Museu da Diversidade destaca protagonismo de mulheres lésbicas e trans no combate a violências

O Museu da Diversidade Sexual (MDS) está com a exposiçãoMemória para Autodefesa em parceria com a Linha de Cultura do metrô, em São Paulo. A mostra procura destacar o protagonismo de mulheres lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais no combate a violências de gênero.

A exposição retrata a vida de onze mulheres brasileiras e traz seus testemunhos admiráveis de combate ao patriarcado estruturante, responsável por indicadores alarmantes de violências contra as mulheres.

“Memória para Autodefesa é uma demonstração histórica da força dessas mulheres, que dialogam entre passado e presente na construção dos futuros que queremos. A exposição é um convite à memória como dispositivo para lembrar das nossas histórias e da história de nossas irmãs. A autodefesa surge como uma ruptura da subjetivação a que foi colocada a condição das mulheres, seus corpos, suas histórias e suas interseccionalidades no Brasil”, diz o comunicado do Museu.

A mostra também suscita o punho erguido, visto aqui em diferentes formas, como a construção de uma sociedade em que mulheres estão com e por outras mulheres, lutando por justiça social e pela garantia dos Direitos Humanos.

Mulheres LBT:

  1. Cláudia Wonder
  2. Cassandra Rios
  3. Paula Beatriz
  4. Luana Hansen
  5. Katu Mirim
  6. Maitê Schneider
  7. Vange Leonel
  8. Luana Muniz
  9. Bruna Valim
  10. Leandrinha Duarte
  11. Laura Vermont

 Fonte: Museu da Diversidade Sexual (MDS)