Museu de Arte Sacra de São Paulo promove curso livre sobre o bairro da Luz

A partir de 14 de maio, o Museu de Arte Sacra, em São Paulo, promove o curso livre “O Bairro da Luz – uma Vitrine da História de São Paulo”, que busca retratar parte significativa da complexa formação histórica do bairro da Luz e adjacências.

O objetivo é promover uma reflexão crítica sobre o processo histórico de construção sociocultural e espacial do bairro da Luz, que conserva um amplo acervo material e imaterial do patrimônio cultural de São Paulo.

Com aulas nos dias 14, 21 e 28 de maio e 04 de junho, das 14h às 16h30, o curso consiste em apresentações dialogadas e interativas com os participantes. Para retratar parte significativa da formação histórica do bairro da Luz, será oferecida uma ampla pesquisa histórica – iconográfica, documental e bibliográfica – capaz de reconstituit os momentos determinantes de suas transformações.

As aulas serão ministradas pelos professores doutores Danielle Franco da Rocha, Edimilsom Peres Castilho e Eribelto Peres Castilho, o curso é aberto ao público em geral que tenha interesse sobre os temas abordados.

Ao olhar para o bairro da Luz, é possível visualizar a própria história social da cidade. Como uma vitrine, a Luz acompanha as transformações de São Paulo, desde o seu surgimento na Vila Quinhentista, como Campos de Piratininga das nações indígenas, passando pela hegemonia do café e, com ela, a ferrovia e os imigrantes constituiriam sua paisagem. Os bondes e a “luz electrica” ascenderam e mobilizaram a cidade. Era a chegada a “Belle Époque Tropical” e, com ela, novas relações com a indústria e com o crescimento da moradia popular no bairro. Nos anos 1950, novo boom urbano e a verticalização. A entrada do automóvel provocaria tanto a expansão da indústria na cidade, como também conduziria à Ditadura Militar. A Luz foi um importante polo da repressão, o que, atualmente, tomou a forma de memória patrimonializada de São Paulo.

Confira a programação:

14 de maio
1 – São Paulo Colonial – A fundação da Vila Quinhentista (1554 – 1822)
– Cartografia Histórica: o bairro da Luz
– A presença indígena nos Campos do Guaré
– Marcos de Fundação do bairro: o Rocio da Luz
– A construção do Convento da Imaculada Conceição da Luz
– O abastecimento de água da vila colonial: os Chafarizes da Luz

21 de maio
2 – São Paulo Imperial – O século das grandes transformações (1822 – 1889)
– A inauguração do “Horto Botânico” da Luz (1825)
– Escravidão no Planalto: entre a Forca e a Caza de Correção do bairro Luz (Presídio Tiradentes)
– A hegemonia do café e a instalação das primeiras ferrovias em São Paulo
– A influência da imigração estrangeira nas transformações da Luz
– Novos Loteamentos Populares e Exclusivos no bairro

28 de maio
3- São Paulo na República – A constituição da megalópole (1889 – 1964)
– Belle Époque Tropical e as transformações da Luz
– As bases para o crescimento pós 1930
– O boom urbano na década de 1950: verticalização x periferia
– Migração recente no bairro da Luz

04 de junho
4 – São Paulo na Ditadura Militar (1964 – 1985)
– Luz: Um Polo da Repressão
– Os impactos da reestruturação urbana da Ditadura Militar para o bairro da Luz
– O Presídio Tiradentes e as marcas da tortura
– A sede da repressão na Luz: o DOPS
– O resgate da memória: do DOPS ao Memorial da Resistência de São Paulo

Sobre os professores:
Instituto Bixiga de Pesquisa, Formação e Cultura Popular

Danielle Franco Da Rocha
Doutora em História Social pela PUC-SP, Mestre em Ciências Sociais e Bacharel em Ciências Econômicas pela PUC-SP. Professora e Pesquisadora do Instituto Bixiga. Professora do Curso de História da Faculdade Sumaré. Professora do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Atua com os seguintes temas: História Social da Cidade, Educação Patrimonial, História Brasileira e Latino Americana. Pesquisadora do Núcleo de Estudos de História: Trabalho, Ideologia e Poder (NEHTIPO) e do Centro de Estudos de História da America Latina (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História PUC-SP.

Edimilsom Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Uberlândia. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Ibirapuera – UNIB. Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP e do Curso de Especialização em Arquitetura e Urbanismo do SENAC-SP. Atua com os seguintes temas: História Social da Cidade, Arquitetura e Urbanismo, Educação Patrimonial, Mapeamento e Informação em Cidade, Planejamento Territorial. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC) e do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) ambos do Programa de Estudos Pós-Graduados em História PUC-SP.

Eribelto Peres Castilho
Doutor e Mestre em História Social pela PUC-SP. Bacharel em Direito pela PUC-SP. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Professor e Pesquisador do Instituto Bixiga. Professor do Curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares (FAZP). Professor do Curso de Especialização em História, Sociedade e Cultura da PUC-SP. Atua nos seguintes temas: História e Economia Brasileira e Latino Americana, Direito, Sociologia, Serviço Social. Pesquisador do Núcleo de Estudos de História: Trabalho, Ideologia e Poder (NEHTIPO), do Centro de Estudos de História Latino-Americana (CEHAL) e do Núcleo de Estudos de História Social da Cidade (NEHSC), todos ligados ao Programa de Estudos Pós-Graduados em História da PUC-SP.

SERVIÇO:

Curso livre “O Bairro da Luz – uma Vitrine da História de São Paulo”

Dias 14, 21 e 28 de maio e 04 de junho
Das 14h às 16h30
R$ 300 à vista – R$ 360,00 (02 vezes) vagas limitadas
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Museu de Arte Sacra de São Paulo
Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.