Museu da Pessoa lança programa para criação de núcleos

Nesta quinta-feira (12), às 18h, o Museu da Pessoa lançará o programa Núcleos Museu da Pessoa. As inscrições ficam disponíveis no mesmo dia.

A iniciativa é direcionada para grupos comunitários, ONGs, escolas públicas e instituições culturais – públicas ou privadas e tem como objetivo ensinar a metodologia exclusiva do Museu da Pessoa de captação e registro de histórias de vida. Participe do evento de lançamento clicando aqui.

“A preservação e disseminação de histórias de vida é um trabalho coletivo que deve ser feito em rede”. Essa é a prerrogativa da criação dos Núcleos.

A ação tem como base a Tecnologia Social da Memória (TSM), sistematização das metodologias utilizadas pelo Museu, desenvolvida justamente para que grupos, comunidades e organizações pudessem criar suas próprias memórias a partir das histórias de vida. A tecnologia social foi adaptada para um curso EAD gratuito, disponível no link https://eadmuseudapessoa.org/.

Quem se inscrever no programa de Núcleos Museu da Pessoa, além do curso EAD, terá acesso a um pacote de benefícios, que inclui seis encontros de mentorias on-line, acompanhamento das vivências das metodologias, feedbacks personalizados, acesso como administrador na plataforma da instituição, webinários semestrais com dicas de conteúdo, gestão e desenvolvimento, além da participação na rede do programa.

“Do momento da inscrição, passando pela elaboração do plano de trabalho até a construção do networking, nós acompanharemos todos os passos dos participantes”, detalha Marcela Lanza Tripoli, coordenadora de Multiplicação do Museu da Pessoa.

Para participar, não é necessário ter um CNPJ. É possível criar um núcleo do zero ou mesmo incluir as atividades do núcleo em uma organização já existente. O custo anual varia de acordo com o tipo de organização, com valores a partir de RS 1.350. “Fazer as entrevistas me fez acreditar que estou no caminho certo. Minha expectativa de ‘musealizar’ e valorizar a diversidade cultural local, pessoas e memórias diversas, está cada dia mais consolidada”, conta Thais Creolezio, do Museu Histórico de Jaboticabal Aloísio de Almeida, uma das instituições que realizou a formação na Tecnologia Social da Memória em 2020 e, hoje, faz parte da rede de Núcleos Museu da Pessoa.

Fonte: Museu da Pessoa