MUSEU DA IMIGRAÇÃO: PROGRAMAÇÃO ENVOLVE REFÚGIO E MOBILIDADE HUMANA

Cronograma da primeira quinzena do mês também inclui contação de história

Desde março de 2020, o Museu da Imigração promove um intenso calendário de atividades on-line para manter o público próximo às reflexões acerca dos fluxos migratórios e temas correlatos. Na primeira quinzena de fevereiro, a programação acontecerá no ambiente digital, com lives e, também, presencialmente, com inauguração de exposição e contação de história.

Como parte da temática “Mobilidade Humana e Coronavírus”, publicada desde março no Blog do CPPR, a série de lives “A situação das mobilidades humanas na pandemia” promoverá, mensalmente, uma entrevista com um migrante para tratar da experiência pessoal dentro dessa realidade. O primeiro bate-papo do projeto será realizado no dia 11 (quinta-feira), às 17h, no Instagram. Na ocasião, o pesquisador da instituição, Thiago Haruo, conversará com a Rawa Alsagheer sobre o cenário pandêmico na Palestina, o refúgio no Brasil e as dificuldades de trabalho com a atual situação.

Encerrando as ações da primeira quinzena, a mediadora de leitura do espaço “Semear Leitores”, Gabrielli Chagas, apresentará a história “Nosso amigo Ventinho” em uma contação lúdica e divertida no dia 13 (sábado), às 15h, diretamente do MI. Além de acompanhar presencialmente, as famílias poderão assistir sem sair de casa, a partir de uma live no Instagram.

Exposição de fotos

Por meio de uma iniciativa conjunta inédita, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), o jornal Folha de São Paulo e o Museu da Imigração lançaram a exposição fotográfica “Quem conta essa história: refugiados jornalistas ou jornalistas refugiados?”.

Composta por fotos, textos e recursos audiovisuais produzidos pela Folha e pelo ACNUR, a exposição relata os motivos do deslocamento forçado, a trajetória e o processo de integração de quatro jornalistas. Conforme contam os repórteres da Folha de S.Paulo, Carlos, Claudine, Kamil e Victorios tiveram que deixar respectivamente a Venezuela, República Democrática do Congo, Síria e Turquia em busca de proteção internacional no Brasil.

A exposição integra ainda as celebrações em torno de dois marcos temporais relevantes: os 70 anos do ACNUR (completos no dia 14 de dezembro de 2020) e os 100 anos da Folha de S.Paulo (a ser concretizado no dia 14 de fevereiro de 2021).

Até 30 de maio, o público terá a oportunidade de conhecer os motivos do deslocamento forçado, a trajetória e o processo de integração dos quatro jornalistas, que deixaram seus países de origem em busca de proteção internacional no Brasil.

Serviço

Exposição Temporária “Quem conta essa história: jornalistas refugiados ou refugiados jornalistas?”

Data: Até 30 de maio

Local: Museu da Imigração

Live Série “A situação das mobilidades humanas na pandemia”

Data: 11 de fevereiro

Horário: 17h

Plataforma: Instagram

Contação de História “Nosso amigo Ventinho”

Data: 13 de fevereiro

Horário: 15h

Local: Museu da Imigração

Plataforma Live: Instagram

Museu da Imigração

Rua Visconde de Parnaíba, 1.316 – Mooca – São Paulo/SP

Tel.: (11) 2692-1866

Funcionamento: de quarta a domingo, das 11h às 17h (fechamento da bilheteria às 16h).

R$10 e meia-entrada para estudantes e pessoas acima de 60 anos | Grátis aos sábados

Acessibilidade no local – Bicicletário na calçada da instituição

www.museudaimigracao.org.br

Fonte: Museu da Imigração

Foto: Adriano Vizoni / Folhapress.