Museu da Imigração inicia parcerias para melhoras no entorno

Após a retomada de suas atividades em maio de 2014, o Museu da Imigração segue suas ações institucionais que visam melhorias na região do seu entorno, marcado pela herança da grande imigração do fim do século 19.

Depois de diversas parcerias com a comunidade e instituições no bairro da Mooca, o museu desenvolveu mais uma ação: junto à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), inseriu no muro do galpão que se localiza em frente ao MI, fotos do acervo, no formato lambe-lambe (papel colado).

Além do aspecto estético, a ideia é fomentar a discussão sobre o patrimônio relacionado aos processos migratórios ligados aos bairros da Mooca e Brás, inserindo o valor que envolve questões relativas à memória da cidade.

Outro fator é que, até os dias atuais, o local ainda convive com os fluxos migratórios contemporâneos. A partir dessas ações comunicacionais, o museu segue sua proposta de ser um espaço de articulação, que promove reflexões sobre a experiência do deslocamento e a construção da identidade paulista a partir de múltiplas origens.

Muro-CPTM-4-B

A ação que repaginou o muro é o primeiro caminho de um plano maior de revitalização do entorno. Assim como a CPTM, a Faculdade Anhembi Morumbi é uma forte parceira nessa ação. Os alunos e coordenadores do curso de Arquitetura e Urbanismo desenvolveram um projeto que busca a reestrutura da região, contemplando inserção de mobiliário urbano, vegetação e melhorias de áreas degradadas. O objetivo é transformar a rua do Museu da Imigração em um bulevar cultural, possibilitando que o público da instituição, assim como os moradores do entorno, se apropriem do bairro e dos atrativos do MI.

Fonte: Museu da Imigração