todos os dias no espaço subterrâneo abaixo do World Trade Center Memorial Plaza, inaugurado em 2011. Ainda há muito a ser feito, mas o museu deve ser aberto ao público na primavera de 2014.

Alguns dos artefatos do museu já estão nos locais em que ficarão expostos após a inauguração. “Isso me deixa triste”, disse Anthoula Katsimatides que perdeu o irmão no atentado, “mas também é inspirador, ver o museu se concretizar é muito intenso.”

O trabalho no museu foi interrompido por quase um ano, em 2011, por causa de uma briga por financiamento entre a fundação do memorial e a Autoridade Portuária de Nova York e Nova Jersey, proprietária do terreno do centro comercial.

Pouco depois de retomar as obras, a supertempestade Sandy inundou o museu, a enchente destruiu paredes interiores e circuitos elétricos, mas o atraso na construção fez com que centenas de artefatos que poderiam estar no museu ficassem em segurança armazenados em outro local. Houve apenas pontos de ferrugem em um dos caminhões de bombeiros que já estava no espaço, mas o dano foi reparado e não é perceptível, disse o presidente do museu, Joseph Daniels.

No centro do salão ergue-se a última coluna de aço retirada do marco zero durante a operação de limpeza. Trabalhadores cobriram o pilar com suas assinaturas antes de ser levado, e os visitantes vão ter a chance de deixar sua própria marca em outro grande pedaço de aço perto da saída do museu – seus autógrafos serão capturado por uma tela computadorizada e projetadas na viga.

Em todo o museu serão pendurados pedaços de aço retorcidos em diversas formas, incluindo uma folha de metal que agora parece a ondulação de uma bandeira e uma enorme viga dobrada pelo impacto dos aviões nas torres.

“De uma forma estranha, eles são como peças de arte”, disse Katsimatides. Mas Daniels acrescentou que eles não foram escolhidos por sua beleza, mas para explicar o que aconteceu no local em 11 de setembro.

“A ideia é aprender sobre as vidas que eles viveram, não apenas a maneira que morreram”, disse Daniels.

Fonte: G1 Globo